Trilha Sonora

Como Junkie XL deu vida à trilha sonora de "Deadpool"

Junkie XL fala sobre o processo de criação da trilha de Deadpool, carregada de sintetizadores e influenciada por diversos gêneros musicais.
24 Fevereiro 2016, 4:14pm

Imagem do filme “Deadpool”. Foto: Joe Lederer. Imagem fornecida por 20th Century Fox

Quem é o super-herói que veste roupa vermelha, é desbocado, luta contra os vilões e fala diretamente para a câmera? É Ryan Reynolds como estrela principal de Deadpool, que já quebrou vários recordes de bilheteria. Em seu filme recém-lançado, o super-herói/anti-herói esbanja diálogos inimitáveis, grandes cenas de ação e uma incrível trilha sonora de autoria de Tom Holkenborg, o Junkie XL. Holkenborg, produtor, músico e compositor, indicado ao Grammy e vencedor de diversos discos de platina, começou na cena musical no final dos anos 1990, foi a primeira pessoa a oficialmente remixar uma canção de Elvis Presley e, hoje, é um dos principais compositores de trilhas sonoras para filmes. Com obras que vão da bombástica trilha de Mad Max: Estrada da Fúria à discreta trilha de Aliança ao Crime, estrelado por Johnny Depp, Holkenborg explora perspectivas ousadas das trilhas sonoras tradicionais. No vídeo exclusivo abaixo, Holkenborg fala sobre o processo de criação da trilha de Deadpool, carregada de sintetizadores e influenciada por diversos gêneros musicais.

Tom Holkenborg, o Junkie XL, no estúdio. Foto: Dirk Kikstra

Holkenborg conta ao The Creators Project como foi chamado para compor a trilha “descolada, arrogante, divertida e violenta” do filme: “O diretor do filme, Tim Miller, entrou em contato comigo. O mais engraçado é que ele frequentava a noite de Nova York dos anos 1990 e adorava a minha música na época. Quando descobriu que eu estava compondo trilhas sonoras, e principalmente depois de assistir Mad Max, pensou ‘preciso falar com esse cara’”. Holkenborg diz que, após assistir ao filme com o diretor, produtores e Ryan Reynolds, a sensação “foi hilária”. “Eu não sabia o que esperar, mas tudo foi muito divertido, foi realmente uma surpresa para mim”, lembra.

Imagem do filme “Deadpool”. Foto: Joe Lederer. Imagem fornecida por 20th Century Fox

“Analisei o filme, o assisti cinco, dez vezes antes mesmo de começar. Só para ter uma ideia de ‘ok, o que é que eu estou procurando aqui?’. E acabei descobrindo que o personagem parou de crescer depois de 1990. Todas as suas referências musicais são anteriores a aquele ano. Ele tem um Walkman de 1983 e até a roupa que ele fez era daquela época. Então comecei apensar que precisava fazer alguma coisa dos anos 1980. Tenho muitos sintetizadores daquela época e me dediquei muito a encontrar dispositivos de efeitos especiais que foram fabricados naquele tempo e que resultaram no produto final.” Quando Holkenborg finalmente chegou ao resultado que queria, chamou o diretor e disse: “Acho que consegui. Vai ser uma coisa meio Frankie Goes to Hollywood_misturado com Michael Jackson e _Miami Vice… mas mais acelerado.”

Capa da trilha sonora de “Deadpool”

Segundo Holkenborg, _Deadpool _foi um dos projetos mais difíceis em que trabalhou porque, em qualquer cena, o fator emocional podia variar quatro ou cinco vezes. “Frequentemente me pergunto qual é a emoção mais difícil de expressar em uma música. Nenhuma, todas são fáceis. O problema começa quando elas começam a se suceder rapidamente. Da tristeza para a raiva? Fácil. Mas sair da tristeza para um momento extremamente engraçado, de volta para a tristeza, depois para a raiva, então para a insegurança, de volta para a tristeza, então comédia — tudo em 50 segundos? Tenho que pensar um pouco em como fazer isso.”

Embora _Deadpool _esteja se saindo melhor do que as expectativas mais otimistas previram, Holkenborg já sabia que estava num caminho incrível. “Trabalhar em filmes como Mad Max e Deadpool é uma coisa especial, e você espera que o público perceba isso. Neste caso, o público definitivamente percebeu.”

Veja o processo de criação da trilha de Deadpool por Junkie XL no vídeo exclusivo abaixo.

Deadpool já está em cartaz nos cinemas. A trilha sonora está disponível no iTunes e estará nas lojas a partir de 4 de março.

Tradução: Flavio Taam

Publicidade