Publicidade
Editorial

Hoje é um dia sombrio para a liberdade de imprensa

Nossa resposta à decisão de hoje da Suprema Corte do Canadá.

por Equipe VICE; Traduzido por Marina Schnoor
30 Novembro 2018, 6:21pm

Pensamos em começar este editorial com a declaração desafiadora “o jornalismo está sob ataque”. E é verdade. Mas o que também estamos sentindo hoje é uma profunda decepção – que nossa sociedade tenha falhado em reconhecer a importância de uma imprensa livre e independente.

Hoje, a Suprema Corte do Canadá decidiu contra o repórter da VICE Canadá e da VICE Internacional Ben Makuch, ficando ao lado da Polícia Montada Canadense que exigia acesso às notas de Makuch relatando uma série de entrevistas que ele conduziu com um suposto membro do ISIS em 2014. Promotores da força policial canadense argumentaram que precisavam das notas para construir um caso contra Farah Shirdon, um homem de Calgary que teria se juntado ao ISIS no Iraque e Síria em 2014. O exército norte-americano diz que ele foi morto num ataque aéreo em 2015.

Advogados da VICE Canadá argumentaram sem sucesso em três níveis do tribunal que a Polícia Montada estava basicamente obrigando um jornalista a ser um agente do Estado. Com essa decisão pendendo na balança há anos, Makuch continuou produzindo jornalismo importante e corajoso sobre questões sensíveis e perigosas. A decisão de hoje sem dúvida terá efeitos nas fontes, que podem ficar relutantes em falar com repórteres, e nos próprios jornalistas, que podem ficar menos inclinados a cobrir questões difíceis.

Apesar de nossos advogados terem perdido, acreditamos fortemente que o jornalismo – que está sob ataque no mundo inteiro – precisa ser livre da intervenção do Estado.

Os últimos anos têm sido difíceis para o jornalismo, com agentes estatais ou não usando métodos insidiosos para minar o jornalismo independente, como o presidente dos EUA Donald Trump chamando jornalistas de “inimigos do povo”, trolls russos criando fake news no Facebook, e assassinatos patrocinados por governos de jornalistas.

O ambiente atual é fisicamente perigoso para jornalistas e existencialmente problemático para uma democracia saudável.

Mesmo no Canadá, onde o primeiro-ministro liberal Justin Trudeau já falou sobre o direito da mídia de fazer seu trabalho e seu governo anunciou recentemente $600 milhões em financiamento para organizações de mídia, temos visto outras incursões perturbadoras no nosso trabalho. Justin Brake, repórter da Aboriginal People's Television Network, encara acusações criminais por uma história que cobriu, e descobrimos que a polícia de Quebec espionou vários jornalistas na província.

Não deveria ser preciso dizer: é melhor para todos quando o jornalismo opera livremente, sem interferência do Estado. De outra forma, líderes seguem sem ser responsabilizados, grandes corporações minam as eleições, e as histórias dos membros mais vulneráveis da sociedade não são contadas. Pode parecer hipérbole, mas é só olhar as manchetes recentes de qualquer grande publicação para ter uma prova de que essas coisas estão acontecendo.

A cobertura justa e crítica de governos, instituições e da polícia é um princípio central do nosso jornalismo na VICE. A decisão de hoje não vai mudar isso. Não vamos ser intimidados para deixar de cobrir os agentes de poder globalmente, e de contar as histórias que importam.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Tagged:
vice
Canada
ben makuch
liberdade de imprensa