Publicidade
Music by VICE

O disco de estreia da Kondi Band mistura techno e música africana de raiz

A colaboração entre o músico serra-leonês Sorie Kondi e o DJ e produtor norte-americano Chief Boima acaba de sair do forno.

por Alex Robert Ross; Traduzido por Thiago “Índio” Silva
31 Maio 2017, 5:54pm

Matéria originalmente publicada no Noisey US.

Quando o DJ e produtor norte-americano de descendência serra-leonesa Boima Tucker se trombou Sorie Kondi no YouTube em 2007, ele ficou hipnotizado. "Fiquei emocionado com sua voz e letras conscientes", comenta Tucker sobre a primeira vez em que ouviu "Without Money, No Family". "Essas melodias incríveis tocadas com seu kondi me pegaram de jeito". As raízes de Tucker na cena techno do centro-oeste dos EUA acabaram sendo o complemento perfeito ao trabalho de Kondi. A remixagem de Chief Boima pegou o som original e o enriqueceu com batidas pulsantes e sintetizadores, tudo acompanhado pelos vocais de Kondi.

Esse remix rodou pelo underground e eventualmente apareceu no The Fader, mas foram necessários cinco anos para que o músico serra-leonês cego fosse para os EUA para uma turnê de cinco shows, financiada por uma campanha no Kickstarter. Foi aí que surgiu a Kondi Band, colaboração integral entre Tucker e Kondi.

O disco de estreia da Kondi Band, Salone, mostra os frutos dessa colaboração. "No Money, No Family" aparece no disco e sua síntese ainda contagia, mas a sonoridade da dupla se mostra amadurecida: o som do kondi está mais proeminente e mais integrado, sua percussão rica parece ainda mais adequada às batidas de Boima. A faixa de abertura do disco ""Yeanoh (Powe Handa Blingabe)" é propulsionada pela voz de Kondi e os floreios de Chief Boima preenchendo o resto do sol; "Belle Wahalla" pulsa e apresenta efeitos de glitch ao passo em que mantém o som único do kondi como atração principal. O destaque vai para "Geibai Gpanga Ne Gna", que mantém todas estas características e adiciona ainda instrumentos de sopro que interagem com o belo ritmo da voz de Kondi.

"Este disco forja uma ligação direta entre o techno nascido nas cidades negras do centro-oeste americano, onde cresci, e música africana de raiz", escreveu Boima. "Sorie Kondi pode estar tocando um instrumento tradicional de Serra Leoa, mas ele pensa na música como um produtor de techno".

Ouça o disco completo abaixo. Você pode comprá-lo via Strut Records clicando aqui.