Noticias

Um grupo neonazista está planejando um “acampamento de ódio” no Canadá

The Base, um grupo neonazista que visa fornecer treinamento militar e de sobrevivência para supremacistas brancos, está fazendo uma grande campanha de recrutamento.

por Mack Lamoureux, e Ben Makuch; Traduzido por Marina Schnoor
21 Agosto 2019, 10:00am

Membros do The Base conduzindo um treinamento com munição real. Screenshot da página do The Base agora deletada no Gab.

Um grupo neonazista focado em fornecer treinamento estilo paramilitar para extremistas de direita vem conduzindo uma grande campanha de recrutamento, e diz que já conduziu treinamento com munição real para seus membros no Canadá.

The Base, que tem ligações com os grupos de extrema-direita Atomwaffen Division e Feuekrieg Division, está promovendo seu crescimento nas redes sociais com fotos anunciando sua presença em grandes cidades da América do Norte, incluindo Nova York, Los Angeles e Seattle, e na Europa, África do Sul e Austrália. As imagens geralmente mostram pequenos contingentes (de um a três) homens mascarados usando roupas camufladas e segurando armas na frente da bandeira do The Base, um fundo preto com três linhas brancas no centro.

Ataques cometidos por extremistas de direita expressando visões de mundo e ideologias similares estão em ascensão. Recentemente, um suposto membro da Atomwaffen Division foi preso por planejar ataques terroristas contra uma sinagoga em Las Vegas.

Uma postagem de um suposto membro mostra um homem mascarado na frente de um transformador elétrico, segurando um livro conhecido por ser a bíblia de insurgência dos neonazistas, com a legenda: “A rede elétrica, como muitos outros tentáculos do sistema para manter a classe lêmingue gorda e feliz, é extremamente frágil e um alvo fácil”.

Uma série de outros posts mostravam uma “célula” na Georgia em treinamento com armas de fogo. Uma foto mostra um homem com um alvo de tiro pintado com a Estrela de Davi. Outras postagens pediam violência “olho por olho”.

O grupo também vem colando cartazes em várias cidades onde diz ter membros. Muitos dos cartazes apareceram em universidades, mas outros foram vistos em locais menos tradicionais, como um cardápio de drive-in em Newark. “Você quer um colapso da sociedade com seu café?”, dizia a postagem numa rede social mostrando o cartaz.

Alguns dos cartazes do The Base encontrados continham um código QR que traz ao recruta em potencial um vídeo intitulado “O que é o The Base?” no Bichute, um serviço de hospedagem de vídeos usado pela extrema-direita.

1565903192295-Screen-Shot-2019-04-01-at-132836
A postagem do cartaz em Newark. Screenshot da página agora deletada do The Base no Gab.

“Juntos vamos assegurar o futuro do nosso povo”, é a última fala do vídeo, ecoando um famoso slogan neonazista. Cartazes foram encontrados em Newark, Winnipeg, Seattle, Princeton e Milwaukee.

O grupo estaria planejando um “acampamento de ódio”, um acampamento de treinamento estilo paramilitar entre neonazistas no estado de Washington, segundo um grupo antifascista em Eugene, Oregon, que vem investigando o The Base. Um termo cunhado pela Atomwaffe Division, acampamentos de ódio visam unificar fascistas da internet, e fornecer a eles informações e habilidades para realizar ataques violentos.

O porta-voz da polícia de Spokane John O'Brien disse a VICE que a polícia está consciente do evento e investigando, mas que eles não acreditam que o acampamento vai acontecer dentro da cidade ou condado de Spokane.

“A localização foi compartilhada comigo”, disse O'Brien. “A única conexão com Spokane é a possibilidade de que membros do grupo possam chegar pelo nosso aeroporto e viajar para seu destino.”

O'Brien disse a VICE que se o grupo está conduzindo treinamento paramilitar numa propriedade privada com armas de fogo, “eles estão em seu direito de treinar”.

Para Joshua Fisher-Birch, um analista do Counter Extremism Project, uma organização dos EUA que observa grupos terroristas, o The Base apresenta uma “ameaça significativa”, porque eles estão tentando construir uma rede de “indivíduos em diferentes grupos, com apenas pequenas diferenças ideológicas”. Segundo Fisher-Birch, o grupo tem “combinado esforços de recrutamento online com esforços na vida real”, incluindo apoiar “violência de lobo solitário” e “compartilhar táticas terroristas”.

“O The Base é particularmente perigoso porque seu foco é em desenvolver e compartilhar habilidades úteis para terrorismo e guerrilha, como emboscadas, treinamento com armas e fabricação de explosivos”, disse Fisher-Birch. “Esse é um grupo radical que não apenas quer violência, mas está se preparando para realizá-la.”

The Base foi fundado por Spear no começo de 2018. Antes disso, Spear era um seguidor dos ensinamentos de Harold Covington e do Northwest Front, um grupo neonazista que queria criar um etno-estado ariano no Noroeste Pacífico. Spear apareceu em vários podcasts e livrestreams no YouTube de supremacistas brancos, onde falou sobre violência teórica como um meio para o fim e reclamou da falta de um movimento supremacista branco coeso.

The Base está aparentemente tentando resolver essas questões. O grupo, de maneira contraintuitiva, afirma que não endossa violência, mesmo com membros postando frequentemente sobre derrubar o “sistema degenerado” atual, e rejeita acusações de que o grupo lembra uma organização terrorista. De maneira interessante, “The Base” é a tradução em inglês para “Al-Qaeda”, o grupo jihadista responsável pelos ataques de 11 de Setembro.

A VICE cobriu inicialmente o The Base em novembro de 2018 e ganhou acesso a uma sala de bate-papo segura compartilhada pelos membros. Quando a matéria foi publicada, o grupo teve seu chat derrubado pelo servidor Matrix onde ele existia e passou para o Wire, um canal de comunicações mais seguro. Spear fornece um centro para fascistas se encontrarem, e indica um “treinador” para distribuir informação e ajudar a se organizar.

1565903174027-Screen-Shot-2019-08-15-at-45953-PM
Parte da biblioteca a que os membros tinham acesso na interação anterior do The Base. Foto via screenshot.

Os membros tinham acesso à “biblioteca” do grupo, uma página estilo Megaupload de PDFs e livros que exploravam táticas terroristas. Os livros abordavam táticas de terrorismo de lobo solitário, manutenção de armas, mineração de dados, táticas de interrogação e técnicas de contra-vigilância. Os usuários podiam aprender como fazer bombas e armas químicas em casa, e como conduzir uma limpeza étnica de pequena escala. A biblioteca também contava com muita propaganda e literatura neonazista, que os membros discutiam num chat de clube do livro separado.

Uma rede ativa de antifascistas vem lentamente desmascarando os membros anônimos do coletivo terrorista. Usando a hashtag Debased Doxx, a rede descobriu que vários membros são ex-militares. Postagens de membros afiliados em chats da extrema-direita mostram que o grupo ainda está se organizando na plataforma Wire.

A VICE tentou entrar em contato com Spear no Wire, mas nosso pedido não foi aceito.

Evan Balgord, diretor executivo da Canadian Anti-Hate Network, disse a VICE que seu grupo está observando o crescimento do The Base no Canadá, e diz que mesmo que o grupo pareça pequeno, seus membros são perigosos.

“Um pequeno grupo de indivíduos, motivados apropriadamente, mesmo com os materiais mais básicos, pode matar muitas pessoas e danificar infraestrutura de maneira significativa”, disse Balgord. “Grupos como o The Base, ou Atomwaffen Division, estão aqui e apresentam perigo, então devem ser listados como entidades terroristas e investigados pelas autoridades.”

O The Base e contas afiliadas foram banidos do Twitter e até da plataforma aberta a extrema-direita Gab por sua retórica violenta. Mas seu conteúdo ainda pode ser encontrado em alguns dos cantos mais escuros da internet, onde o número de participantes vem aumentando.

Siga o Mack Lamoureux e Ben Makuch no Twitter.

Matéria originalmente publicada na VICE Canadá.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.