Publicidade
Noticias

Boletim Matutino da VICE - 29/3/2019

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.

por Equipe VICE Brasil
29 Março 2019, 1:49pm

Marcelo Casal Jr. / Agência Brasil

Brasil

Desemprego no país sobe para 12,4% e atinge 13,1 milhões de pessoas

O desemprego no país foi de 12,4%, em média, no trimestre encerrado em fevereiro, de acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). O índice subiu em relação ao trimestre anterior (11,6%) pela segunda vez seguida. Na comparação com o mesmo período do ano passado (12,6%), o resultado foi considerado estável. Segundo o IBGE, o número de desempregados no Brasil foi de 13,1 milhões de pessoas. Isso representa alta de 7,3% em relação ao trimestre anterior. Na comparação com o mesmo período de 2018, houve estabilidade. O IBGE destacou que subiu para 27,9 milhões a soma de desempregados, pessoas que têm emprego, mas gostariam de trabalhar mais horas e trabalhadores que estão desocupados, mas não conseguem procurar emprego por motivos diversos (porque cuida de um parente doente, por exemplo). – UOL

Vélez escolhe militar para ser novo 'número 2' do MEC

Desocupado nos últimos dias, o cargo de secretário-executivo do Ministério da Educação (MEC) foi preenchido por Ricardo Machado Vieira. A nomeação foi publicada na edição desta sexta-feira (29) do Diário Oficial da União (DOU). Ricardo era assessor especial da presidência do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) desde fevereiro de 2019. Ele é militar — segundo seu currículo, é tenente-brigadeiro e já ocupou o posto de chefe do Estado-Maior da Aeronáutica (FAB). Em três meses de gestão, é a quarta vez em que o governo anuncia um nome para o cargo de "número dois" do MEC. Luiz Antônio Tozi permaneceu no posto até o dia 12 de março, quando foi demitido em um ato de "reestruturação" promovido pelo ministro Vélez. – G1

Planalto causa constrangimento ao enviar foto de Bolsonaro a embaixadas estrangeiras

Em uma ação que causou constrangimento entre diplomatas, a Presidência da República ligou para embaixadas estrangeiras em Brasília nesta semana e comunicou que lhes enviará uma foto oficial do presidente Jair Bolsonaro. Segundo relatos feitos à Folha, funcionários do Palácio do Planalto telefonaram para as embaixadas acreditadas junto ao governo do Brasil e disseram que o retrato será encaminhado nos próximos dias. A movimentação causou forte embaraço entre diplomatas estrangeiros, que consideraram o gesto fora da praxe das relações entre países. – Folha de S. Paulo

Ibama exonera funcionário que multou Bolsonaro por pesca irregular

O Ibama exonerou nesta quinta-feira (28) o servidor que multou Jair Bolsonaro em 2012 por pesca irregular em área protegida. José Olímpio Augusto Morelli atuava em um cargo comissionado dentro da Diretoria de Proteção Ambiental (Dipro). A dispensa do funcionário, que era chefe do Centro de Operações Aéreas, da Dipro, foi publicada no Diário Oficial da União e assinada pelo presidente do Ibama, Eduardo Fortunato Bim. O jornal Estado de S. Paulo afirma, contudo, que a decisão de dispensar Morelli foi do major da Polícia Militar Olivaldi Alves Borges Azevedo. Ele é diretor da Dipro desde janeiro, tendo sido nomeado pelo próprio Bolsonaro. – Poder 360

Terreiro de candomblé é depredado e religiosos são expulsos no RJ

Um terreiro de candomblé em Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, foi invadido e destruído na última segunda-feira (25). Religiosos contam que foram expulsos por traficantes da região. O objetivo, dizem testemunhas, é transformar o centro em uma base para os criminosos. A polícia investiga o caso. Fotos mostram o vandalismo: utensílios para oferendas foram quebrados, o altar, desmontado, e os criminosos chegaram a colocar fogo em alguns espaços. Segundo representantes do terreiro, o local já havia sido invadido no ano passado, quando o tráfico os impediu de fazer qualquer tipo de manifestação religiosa. A ordem foi atendida, mas, mesmo assim, a casa foi tomada novamente. – G1

E mais

Cineasta francesa Agnès Varda morre aos 90 anos

Agnès Varda, cineasta belga radicada na França, morreu na madrugada desta sexta-feira (29), aos 90 anos, disseram membros de sua família e equipe à agência France Presse. Segundo um comunicado, ela morreu em casa, cercada pela família e amigos. A causa foi um câncer. Varda foi uma das vozes da nouvelle vague, movimento que marcou o cinema francês contestatório dos anos 1960 e influenciou gerações que viriam depois. A filmografia da diretora inclui títulos como Cléo das 5 às 7 (1962), As Duas Faces da Felicidade (1965) e Os Renegados (1985), pelo qual ganhou um Leão de Ouro no Festival de Veneza. – G1