Viagem

​A PM desceu a porrada nos estudantes e manifestantes na Praça da República

Protesto em São Paulo pedindo melhorias na educação terminou ontem (18) com spray de pimenta, agressões e estudantes detidos.

por Jardiel Carvalho/R.U.A. Fotocoletivo
19 Maio 2016, 2:56pm

Todas as fotos por Jardiel Carvalho/R.U.A. Fotocoletivo.

Após as desocupações ilegais nas Etecs nos últimos dias com o aval do governador de São Paulo Geraldo Alckmin, os estudantes secundaristas continuaram com suas ações. Nessa quarta (18), eles foram às ruas na Avenida Paulista, em São Paulo, contra os cortes de verbas na educação e contra a desocupação das escolas técnicas estaduais sem mandado judicial. Agressões da PM contra fotógrafos, jornalistas e estudantes foram registradas na Praça da República, além da detenção de pelo menos seis estudantes, já liberados nessa manhã de quinta-feira (19).

A concentração começou às 18 horas no Masp e era planejado descer a Consolação e caminhar até a Secretaria da Educação, na Praça da República. Cerca de duas mil pessoas estavam presentes e por volta das 20 horas, a confusão começou a apertar na República quando os manifestantes foram impedir a prisão de um dos estudantes.

O fotógrafo André Lucas Almeida, do coletivo de fotógrafos C.H.O.C Documental relata que tomou spray de pimenta no rosto na altura da Praça Roosevelt quando fotografava a prisão de um estudante. Segundo ele, um PM espirrou o produto direto nele dizendo: "Quer fotografar isso? Faz a foto agora, faz a foto."

Já na Praça da República, quando a PM começou a agredir indiscriminadamente todos que estavam presentes, André levou um cassetete nas costas, atingindo sua mochila e quebrando seu laptop. "A PM fez uma linha e os policiais começaram a correr enfurecidos com seus cassetetes na mão", conta.

O fotógrafo do R.U.A. Fotocoletivo, Jardiel Carvalho, também foi agredido pela PM enquanto cobria a manifestação. Além de Jardiel e André, um cinegrafista da Globo e uma fotógrafa do Estadão também foram alvos de agressão por parte da Polícia Militar.

A justificativa da PM, que seguiu o protesto com policiamento ostensivo, foi que as agressões e detenções foram uma resposta a um grupo de manifestantes black bloc que atiraram pedras e rojões contra a tropa.

ATUALIZAÇÃO (19/05): Em nota oficial, a Secretaria de Segurança Pública se pronunciou sobre o protesto de ontem: "A Polícia Militar informa que quatro manifestantes, sendo dois maiores e dois menores de idade, foram detidos, durante protesto na noite de quarta-feira (18), na Praça da República. Os policiais foram recebidos com rojões e pedradas por indivíduos mascarados, o que obrigou a ação para estabelecer a ordem e garantir a segurança das pessoas que estavam no local. O grupo foi encaminhado ao 2º Distrito Policial (Bom Retiro), onde foi registrado um termo circunstanciado de resistência e lesão corporal, em seguida, os manifestantes foram liberados. Dois PMs ficaram feridos. O secretário Mágino Alves Barbosa Filho determinou que a Corregedoria da PM apure as denúncias de agressão a jornalistas."

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.