A Pantynova é uma sex shop virtual brasileira que quer priorizar o prazer feminino

Criada por duas mulheres, a marca desenvolve consolos inspirados na natureza para todos os corpos.

|
jun 4 2018, 10:00am

Consolos feitos pela Pantynova pensados no prazer feminino. Foto: Larissa Zaidan/VICE.

Foram anos de pesquisa para que Heloisa Etelvina e Izabela Starling percebessem que o mercado de brinquedos sexuais não atendia as necessidades delas como um casal de mulheres lésbicas. Não foi por falta de tentativas. As duas procuraram produtos nacionais e internacionais, testaram tudo que é tipo de strap-ons (conhecidos também como cinta-pau) e consolos, mas ainda não se sentiam confortáveis com as opções disponíveis no mercado. Com essa ausência de representatividade no mercado de sexo, as duas acharam uma oportunidade e abriram a Pantynova, uma sex shop virtual com produtos voltados para o prazer feminino, seja ele lésbico ou hétero.

“Em 2017 nós realizamos uma pesquisa de mercado com mais de 500 mulheres brasileiras para confirmar ou não a hipótese de que existia a necessidade coletiva por produtos eróticos mais bonitos e confortáveis”, conta Heloisa sobre a criação da calcinha, um dos primeiros produtos próprios da marca. “Com o resultado afirmativo seguimos em frente e resolvemos fabricar a Pantynova, um produto tão bonito quanto uma calcinha e tão funcional quanto um strap-on. É um híbrido que traz a beleza da lingerie e a funcionalidade da cinta.”

No estúdio onde grande parte dos produtos da Pantynova foi produzido, Izabela e Heloisa pousaram para algumas fotos com os consolos. A busca por produtos que representassem o prazer delas enquanto lésbicas nasceu quando as duas ainda eram um casal. Hoje, com a loja lançada, ambas permanecem apenas amigas e parceiras de negócio.

Heloisa e Izabela, donas da Pantynova. Foto: Larissa Zaidan/VICE.

“Será que ninguém nunca se perguntou se todas as mulheres, incluindo as mulheres lésbicas, gostariam mesmo de usar produtos que remetessem a genitália masculina? É uma pergunta tão básica, tão simples, mas que por incrível que pareça passou batida por todos esses anos, e por isso estamos aqui, viemos trazer essa discussão sobre como as mulheres são representadas no mercado erótico”, explica Heloisa.

O site oficial da loja foi lançado em abril de 2018 e traz uma série de produtos sexuais pensados inteiramente na consumidora feminina e na sua anatomia. Até agora, a Pantynova já conta com uma linha própria de consolos inspirados em elementos da natureza e botânica e também uma linha de calcinhas de todos os tamanhos que servem como strap-on e permite que você encaixe os consolos para transar. Além disso, há também uma curadoria de vibradores de outras marcas para masturbação.

O modelo Pea, como o próprio nome sugere, foi inspirado num favo de ervilhas. "Essas bolinhas estimulam a mulher intensamente", explica Heloisa. Foto: Larissa Zaidan/VICE.

A demanda feminina por produtos eróticos vem crescendo de forma constante nos últimos anos, gerando inclusive a criação de lojas onde só mulheres podem entrar. Porém, ainda são poucos os produtos que de fato atendem ao prazer feminino sem cair em clichês como pênis de silicone gigantescos ou brinquedos que servem mais para agradar o parceiro do que quem está usando.

O modelo Alpina foi inspirado, obviamente, em pinhas. "Ele é o menor dos nossos dildos, porém é super rico em texturas." Foto: Larissa Zaidan/VICE.

“O mercado erótico em geral trabalha com uma linguagem em que se propaga uma sexualidade feminina que não nos representa, é tudo uma fantasia para o prazer do homem e não para o nosso próprio prazer, o prazer das mulheres”, explica Heloísa. “Durante o processo de desenvolvimento dos strapons, também refletimos que essa seria uma ótima maneira de desvincular o ato da penetração apenas ligado à imagem do homem. Nós compreendemos e acreditamos no uso do dildo como um artificio sexual para atingir o prazer.”

O modelo Big Finger, disponível em 4 cores, também faz parte dos dildos da marca. "Eles possuem grossura e tamanho ideal para uma penetração gostosa e confortável. Além disso possuem leve curvatura, ideal para explorar o Ponto G da pepeca". Foto: Larissa Zaidan/VICE.

Os dildos da Pantynova são coloridos e confortáveis para estimular o clitóris e o ponto G feminino. Eles também não são excessivamente enormes e são convidativos inclusive para homens héteros que desejam praticar sexo anal com a namorada. Segundo Heloisa, os dildos foram testados por ela mesma na fase de protótipo até ficarem confortáveis o suficiente para a venda. “Levamos quase um ano para conseguir definir formatos, tamanhos, espessura e a melhor forma de feitio”, relembra Heloisa.

Um detalhe bacana na sex shop virtual é o foco na educação sexual e corporal que incentiva não só a compra dos produtos, obviamente, como também estimula a própria mulher a explorar o próprio corpo. “(...) É quase inexistente um conteúdo educativo ou de entretenimento sexual para mulheres. Quando existem eles são grotescos, claramente criados por pessoas que também veem a mulher como objeto. Por isso, nós também decidimos criar uma sessão de contos eróticos escritos da perspectiva feminina, e fomos além, também criamos uma sessão chamada #hersecret, onde mulheres podem enviar os seus segredos de forma anônima”, acrescenta.

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter , Instagram e YouTube .

Mais VICE
Canais VICE