Entretenimento

O desfile da Yeezy Season 4 do Kanye West foi (literalmente) quente demais

O desfile em Nova York que durou por uma tarde inteira acabou com modelos desidratadas — e duas delas desmaiaram.
09 Setembro 2016, 11:00am

Matéria publicada originalmente na VICE US.

Kanye West não dá muita bola para detalhes. Ele não se embaraça com semântica ou o politicamente correto. Ele é tipo o Donald Trump nesse sentido: ele fala sua grande ideia e pensa nos detalhes depois. Por exemplo: seu desfile para a coleção Yeezy Season 4.

Quando Yeezy pediu modelos para o desfile pelo Twitter, seu palanque favorito hoje em dia, começaram os problemas. "Apenas mulheres multirraciais", ele exigia. Tuítes e manchetes começaram a aparecer sobre a cor da estética, dizendo o que Ye queria mesmo era excluir garotas de pele mais escura. Considerando o histórico de diversidade de West, colocando mulheres de todas as etnias em seus desfiles e outros trabalhos, essa foi uma conclusão bem ridícula — até porque seu último desfile foi um dos mais diversos de todas as New York Fashion Weeks.

"As dez mil pessoas que apareceram não pareciam ter problema com isso", West disse a Vogue sobre a reação negativa. Ele ainda revelou que a ideia veio de uma conversa com Vanessa Beecroft — apesar de a artista ter seus próprios problemas raciais. "Como você expressa a ideia de que quer todas as variações de negro?", Ye continuou explicando. "Que palavra você usa exatamente?" E apesar de uma palavra melhor não ter surgido, o elenco em si, melhor retratado como um quadro vivo planejado por Beecroft, uma cena que poderia ter saído das imagens da era afrocêntrica atual da Beyoncé, exemplificou melhor o que Ye queria. A palavra era um detalhe; o visual final era a grande ideia.

As roupas em si não tinham nada de inovador. Ye sabe disso; ele usa a expressão vestuário em vez de moda e fala sobre construir lenta e intencionalmente sua estética de base militar, renderizada em tons neutros. Não tinha nada para se dizer sobre as roupas. Claro, a estrela de "Face" (e coreografa) Teyana Taylor estava fofa com aquele cardigã de tricô. Claro, os bodys eram bastante trend. As outras peças do desfile vieram misturadas com visuais que pareciam saídos do guarda-roupa da Kim Kardashian, vestidos colados e botas acima do joelho. Mas os tuítes e comentários sobre o desfile se concentraram no tratamento dado às modelos.

O desfile do Yeezy Season 4 levou uma tarde inteira. Primeiro os editores foram levados de ônibus de Manhattan até Four Freedoms Park em Roosevelt Island, um memorial construído com as plantas de Louis Kahn, que já foi chamado de um dos arquitetos mais importantes dos EUA. Depois veio uma espera de uma hora (o desfile atrasou, como a maioria dos desfiles atrasa) fora do local, seguido por 30 minutos de apresentação do quadro vivo de estilo. Lá dentro, as modelos estavam em pé na grama no sol a pino enquanto o tempo passava, e uma a uma elas começaram — literalmente — a vacilar.

Não está claro se as modelos receberam instruções para sentar quando precisassem, mas elas sentaram, ajoelharam e agacharam nesse tempo. A frequência com que elas faziam isso pode sugerir que elas tinham liberdade nessa área. Algumas se sentavam por alguns minutos, depois levantavam de novo. Outras ficavam paradas sem se mover. Aí uma modelo desmaiou. Depois outra.

Em junho, o New York Times escreveu um artigo sobre desmaio de modelos. Qualquer crítico ou convidado de fashion week que já viu uma boa porção de apresentações (diferente de desfiles) já viu isso acontecer. Às vezes acontece porque os modelos travaram o joelho. Outras pela desidratação por causa do calor das luzes. Seja qual for a razão, isso acontece em Nova York, Miami (já vi isso acontecer várias vezes na Semana de Moda Praia) e em todas as capitais da moda. E aconteceu no desfile do Kanye. A diferença foi o ultraje.

Um dos maiores críticos foi Stella Bugnee, diretora editorial do The Cut da New York. "Honestamente, a Adidas devia ter vergonha", ela tuitou, já que a marca alemã bancou os custos da apresentação depois de assinar um novo contrato com Ye verão passado. "É uma vergonha, é horrível e me arrependo de ter vindo", ela continuou. "A coisa mais horrível que já vi numa NYFW." Mas considerando o papel dela numa grande publicação de moda, fico surpreso de ela nunca ter testemunhado algo assim antes.

É verdade que Kanye West é uma figura polêmica. Ele late alto, e as respostas acabam sendo altas também. A equipe Yeezy teria dito que estava tentando "entender" quando as pessoas perguntavam sobre as modelos. Logo que a parte do desfile mesmo começou, uma garota (aparentemente uma modelo) correu pelas fileiras entregando garrafas de água para as moças da apresentação. Então será que Kanye foi simplesmente insensível? Ou será que ele teve a grande ideia de um monte de modelos negras lindas fazendo uma cena impressionante, e esqueceu de detalhes como insolação?

Considerando seu último esforço de fornecer água para as garotas, aposto na última explicação. O que não quer dizer que a prática de modelos serem obrigadas a ficar em pé por longos períodos, apesar de comum, não seja problemática. Como muitos outros problemas da indústria da moda, o caso só ganhou destaque mesmo através da inclusão de celebridades. Mas a circunstância é triste, já que o Kanye geralmente acaba vendo suas grandes ideias derrubadas por esse tipo de detalhe.

Siga o Mikelle no Twitter.

Tradução: Marina Schnoor

Siga a VICE Brasil no_ Facebook, Twitter e _Instagram.