Essa cidade chinesa expõe publicamente moradores usando pijama na rua

Moradores usando pijama em público foram identificados com tecnologia de reconhecimento facial e tiveram suas informações publicadas na internet.
por Koyu
Traduzido por Marina Schnoor
28 Janeiro 2020, 10:00am
man china shanghai wearing pajaamas pyjamas
Um homem usando pijama carrega vegetais num saco plástico em Xangai, 5 de março de 2017. Johannes EISELE / AFP.

Escolher conforto em vez de estilo pode te fazer ser exposto publicamente nessa cidade chinesa, até se sua opção de visual seja um pijama quentinho.

Na segunda-feira, 20 de janeiro, a Bureau Municipal de Suzhou na Província Anhui publicou em sua conta oficial no WeChat um post intitulado “Expondo Comportamento Não-civilizado, Aumentando a Qualidade dos Residentes”. Na postagem, 15 pessoas foram identificadas por “comportamento não-civilizado”, incluindo sete que foram expostas por simplesmente usar pijama em público, segundo o site de notícias chinês The Paper.

Locais andando pelas ruas de pijama é uma visão comum pela China. Além de te manter aquecido durante o inverno, pijamas também têm um significado histórico para os moradores de Xangai. No começo do século 20, só os mais ricos de Xangai podiam pagar por pijamas importados, então eles serviam como um símbolo de status. Mas as autoridades vêm tentando erradicar a moda do pijama, que consideram não-civilizada.

Reconhecimento facial, uma tecnologia predominante na China, foi usada para identificar esses usuários de pijamas por fotos tiradas por outros moradores. As fotos postadas na conta pública da Bureau identificavam os moradores com fotos claras, com o nome completo, números de identidade borrados, e o local onde eles foram fotografados.

Os internautas chineses ficaram indignados com os padrões ridículos de trajes públicos.

“O que eles vão fazer agora, começar a restringir os peidos das pessoas?”, brincou um usuário do Weibo.

“Eles não se importam com as coisas que deveriam se importar, mas se importam cegamente com o que não deveriam. Um estuprador tem as informações pessoais publicadas? Eles querem te expôr por usar pijama (risos)”, disse outro.

Outro usuário do Weibo lamentou a falta de consideração com a privacidade dos cidadãos. “Eles nunca se importam com a privacidade das pessoas, essas autoridades teimosas.”

Alguém explicou que pijamas são uma forma de se proteger do frio durante o inverno. “Como alguém que veio de Suzhou, quero dizer que o inverno na cidade é muito frio, mesmo casacos grossos não são tão quentes quanto esses pijamas...”

Depois do ultraje público com o “dress code” ridículo, a Bureau Municipal de Suzhou apagou a postagem no WeChat e publicou um pedido de desculpa.

“O conteúdo e método do nosso post foi inapropriado. A Bureau trata isso muito a sério, e tomou ação imediata. Documentos relevantes foram deletados. Nos desculpamos sinceramente, e aprendemos nossa lição. Prometemos que incidentes similares não acontecerão no futuro. Obrigado por sua preocupação e supervisão do gerenciamento municipal de Suzhou.”

A Bureau Municipal de Suzhou começou sua ofensiva contra “comportamento não-civilizado” ano passado.

Segundo o site de notícias chinês The Paper, em agosto de 2019, a mesma bureau pediu ao público para mandar fotos de outros moradores envolvidos em comportamento não-civilizado, oferecendo uma recompensa de RMB 10 [R$ 6] para cada foto aprovada. Em outubro do mesmo ano, a bureau municipal publicou um post intitulado “Comportamento Não-civilizado Exposto”, expondo um morador por usar pijama fora de casa.

Essa não é a primeira vez que autoridades chinesas tentam impedir pessoas de usar pijama em público. Em preparação para receber a Exposição Mundial em 2010, o bairro de Qiba em Xangai formou um comitê para desencorajar pessoas de usar pijama em público, porque isso seria visto como uma vergonha.

Encontre a Koyu no Instagram.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Matéria originalmente publicada na VICE Ásia.

Tradução do inglês por Marina Schnoor.