Publicidade
Noisey

Ouça o tributo brasileiro e feminino ao Bikini Kill

O selo Hérnia de Discos convocou o Riot Grrrl contemporâneo (In Venus, Miêta, Lâmina e mais) para revisitar o 'Pussy Whipped', debut do grupo ícone do punk feminista que completa 25 anos.

por Beatriz Moura
19 Fevereiro 2018, 4:00pm

Em 2018, Pussy Whipped, primeiro lançamento oficial da banda norte-americana Bikini Kill, comemora 25 anos. Considerado o disco que popularizou o Riot Grrrl no cenário internacional nos anos 1990, o álbum apresentou "Rebel Girl" — música-hino do movimento — para o mundo. "Foi o trabalho que efetivamente mudou a visão da participação das mulheres no cenário musical punk", explica Cintia Ferreira, integrante da banda paulistana de post-punk In Venus e idealizadora do novíssimo selo Hérnia de Discos. "Antes do Bikini Kill, as mulheres já participavam da cena pelo mundo. Exemplos disso são bandas como As Mercenárias, aqui no Brasil, as britânicas The Slits e Girlschool e The Runaways, nos Estados Unidos. Todas tiveram relevância gigantesca no que diz respeito a representatividade, no entanto, nenhuma delas trouxe o feminismo e o valor da mulher como musicista e como público como o Bikini Kill."

Foi pensando na importância que Kathleen Hanna, Kathi Wilcox e Tobi Vai ainda exercem para muitas mulheres musicistas que Cintia, junto com Desirée Marantes — integrante da Harmônicos do Universo e sua parceira no Hérnia de Discos —, pensou em homenagear o debut da banda norte-americana . E, nesta segunda-feira (19), o selo lança a coletânea Insubmissas - 25 anos de Pussy Whipped, que você ouve abaixo com exclusividade pelo Noisey. "Estamos vivendo a efervescência do antipatriarcado e da produção musical feita por mulheres. Todos os dias nascem bandas formadas ou com integrantes mulheres mostrando que podemos e sabemos fazer música", explica Cintia. "Essa homenagem é a junção do nosso momento atual com a história construída pelo Bikini Kill, dentro de um movimento de garotas nos anos 1990 que transformou completamente a forma como somos vistas em cima do palco e como público."

A coletânea é uma releitura do disco com versões das músicas feitas por doze girl bands brasileiras convidadas por Cintia e Desirée. São elas: Diablo Angel, Lâmina, Belicosa, Bertha Lutz, Framboesas Radioativas, Miêta, In Venus, Bloody Mary Una Chica Band, Charlotte Matou um Cara, Trash no Star e Readymades. "Estamos sempre de olho nas minas que estão produzindo som autoral ao nosso redor. Dessa observação, escolhemos as que percebemos ter maior sinergia com o Riot Grrrl para participarem deste projeto", contou Cintia.

Apesar de todas as bandas escolhidas para o projeto carregarem esse espírito Riot Grrrl, cada uma deu um pouco da sua cara para as faixas escolhidas para interpretarem: enquanto Charlotte Matou um Cara e Lâmina, por exemplo, mantiveram a pegada bem punk rock clássico nas suas versões de "Rebel Girl" e "Alien She", respectivamente, a banda mineira Miêta deu uma pitada de shoegaze para "Tell Me So". Já o In Venus trouxe seus sintetizadores para gravar "Sugar".

Criado em 2016 por Cintia e Desirée, o Hérnia de Discos, além de ser um selo, também trabalha diversas iniciativas ligadas à produção musical underground feita por mulheres, como apoio ao projeto Girls Rock Camp. "A música ainda é uma área predominantemente masculina e a gente quer ampliar os espaços para as minas, meio como um ' all girls to the front', só que mais direcionado à criação e produção musical", explica Desirée. "Também contamos com uma rede de colaboradoras espalhadas entre São Paulo e Porto Alegre, como Ana Zumpano (Lava Divers), Patrícia Saltara (In Venus), Sabine Holler (Jennifer Lo-Fi, Ema Stoned), Julia Barth (Girls Rock Camp Porto Alegre), Yasmin Thomaz (Joan Get Your Gun), Camila Ribeiro (In Venus), entre outras mulheres fodonas", disse Cintia. Para 2018, as meninas prometem uma série de lançamentos, além de estarem mapeando um circuito de casas de mulheres que possam abrigar pequenos show. "Teremos nossa segunda residência artística, que iniciará em abril, além de estarmos planejando parcerias com outros selos e produtoras, pedalaços, shows e festivais", completa. Ouça abaixo a coletânea.

Tracklist

1. Diablo Angel - "Blood One"
2. Lâmina - "Alien She"
3. Belicosa - "Magnet"
4. Bertha Lutz - "Speed Heart"
5. Framboesas Radioativas - "Lil' Red"
6. Miêta - "Tell Me So"
7. In Venus - "Sugar"
8. 3D - "Star Bellied Boy"
9. Bloody Mary Una Chica Band - "Hamster Baby" (Ratoncito Bebito)
10. Charlotte Matou um Cara - "Rebel Girl"
11. Trash no Star - "Star Fish"
12. Readymades - "For Tammy Rae"

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.