Boletim Matutino da VICE - 21/3/2019

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.

|
21 março 2019, 1:41pm

Alan Santos / Presidência da República

Brasil

Bolsonaro é o presidente em primeiro mandato mais mal avaliado desde Sarney, diz Ibope

Jair Bolsonaro perdeu três de cada dez apoiadores do seu governo em apenas dois meses. A proporção de quem considera sua administração boa ou ótima caiu de 49% em janeiro para 39% em fevereiro, e chegou a 34% em março, segundo o Ibope. O presidente perdeu 15 pontos percentuais em sessenta dias. Seu saldo ainda é positivo porque apenas 24% dizem que o governo é ruim ou péssimo. Outros 34% consideram que é regular, e 8% não souberam avaliar. Em comparação com outros presidentes eleitos, porém, o começo da passagem de Bolsonaro pelo Palácio do Planalto é o pior já registrado. Nos seus primeiros mandatos, Dilma, Lula, Fernando Henrique e Collor sustentaram taxas mais altas do que os 34% de Bolsonaro nos meses iniciais. A popularidade deles só ficou abaixo desse patamar nos segundos mandatos de FHC e Dilma. – piauí

PF cumpre mandados em ação que apura fake news contra ministros do STF

A Polícia Federal cumpre na manhã desta quinta-feira (21) dois mandados de busca e apreensão para apurar ataques e fake news contra ministros do Supremo Tribunal Federal. A operação ocorre em Alagoas e em São Paulo. Os investigadores buscam tirar do ar as contas nas redes sociais de dois dos autores identificados no caso e visam recolher computadores e aparelhos usados por operadores dessa rede. Um guarda civil metropolitano de Indaiatuba, no interior de São Paulo, e um advogado já foram identificados pela equipe que atua no inquérito como suspeitos de estarem por trás das ações. O presidente do STF, Dias Toffoli, instaurou o inquérito, que corre em sigilo, no último dia 14, e designou o ministro Alexandre de Moraes seu relator. – Folha de S. Paulo

Governo de SP usa carne de frigorífico interditado na merenda escolar

A gestão do governador João Doria (PSDB) firmou contrato de fornecimento de carne para a merenda escolar com três frigoríficos que tiveram atividades suspensas pelo Ministério da Agricultura. O produto de ao menos uma das empresas continuou a ser entregue a colégios estaduais mesmo após a aplicação da penalidade. O ministério informou à Folha que determinou a suspensão das atividades dos frigoríficos após constatar fraude econômica. Embora não tenha detalhado a natureza das autuações, fraude econômica consiste em comercializar um produto diferente do que o que foi combinado --por exemplo, vender carne de segunda como se fosse de primeira, ou misturar rejeitos à carne. – Folha de S. Paulo

Número de mortes por dengue em SP já é quase 10 vezes maior do que em 2018

Ao menos 29 pessoas já morreram após contrair dengue este ano no Estado de São Paulo, conforme a Secretaria Estadual de Saúde. O número é quase dez vezes maior que as três mortes registradas no mesmo período de 2018 - em todo o ano passado, a dengue matou 10 pessoas. Conforme divulgou a pasta nesta quarta-feira, 20, outras 16 mortes estão sendo investigadas, havendo possibilidade de que a maioria se confirme. O número de casos confirmados da doença nos dois primeiros meses deste ano também é mais que o dobro do total de 2018. Foram 36.791 casos em janeiro e fevereiro, contra 15.050 de todo o ano passado. No primeiro bimestre de 2018 houve apenas 1.947 casos. – UOL

Funcionários são atropelados por ex-patrão após audiência trabalhista em MG

Um motoboy de 35 anos e um chefe de cozinha, de 30, foram atropelados pelo ex-patrão após uma audiência trabalhista na tarde desta terça-feira (19) em Pouso Alegre (MG). Segundo a Polícia Militar, o antigo patrão jogou o carro em que estava contra a motocicleta onde as vítimas estavam. Com a batida, as vítimas e a moto foram arrastados pela rua. Os dois ex-funcionários ficaram feridos. Já o ex-patrão fugiu do local. A polícia foi até o endereço do ex-patrão, onde funciona um comércio de bebidas 24 horas, mas ele não foi encontrado. – G1

Mundo

Nova Zelândia proíbe armas semiautomáticas e fuzis de assalto após massacre de Christchurch

A primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, anunciou nesta quinta-feira (21) a proibição da venda de armas semiautomáticas de estilo militar e de fuzis no país. A premiê já havia adiantado que apresentaria uma legislação mais dura após o atentado cometido na semana passada contra duas mesquitas em Christchurch, em que 50 pessoas morreram. Além disso, o governo neozelandês vai proibir equipamentos que permitam a conversão de outros tipos de armamentos a armas semiautomáticas militares. De acordo com a primeira-ministra, a lei deve entrar em vigor em 11 de abril. – G1

Mais VICE
Canais VICE