​Fiquei Sem Beber e Não Foi Deprê

Aprendi que é possível parar de beber, não ser um babaca e realmente se divertir (na medida do possível).

|
22 Abril 2015, 2:33pm

Chegou um momento da minha vida em que uma noite de bebedeira acaba se convertendo em dois dias de ressaca. Meu organismo não é mais o mesmo para lidar com o álcool, e (pior ainda, neste ano de crise) meu bolso parece encolher cada vez mais.

No meu caso, parar de beber temporariamente foi uma escolha puramente estética que calhou de ser uma opção saudável. Estou fazendo uma dieta que simplesmente barra o consumo de carboidratos, o que faz qualquer bebida alcoólica cair que nem uma bomba atômica no meu organismo, tornando tudo uma grande tempestade de tristeza. Então, simplesmente optei por não beber durante esse período.

Com isso, descobri duas coisas sobre minha vida:

1. Sou mais dependente de álcool do que imaginava. Se você for uma esponja que nem eu, pense em interações sociais casuais de que você participou que não envolviam bebidas. Você alguma vez já saiu com seu amigo e não tomou um goró? Você já não achou uma boa ideia encher o cu de bebida e terminar sua monografia cujo prazo termina no mês que vem? (Não aconselho). O álcool está presente na maioria das situações que não envolvam trampo (quer dizer, depende do que você faz). Isso pode ser meio triste.

2. Explicar sua escolha para outras pessoas é uma merda, porque ninguém acha justificável parar de beber se não envolver cirrose ou delegacia. Às vezes, é tão chato explicar que gostaria de dizer que tenho câncer. Como tenho medo de apanhar na rua, aprendi que o silêncio e a paciência de um monge tibetano com pessoas curiosas são o melhor caminho.

Colocadas essas descobertas, me perguntei desesperadamente como iria continuar celebrando minha juventude. Será que teria de começar praticando esportes? Deveria lançar um blog de dietas? Será que me tornar um pária na sociedade é a única coisa que me resta?

Talvez seja sacanagem publicar isso logo depois de um feriado prolongado, mas né?

IR A UMA BALADA ONDE VOCÊ (REALMENTE) GOSTE DO SOM

Não beber é um saco, especialmente quando você está numa balada ou num local onde tudo envolva álcool (ex: qualquer lugar). Para mim, segurar uma cerveja ou um drink na mão era um baita quebra-galho, porque odeio interagir com pessoas que não conheço e também porque não sei dançar absolutamente nada. Para você ver como o álcool é um estepe bastante poderoso para quem odeia situações sociais. Talvez isso explique o problema de alcoolismo, sei lá. Quando fui à minha primeira festa sem poder beber uma gota de álcool, não dancei, não conversei com meus amigos alcoolizados (óbvio, né?) e passei quase 70% do meu tempo na área de fumantes lendo alguma porcaria no celular. Foi chato.

O truque que descobri é sempre fazer o possível para colar numa festa em que você vá amar a música e cuja pista de dança seja sua vida e o DJ, seu Deus. Não estou falando que é fácil, porém ajuda você se divertir e não parecer mais um pau no cu na noite.

É crucial que você goste das pessoas que estão indo com você e a balada também não se resumir a tatuados blasés que vão julgar seus passos fracos de dança.

NÃO JULGAR AS OPÇÕES DE BEBIDAS SEM ÁLCOOL

Na imagem acima, eu estou não julgando as opções sem álcool. Fotos por Vinicius Cavalcanti

O negócio aqui é o seguinte: tomar refrigerante ou água a noite inteira é uma merda. A menos que você curta arrotar a noite toda na cara das pessoas ou transar a ideia de ir mijar a cada 10 minutos. Meça seus preconceitos, parça. Existem cervejas sem álcool no mercado que dão pro gasto e não fazem você se sentir um adolescente tomando cinco latas de energético em seguida. Se você for mais sofisticado, pode pedir para o bartender fazer um Virgin Mary para você.

O barman vai te zoar, seus amigos vão te zoar (veja item "AVISE SEUS AMIGOS") e você vai sentir a grande solidão que é não beber. Porém, pense na ressaca que eles vão ter no dia seguinte depois de acordar ao lado de uma pessoa com "fé, foco, força" tatuado no pescoço.

1000 x 0 para os abstêmios.

ARRUMAR UMA ATIVIDADE

Pense nos dias que você desperdiçou enchendo a lata. Pense em todo o dinheiro que você está economizando ao não consumir uma lata de cerveja por R$ 15 em alguma balada. Pense em todos os minutos que você queimou fazendo aquela DR bêbado. Sim, não beber pode ser legal no final das contas; por isso, é interessante canalizar toda essa nova energia para uma atividade prazerosa que não envolva ficar 100% loucão. Isso também pode ser bastante útil para te distrair dos pensamentos de estourar os miolos que irão te consumir em certos momentos nos quais você só gostaria de secar todo o estoque de bebida do boteco da esquina.

Não tenho a mínima ideia do que você pode fazer. Até seria uma boa ideia usar o tempo que você ficaria de cueca jogando um game para praticar um esporte.

Mas, honestamente, você tem saco para esportes?

DAR RISADA DOS SEUS AMIGOS BÊBADOS

Bêbado fala enrolado, tropeça bastante e, às vezes, chora sem motivo nenhum. O que mais você tem de bom para fazer nessas horas?

Depois que esta foto foi tirada, baixei um álbum do Earth Crisis, colei no Verdurada e garanti minha virgindade por mais um dia. xMarlborox.

NÃO SER UM BABACA E TER MAIS EMPATIA

Regra de ouro. Você pode ficar bastante irritado com a falta de álcool. Falo isso, porque me tornei um monstro no primeiro mês em que deixei de entornar o caneco; por isso, é importante você dar um tempo na agitação para não virar o arrombado da roda, que vive reclamando de como sua vida é uma merda.

Seus amigos e as pessoas ao seu redor vão continuar bebendo para se divertir. Seu brother ainda vai achar legal tomar catuaba e vomitar roxo. C'est la vie, fera. Não tente pregar seu novo estilo de vida para seus amigos ou agregados, tente não reclamar nas redes sociais. Porque, na moral, ninguém se importa. Apenas aceite que isso está acontecendo; afinal, é você quem escolheu isso. Fique tranquilo, abra uma cerveja 0% e brinde sua nova fase sem ressacas e conversas de WhatsApp constrangedoras no meio da madrugada.

AVISAR SEUS AMIGOS

Não estou dizendo que vocêdeva sair por aí usando uma camiseta do Madball, mas vamos admitir que amigos costumam fazer uma boa pressão social para que o goró nunca falte no seu copo.

Seja categórico, diga não. E não é uma boa ideia fazer um amigo teu ir na sua onda, porque, na primeira peidada de missão que ele der, só será mais um incentivo para voltar a beber. Eles vão entender, te chamar de arrombado, de straight edge, mas eles ainda são seus amigos no final do dia e vão te ajudar a curtir uma festa ou um bar sem preconceitos.

A menos que seus amigos usem crack. Não ande com amigos que usam crack.

USAR OUTROS LANCES

Autoexplicativo.

Você, leitor perspicaz e ligeiro, já deve sacar que essa é a opção mais mamão-com-açúcar para driblar a falta de álcool. Mas, se você for esperto mesmo, também sabe que isso é ilegal. Mas será que você apenas não está trocando um peido por uma cagada?

Maconha te dá fome e THC pode dar ruim. Cocaína é muito anos 80 e é superdeprê. Barbitúricos também são deprê. Tomar ácido e derivados poderia ser uma, porém não aconselho a gastar dinheiro e saúde dropando um para colar num boteco.

Se você parou de beber por motivos de saúde, ignore esse item. Ou não, o rabo é todo teu.

Pra fechar a tampa, vou dar um golpe baixo e revelar que, quando coloquei na ponta do lápis o quanto gastava com goró, descobri que bebo 16% do meu salário.

Se nada disso faz sentido pra você, é porque você provavelmente acha que parar de beber é para fracassados, e eu não sou obrigada a fazer você mudar de vida.

Divirta-se.

Obrigada. De nada.