Publicidade
Esta história tem mais de 5 anos de idade.
Vice Blog

Esse Cara Filmou um Pornô no Jardim da Igreja Batista de Westboro

O Get Shot! era uma banda punk desconhecida até lançar um vídeo em que a baixista se masturba num gramado em frente à Igreja Batista de Westboro

por Mark Sandford
08 Outubro 2013, 2:35pm


J.P. Hunter, o vocalista do Get Shot!

Até semana passada, o Get Shot! era uma banda punk de Sacramento relativamente desconhecida. Então, eles lançaram o vídeo “Westboro Fingerbang”, em que Laura, a baixista, se masturba no gramado da frente da Igreja Batista de Westboro em Topeka, Kansas. Desde então, eles receberam mais de mil likes no Facebook e se tornaram famosos da noite para o dia, literalmente. Conversei com J.P. Hunter, o vocalista da banda, sobre como eles fizeram o filme e o que está nos planos para o futuro do Get Shot!

Por que vocês decidiram filmar um pornô no jardim da Igreja Batista de Westboro?
J.P. Hunter: Tudo já foi feito com a Westboro, mas ninguém tinha, de fato, filmado um pornô na frente da igreja deles. Eles estão acostumados a invadir o território sagrado das outras pessoas: funerais de soldados gays, outras igrejas, shows do Bon Jovi, tudo. A gente queria fazer algo que dissesse: “Não tenha medo, você também pode foder com esse pessoal”.

Como vocês fizeram o filme?
A gente estava em turnê. Fomos para Kansas City, Topeka e Denver e planejamos nossa pequena ação na Westboro. Era para uma atriz pornô e outra garota fazerem isso, mas o agente da atriz disse que isso violava o contrato com a companhia para a qual ela trabalhava, então ela não pôde participar, e a outra garota não queria ser presa. Não queríamos sair de Topeka de mãos abanando, e nossa baixista, a Laura, não ligava de sair de lá com os dedos melados.

Considerando que vocês são uma banda punk pequena, como essa história ficou tão grande?
Enviamos um comunicado de imprensa. Somos uma banda pequena, mas sacamos um pouco de marketing. Tudo na banda é "faça você mesmo". Estamos juntos há sete anos e nossa popularidade vem crescendo, mas não tanto como na semana passada.

Você considera isso um projeto pornográfico ou um projeto musical?
Os dois, na verdade. De certa maneira, eles são duas entidades separadas – o site está no ar desde julho para conseguir mais publicidade para a banda, porque sexo vende e música é uma coisa chata agora. Eu queria trazer a diversão de volta para o rock. Por isso, todo mundo está indo para a música eletrônica e o dubstep, porque tem um monte mulher pelada e cocaína nesses gêneros.

Vocês querem que o Get Shot! seja associado com mulher pelada e cocaína?
Queremos trazer de volta a loucura do rock and roll e fazer a música ser divertida de novo. Desde o Kurt Cobain e aquela coisa anti-ídolo, acho que a música ficou muito chata. Agora, o show mais louco que você vê por aí é o da Miley Cyrus.

Que outros artistas contemporâneos você considera divertidos?
Não vou a um show divertido há 10 ou 15 anos, exceto pelos nossos shows. Nossa banda é sobre diversão. A gente quer trazer o rock and roll de volta.

Como é a vida sexual dos membros da banda?
Os caras da banda são todos heterossexuais e a Laura é bissexual, mas somos muito gay friendly. Tocamos no Hookers Ball em São Francisco, no ano passado, para ajudar a levantar dinheiro para que prostitutas possam largar as drogas. Nós nos consideramos feministas pró-sexo.

Vocês não ficam putos quando a Laura pega todas as minas?
Ela não pega todas [as minas], mas ela definitivamente fica com uma boa parcela.

Vocês se sentem famosos agora?
Ainda vamos ver, mas não acho que você é famoso se as pessoas não lembrarem de seu nome dez anos mais tarde. Pornô, buceta, garotas – tudo isso sempre chamou a atenção desde os homens das cavernas. É impossível ficar famoso com música. Você precisa conhecer alguém ou chupar o pau de alguém. É difícil se você for simplesmente um músico.

E vocês ganharam algum dinheiro com esse projeto pornô?
Desde que colocamos o site nos ar, fomos aprovados por algumas agências de talentos e alguns distribuidores, e acho que vamos aparecer no TMZ na segunda-feira. Antes de atender sua ligação, tive que dar um olhada em alguns contratos com meu advogado.

Vocês têm outras coisas desse tipo planejadas?
Com certeza vamos lançar mais vídeos e filmes no site pornô. Estamos fazendo toda uma série de vídeos com nossa baixista se masturbando em lugares onde você não deveria se masturbar.

Parece que as pessoas curtem mais a pornografia do que a música. Vocês pensam em trocar a música pela pornografia?
Nunca. Acho que consigo manter as duas coisas.

Fred Phelps respondeu a ação de vocês pelo Twitter. Você acha que era ele mesmo?
Eles têm vários perfis no Twitter. Primeiro, achei que era ele mesmo, porque parecia bem oficial, mas me disseram que podia ser um perfil falso. A linguagem que ele usou foi questionável em alguns pontos, mas recebemos uma resposta oficial de Margie Phelps – e ela ficou puta. Ela e a Shirley Phelps ficaram loucas com a gente.

E o que eles vão fazer?
Realisticamente, nada. Legalmente, se a cidade de Topeka quisesse dar queixa contra nós por exposição indecente, eles poderiam, porque temos um vídeo e tudo mais, mas a cidade odeia a Westboro, então, acho que eles não dão a mínima.

Topeka está do lado de vocês?
É, eu diria que sim. Tocamos lá duas vezes e os dois shows foram lotados. Fizemos nosso nome e acho que as pessoas ficaram orgulhosas de nós por isso.

Outra provocação sofrida pela Igreja Batista de Westboro:

Satanistas Transformaram a Mãe Morta do Fundador da Igreja Batista de Westboro em Lésbica

Mais putarias:

Por Que Amo Assistir o Ron Jeremy Trepando

A Vida dos Garotos de Programa Como Ela É

Assisti ao James Deen Fazer o Primeiro Pornô com o Google Glass

Stoya Fala sobre a Metafísica do Boquete

Entrevista: Sady Baby

Tagged:
Entrevista
sexo
pornografia
fred phelps
gays
sacramento
masturbação
vídeo porno
homofobicos
Get Shot
Igreja Batista de Westboro
J.P. Hunter
Westboro Fingerbang
filme pornô
Mark Sandford
Margie Phelps
Shirley Phelps