Publicidade
Noticias

Professor americano especialista em Venezuela e lavagem de dinheiro foi acusado de lavar dinheiro da Venezuela

Bruce Bagley já foi citado por agências de notícias como NPR e NBC em questões de Venezuela e lavagem de dinheiro. Pois é.

por Maxwell Strachan; Traduzido por Marina Schnoor
19 Novembro 2019, 6:48pm

Alexey Kuzma/Stocksy

Um professor da Universidade de Miami, que atuava como especialistas em questões relacionadas com a Venezuela e lavagem de dinheiro, foi preso pelo Departamento de Justiça americano por um suposto esquema de lavagem de dinheiro relacionado com a Venezuela.

O Departamento de Justiça anunciou a prisão do professor da Flórida Bruce Bagley, 73 anos, na segunda-feira por suposta participação numa “conspiração para lavagem de dinheiro de subornos na Venezuela e esquema de corrupção nos EUA”, segundo a divulgação oficial. Bagley vai responder por conspiração para cometer lavagem de dinheiro, e duas acusações de lavagem de dinheiro. Cada acusação tem uma sentença máxima de 20 anos de prisão.

“Bruce Bagley, professor universitário e autor de Drug Trafficking, Organized Crime, and Violence in the Americas Today, teria aberto contas bancárias com o propósito de lavar dinheiro de estrangeiros corruptos”, disse o promotor americano Geoffrey S. Berman. “Além disso, os fundos que Bagley supostamente estava lavando eram os ganhos de subornos e corrupção, roubados dos cidadãos da Venezuela.”

Começando em novembro de 2017, Bagley recebia depósitos mensais de cerca de US$ 200 mil de contas na Suíça e Emirados Árabes, que pertenciam a um “indivíduo colombiano” cujo nome não foi divulgado, segundo o Departamento de Justiça. Bagley ia até o banco, com outro indivíduo que também não teve o nome revelado, onde sacava 90% dos fundos por um cheque administrativo no nome do segundo indivíduo. Aí ele enviava o resto do dinheiro para sua conta pessoal. No total, US$ 2,5 milhões passaram por aquela conta.

Mesmo depois que a primeira conta foi suspensa em outubro de 2018 por “atividade suspeita”, Bagley abriu outra conta e o processo continuou.

Na divulgação oficial, o Departamento de Justiça deixou claro que determinou que Bagley e um dos indivíduos discutiram o fato de que “os fundos vinham de suborno e peculato roubados de venezuelanos”.

Bagley já foi citado por agências de notícia como a NPR, CNN e NBC como um especialista em Venezuela, Colômbia e lavagem de dinheiro. Uma bio do professor ainda disponível na internet diz que ele atuou como “consultor para as Nações Unidas, o governo americano e vários governos da América Latina, em questões como tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e segurança pública”. Um dos livros recentes de coautoria dele é intitulado Colombia's Political Economy at the Outset of the Twenty-First Century.

“Bagley, um professor americano, contribuiu para o sucesso de atividades ilegais no exterior, realizadas contra o povo venezuelano, facilitando acesso a fundos obtidos ilicitamente, e lucrou com seu papel no crime”, disse o diretor-assistente do FBI William F. Sweeney Jr. “A única lição que você pode aprender com o professor Bagley hoje é que se envolver em esquemas de corrupção pública, suborno e peculato vai levar a um processo judicial.”

Matéria originalmente publicada na VICE EUA.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tagged:
crime
COLOMBIA
venezuela
Florida
corrupção
lavagem de dinheiro