A tree at night illuminated by a wildfire.
Imagem do incêndio florestal em Dunn Road, Austrália. Foto por Sam Mooy/Getty.
Meio Ambiente

De quem é a culpa pelas queimadas na Austrália?

Faça as companhias petroleiras pagarem, diz um especialista que estuda os piores poluidores do mundo.
14 Janeiro 2020, 5:39pm

As queimadas na Austrália, que já mataram pelo menos 28 pessoas e possivelmente mais de um bilhão de animais, são culpa de um número relativamente pequeno de pessoas. E não são algumas dezenas de incendiários que os meios de comunicação de direita de Rupert Murdoch vêm tentando culpar pela crise. Essa é uma alegação falsa que ganhou uma grande plataforma nos EUA através de Donald Trump Jr. e Sean Hannity.

Os verdadeiros incendiários responsáveis pela pior temporada de queimadas na história australiana são as pessoas que lideram 90 das companhias mais poluidoras do mundo, incluindo produtores de petróleo e gás como a Chevron, Exxon, Shell, BP, Gazprom e Saudi Aramco, além de grandes produtores de carvão como a Coal India e Peabody Energy. Juntos, esses “grandes nomes do carbono” são responsáveis por quase dois terços dos gases-estufa industriais liberados na atmosfera desde o meio dos anos 1750.

Aquecimento global causado por essas emissões contribuiu para o ano mais quente e seco já registrado na Austrália, que, quando combinado com chuvas de monções chegando mais tarde que o normal e ventos fortes, levou a incêndios florestais que já queimaram mais de um milhão de hectares pelo país, mais de nove vezes o que foi destruído durante a terrível temporada de queimadas na Califórnia em 2018.

Ainda assim, o governo australiano argumenta que não há uma ligação direta entre as queimadas e mudanças climáticas, e que qualquer ação para reduzir emissões vai prejudicar a exportação de carvão e gás natural do país. Mas numa entrevista recente com a VICE, Richard Heede, o pesquisador do Colorado que listou os maiores nomes do carbono num artigo em 2013 e continua documentando a grande pegada climática deles com o Climate Accountability Institute, disse que devemos ver esse desastre pelo que realmente é: um efeito colateral de um modelo de negócio que só beneficia uma minoria enquanto coloca o resto do mundo em perigo. Abaixo você lê nossa conversa, editada e condensada para maior clareza:

VICE: É justo dizer que os grandes nomes do carbono têm responsabilidade pelas queimadas na Austrália?

Richard Heede: Com certeza. Quantitativamente, a causa é muito direta. Eles vêm fabricando, produzindo e vendendo produtos de combustíveis fósseis há décadas com o conhecimento que esses produtos aquecem o clima. Eles têm uma responsabilidade substancial pelos danos que seus produtos vêm causando. Mas também, num nível político, eles negociam subsídios com o Congresso e outros legisladores pelo mundo para sua indústria, que diminuem os custos de seus produtos no mercado. Isso basicamente distorceu o mercado e atrasou a implementação de alternativas como eletricidade renovável. Então eles são responsáveis pelos danos ao clima resultado de não só ter produzido muito combustível fóssil, mas atrasado ação política para lidar com as mudanças climáticas.

A Chevron recentemente deu US$ 1 milhão para os esforços contra as queimadas na Austrália, o que parece muito. Mas é suficiente?

Bom, qualquer ajuda para os bombeiros australianos vale. Mas claro que isso é uma gota minúscula num balde comparado com os investimentos da Chevron em recursos de petróleo e gás adicionais. Os investimentos da companhia para 2020 são de US$ 20 bilhões, por exemplo.

Os grandes nomes do carbono deveriam arcar com os custos associados a desastres climáticos como os incêndios florestais?

Os tribunais terão que decidir se as campanhas negacionistas deles, seus esforços de lobby e sua deturpação da ciência climática para o público, além de para os consumidores, chega ao nível onde eles devem ser responsabilizados financeiramente pelos danos. Mas na minha visão, eles são todos responsáveis por uma porção substancial das mudanças climáticas. E agora sabemos que esse aumento na concentração de dióxido de carbono na atmosfera leva a aumento dos níveis dos oceanos, tempestades piores, inundações. Como vimos na Austrália e no oeste dos EUA, isso também leva a incêndios devastadores.

Você mencionou desafios legais. Isso é o que vai finalmente levar os grandes nomes do carbono a pagar pela destruição ligada a seu modelo de negócio?

Seria razoável esperar que os grandes nomes do carbono ajudem a pagar pelos danos que causaram, seja pelo aumento nos níveis do oceano, inundações ou queimadas. Mas estou igualmente interessado em garantir que eles tirem seu capital de investimento de recursos adicionais de combustíveis fósseis que eles querem produzir e vender, para investir em energia alternativa e captura e sequestro de carbono, para evitarmos futuros danos climáticos ainda piores.

E que papel os políticos australianos têm nisso tudo?

O governo australiano continua não só subsidiando desenvolvimentos de combustíveis fósseis, mas negando que suas exportações de carvão e gás natural liquidificado estão ligadas a mudanças climáticas. Eles exportam 200 milhões de toneladas de carvão todo ano, e devem ser responsabilizados por isso e ajustar suas próprias políticas domésticas.

Geoff Dembicki é o autor de Are We Screwed? How a New Generation Is Fighting to Survive Climate Change_. Siga o cara no Twitter._

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.