Publicidade
Entretenimento

Perguntas não respondidas do maior episódio de 'Game of Thrones' até agora

O tão esperado 'A Longa Noite' foi surpreendente, mas nem sempre de um jeito bom.

por Noel Ransome; Traduzido por Marina Schnoor
29 Abril 2019, 5:25pm

Imagem cortesia da HBO.

MUITOS, MUITOS SPOILERS: NEM PASSE OS OLHOS NA MATÉRIA SE VOCÊ AINDA NÃO ASSISTIU.

Depois de oito anos de tensão, com zumbis e dragões de gelo, vamos admitir que foi um pouco decepcionante que toda aquela ameaça do “inverno está chegando” tenha caído com um truque de faca da Arya Stark.

Não me entenda mal, não estou dizendo que “A Longa Noite” – que foi basicamente uma sequência de ação de 82 minutos – foi um episódio chato. Foi um negócio lindíssimo mesmo. As longas sequências que passavam de um personagem pro outro, a trilha sonora de bomba relógio, a escuridão (escura demais), dragões, os white walkers e os acessórios de cena pegando fogo iluminaram o episódio.

Miguel Sapochnik dirigiu a batalha final com os zumbis de gelo que foi apropriadamente intensa, e facilmente colocou “Hardhome” e “Batalha dos Bastardos” no chinelo só pelo tamanho. Mas quando o sangue e a neve pararam de cair, Jon Snow ficou parecendo o pior general do mundo, enquanto a Deus Ex Arya Stark matou o chefão de um jeito foda, sim, mas que fez pouco sentido narrativo.

Parece que “A Longa Noite” nos deixou com mais perguntas que respostas... e, cara, eu tenho algumas perguntas.

O que aconteceu com o Fantasma?

Você lembra do Fantasma, né? O lobo gigante que deveria ser o melhor amigo do Jon? Mas que foi completamente ignorado na sétima temporada porque o orçamento da HBO tem sim um limite? Vamos ignorar que o carinha estava lá na linha de frente da treta, avançando junto com todo mundo só pra não aparecer mais? Tipo, nem uma tomada dele com os olhos ficando azuis?

Pra onde o Bran foi naquela hora?

Olha, todo mundo estava pensando a mesma coisa na hora que o Bran entrou no modo warg. Bran já possuiu lobos, pássaros, árvores e o Hodor, então por que não entrar num dragão, bicho? Momentos de desespero exigem medidas desesperadas, e a gente achava que era o mínimo que ele podia fazer enquanto o Theon Greyjoy dilacerava zumbis pra protegê-lo. Mas claro que o Bran tinha que manter sua reputação de ser o personagem mais mistificado e frustrante da série, e ficamos imaginando onde ele foi quando passou vários minutos dentro de um bando de corvos, até sair do estado warg para encarar o Rei da Noite pela última vez. Mas pelo menos a gente teve uma tomada aérea da batalha.

Como não pensaram que os mortos podiam voltar?

Foi muito na cara como a temporada 8 lidou com a segurança das criptas de Winterfell. “Não há lugar seguro!”, ficaram repetindo toda hora, até que o truque ficou óbvio. Há semanas o pessoal está fazendo piada no Twitter sobre o conceito besta de esconder os indefesos no meio dos túmulos – tipo, é o Rei da Noite, o que ele faz é levantar defuntos.

Até certo ponto, era de se esperar que o povão de Winterfell não soubesse muito sobre o conceito de zumbis. Mas do Jon Snow até as duas pessoas mais inteligentes de Winterfell – Tyrion e Sansa – não tinham essa desculpa. Já era de praxe queimar cadáveres por causa do Rei da Noite, então não passou pela cabeça do pessoal que uma cripta com vários corpos enterrados era um paraíso de zumbis? Caralho, gente.

Como o plano besta do Jon acabou dando certo?

Vamos deixar isso claro. O Jon é um líder militar ruinzão; sempre foi. Quer dizer, claro, ele faz seus discursos motivacionais, tem todo aquele visu pensativo e tudo mais, mas o gosto dele por missões suicidas (veja: a Batalha dos Bastardos) já matou soldados demais.

Aceitando esse fato, alguém pode me explicar por que o plano do Jon realmente funcionou? Por que encorajar esse cara a acreditar que é uma boa ideia correr para um exército de zumbis de número desconhecido com baixa visibilidade? Quem em sã consciência ia mandar seus melhores soldados pra esse tipo de perigo? Eles tiveram tempo de planejar, então por que não mandaram umas escoltas na frente? Por que não usar a superioridade aérea com os dragões e os trabucos (trébuchet), poxa? Além disso, se você sabe da habilidade do Bran de possuir animais, por que não pedir um favor pro seu irmão mais novo e fazer ele descrever o perigo antes? Vou te falar, viu...

Aparentemente, eles perderam todos os Dothrakis, a maioria dos Imaculados e agora só têm um dragão machucado, o que significa muito menos recursos para recuperar o Trono de Ferro. Parabéns, Jon Snow.

Ah, e qual era o plano do Jon quando ele ficou na frente do dragão de gelo?

O cara realmente achou que ia derrotar uma porra dum dragão na espada? Ele ia gritar com o dragão até ele desistir? Acho que o Jon tem um certo complexo de Jesus Cristo.

Quem mais morreu?

Acho que a maior surpresa do episódio foi a falta de personagens principais morrendo. Até onde sabemos, Jorah, Lyanna Mormont, Theon Greyjoy, Melisandre, Beric Dondarrion e Dolorous Edd subiram no telhado. Mas fora várias caras de dor, ainda não se sabe o destino do Gendry e do Verme Cinzento, e era de se esperar que eles teriam uma cena de morte digna.

Desde que a série matou o Ned Stark, ficou a impressão de que qualquer um podia morrer, mas parece que os roteiristas decidiram pegar leve agora. Acho que ninguém chorou por causa do Jorah fora a Daenerys.

O pessoal da iluminação perdeu a hora pra trabalhar no episódio?

Sim, foi uma batalha noturna... o jeito mais eficiente em termos de custo para mostrar uma luta gigante. Mas em boa parte das cenas era muito difícil entender o que estava acontecendo na tela, quem estava matando, quem estava morrendo, etc. Ainda assim, os 15 minutos de abertura foram uma das melhores cenografias de Game of Thrones – e de qualquer outra série, ponto.

De onde a Arya pulou, caralho?

Minutos depois do Rei da Noite passar por todas as forças que jogaram contra ele, a série gastou preciosos minutos fazendo a caminhada em câmera lenta do zumbi-chefe até o Bran. Atrás dele tinha toda uma equipe de segurança de generais de gelo e zumbis, mas de algum jeito a Arya conseguiu entrar no meio da galera e cair do céu para atacar o zumbizão. E onde a Arya estava minutos antes: presa numa sala com os zumbis de gelo derrubando a porta. O quintal de Winterfell é um campo aberto, mas de algum jeito foi ela que salvou o dia.

O Rei da Noite morreu, foi isso mesmo?

Depois de oito anos ameaçando o mundo inteiro, o Rei da Noite acabou se mostrando um vilão de fantasia bem básico. Uma decepção. Graças aos deuses ainda tem a Cersei, a pessoa mais inteligente de Westeros.

Siga o Noel Ransome no Twitter.

Matéria originalmente publicada na VICE US.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.