FYI.

This story is over 5 years old.

Este Horroroso Monstro Pré-Histórico Voltou aos Rios Ingleses

A lampreia não dava suas caras cheias de dentes na Inglaterra desde 1800 – quando os rios passaram a ser poluídos pela Revolução Industrial.
04 Setembro 2015, 7:34pm

Sim, você leu bem: a lampreia, este horroroso monstrengo pré-histórico aí em cima, voltou aos rios da Inglaterra. Viva? Sim, viva! A notícia é boa.

Por mais que a lampreia ainda exista, é raridade no Reino Unido. Está no topo da lista da Agência Ambiental Britânica de peixes mais raros na Inglaterra, divulgada neste ano. A agência anunciou hoje, porém, que o peixe foi visto pela primeira vez desde 1800 no seu verdadeiro habitat.

A lampreia é um peixe semelhante à enguia surgido há centenas de milhões de anos, bem antes dos dinossauros. Muitos a chamam de "fóssil vivo". A maior espécie britânica, a lampreia do mar, pode crescer até um metro de comprimento e tem uma série de dentes afiados que usa para se prender a outros peixes e se alimentar de seu sangue.

Crédito: Agência Ambiental Britânica

Embora elas pareçam mais à vontade em um pântano, as lampreias precisam de água limpa. A poluição causada pela Revolução Industrial levou todas a saírem da Inglaterra. Moinhos e represas construídos na época também impediram seu desenvolvimento – como os salmões, as lampreias nadam contra a correnteza e tais estruturas atuam como obstáculos.

A Agência Ambiental tem ajudado os animais a remover alguns desses bloqueios e ao experimentar tecnologias como "escadinhas para lampreias", que são degraus sobre açudes que "permitem que as lampreias subam usando suas bocas tipo ventosas para se ancorarem".

Crédito: Agência Ambiental Britânica

Apesar desse retorno triunfal, ainda é raro encontrar lampreias na Inglaterra. Existem três espécies nos rios, uma que vive em água em fresca e outras que moram no mar e vêm corrente acima para reprodução. Pode não ser muito bonito de se ver, mas são um bom indicativo de que as águas estão menos poluídas. E pelo visto, rendem uma boa torta.

Tradução: Thiago "Índio" Silva