Publicidade
comportamento

A diferença entre uma briga de casal normal e abuso verbal

Uma psicóloga nos deu seis exemplos de abuso verbal num relacionamento.

por Juli Fraga; Traduzido por Marina Schnoor
02 Maio 2018, 7:37pm

Crédito: Irinamuntaneu / Getty Images.

Como psicóloga, ouço muitas histórias sobre brigas de casais. Afinal de contas, conflito é parte normal de qualquer relacionamento e, durante conversas inflamadas, sentimentos de raiva e frustração podem inchar e nos fazer descontar no parceiro. Mas, quando ouço falar em pessoas que fazem ameaças, usam xingamentos e gritam sempre que se irritam, fico preocupada. É normal perder a calma às vezes quando você está discutindo com seu parceiro, mas se essas explosões verbais acontecem com frequência, pode ser um sinal de abuso verbal.

Como os sinais podem ser sutis, discernir entre uma discussão acalorada e abuso verbal muitas vezes é complicado. Conheço muitas pessoas que não perceberam que estavam sendo abusadas até começarem a fazer terapia. Muitas vezes, as pessoas inconscientemente minimizam ou justificam as ações do parceiro, dizendo para si mesmas coisas como “É só stress por causa do trabalho; quando a gente sair de férias as coisas vão melhorar”, ou “Ele tem problemas para lidar com a raiva. Sei que ele não quis dizer isso”. Quando palavras cáusticas como “Eu não ficaria tão bravo se você não fosse tão sensível” ou “Você começou. Não vou me desculpar” se tornam a norma, não exceções, pode ser hora de reexaminar seu bem-estar no relacionamento.

Pode ser uma surpresa, mas quase 50% das mulheres e homens dizem já ter experimentado pelo menos um encontro psicologicamente prejudicial com um parceiro. Embora seja difícil ignorar o dano infligido por violência física – como um olho roxo ou hematomas – as feridas psicológicas deixadas por abusos verbais não são tão fáceis de notar. O que não significa que não são tão prejudiciais para a autoestima e a saúde mental quanto violência física.

E mesmo havendo uma linha tênue entre brigas e abuso verbal, há alguns indicadores de que você está num relacionamento emocionalmente abusivo.

Ofensas, xingamentos e críticas

Perpetradores de abuso geralmente se sentem impotentes, o que os fazem se agarrar ao poder e ao controle culpando e humilhando outros. Uma maneira como eles fazem isso é recorrendo a xingamentos e críticas (não construtivas) sempre que surgem diferenças. Se seu parceiro sempre solta um “vai se foder”, ou magnifica seus defeitos de um jeito que ataca sua personalidade, pode ser um sinal de que ele quer tirar seu poder. Repetir insultos como “você nem sabe do que está falando” ou “não estou errado, você que não entende o que estou dizendo”, pode significar que seu parceiro precisa ter todo o poder no relacionamento, e por isso tenta te cortar.

Manipulação

Abusadores nem sempre gritam e xingam sempre que as coisas dão errado. Às vezes eles recorrem a táticas indutoras de culpa para te fazer se sentir mal. Por exemplo, a pessoa pode dizer “Se você gostasse mesmo de mim, não teria remarcado nosso encontro pra hoje”, ou “Achei que tínhamos algo de especial, mas devo ter me enganado porque se fôssemos realmente próximos, você não agiria assim”. Esses tipos de acusações podem te fazer repensar suas decisões. Você pode até assumir a responsabilidade pelo conflito, mesmo quando não foi culpa sua.

Negação e culpa

“Nunca te chamei de vaca; eu disse que você estava sendo uma vaca. Não é minha culpa se você não sabe a diferença.” Perpetradores de abuso verbal muitas vezes negam a realidade invalidando seus sentimentos. Chamada também de “gaslighting”, essa forma de manipulação pode fazer você sentir como se estivesse perdendo a sanidade. Pessoas que fazem gaslighting também podem distorcer a verdade quando você aponta a discrepância, insistindo que você entendeu mal. Com o tempo, esse padrão erode o senso de confiança da pessoa. O abusador pode até usar essa tática para criar dependência – ou seja, te fazer confiar nas sugestões dele porque você duvida da sua própria perspectiva.

A lua-de-mel

Uma cliente me contou uma vez: “Depois das nossas piores brigas, meu namorado sempre compensa. Ele é doce e me compra flores. Ele me diz como ficaria triste se eu o deixasse”. Depois de um abuso verbal, mesmo quando o abusador não se responsabiliza totalmente pelo seu comportamento, ele pode te cobrir de elogios, presentes ou afeição. Quando o abuso é sutil, esse tipo de comportamento pode mascarar os perigos de ataques verbais repetidos. Se você se vê num ciclo de brigas e reconciliações, pode ser um sinal de que você está num círculo de violência.

Ciúmes e paranoia

Depois de um programa onde você foi sozinho com seus amigos, um parceiro abusivo pode te acusar de não prestar atenção nele, ou insistir que você tem alguma coisa com um amigo ou colega de trabalho. Quando você nega essas acusações, ele pode te pedir para provar deixando ele ler suas mensagens e e-mails. No fundo, os abusadores sempre sentem que não são importantes, mas em vez de revelar seus medos, eles os projetam em outros.

Desvalorizar suas conquistas

“Não sei por que você acha que seu trabalho é tão importante; você nem fez uma boa faculdade.” Tentando tirar seu poder, o abusador verbal muitas vezes desvaloriza suas conquistas e sua aparência. Ao mesmo tempo, ele tenta inflar seu próprio senso de importância e sucesso. Ele pode até te insultar em público, e quando você menciona como se sentiu, ele logo insiste que você entendeu mal o comentário.

A dor do abuso verbal pode minar seu bem-estar psicológico. Se você suspeita que pode estar uma situação emocionalmente prejudicial, fale com um amigo ou familiar de confiança e procure ajuda profissional.

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter, no Instagram e no YouTube.

Tagged:
violencia
Psicología
relacionamentos
gaslighting
Tonic
relacionamentos abusivos
comunicação