Publicidade
Entrevista

Este cara coleciona estiletes de cadeia

Falei com ele para perguntar: por quê?

por Tom Usher
27 Junho 2017, 11:00am

Esta matéria foi originalmente publicada na VICE UK.

(Todas as fotos cortesia de @artisanal_prison_shanks )

Colecionar facas é um passatempo até que bem popular. Entre ateístas do Reddit, fãs do Soulcalibur ou gente simplesmente solitária e assustadora com pelo menos uma tatuagem do Azrael e um guarda-roupa cheio de regatas arrastão, deve haver centenas de milhares de lâminas por aí, orgulhosamente expostas em vitrines ou coladas na parede de algum quarto com cheiro de chulé.

Na maioria das vezes, os colecionadores tendem a preferir facas que são "esteticamente agradáveis", de boa fabricação ou que representam algum tipo de interesse de nicho por exércitos do século 17. Mas esse não é o caso do "Artisanal Prison Shanks", uma página do Instagram que posta fotos de estiletes fabricados por prisioneiros com lápis HB, escovas de dente e madeira afiada.

Para descobrir por que alguém ia querer colecionar esse tipo de coisa, bati um papo com o dono do perfil — que preferiu se manter anônimo — para entender o que se passa na cabeça dele.

VICE: Oi. Por que você decidiu fazer essa página?
Artisanal Prison Shanks: Sempre me interessei por esse tipo de objeto. Eles me parecem esteticamente agradáveis pelo fato de que são construídos por pura funcionalidade, usando os materiais disponíveis. Só achei que mais gente poderia querer vê-los.

Você tem medo de que as pessoas pensem que você é um maníaco violento, ou, pelo menos, que está glorificando essas armas?
Com certeza. Por isso tenho que manter tudo isso por baixo dos panos. É meu segredo sombrio. As pessoas acham que sou meio psicopata por gostar desse tema, e, sim, entendo o porquê. Quer dizer, não é o tipo de coisa que você coloca na sua bio no Tinder.

É melhor não colocar mesmo. Mas como você começou? Você já esteve preso?
Não, nunca estive na prisão, mas lembro de ouvir sobre estiletes de cadeia num documentário nos anos 90 e depois ver ao vivo numa venda de curiosidades nos EUA. Sempre gostei de arte popular e arte outsider, e quando vi as peças pensei nelas menos como armas e mais como esculturas.

"Pra dizer a verdade, acho que essa é uma má hora para dizer que sou pacifista."

Quantos estiletes você tem?
Na minha coleção pessoal tenho cinco, mas são peças que eu mesmo fiz — um hobby. Quando estava nos EUA, eu tinha mais seis que comprei em leilões e lojas, mas tive que deixá-los para trás.

Você faz esses estiletes?
Bom, sim, porque não encontrei muitos estiletes de cadeia à venda aqui no Reino Unido. As prisões destroem essas coisas quando encontram, mas nos EUA alguns guardas as tiram escondidos da prisão, mesmo sendo crime federal.

Então os estiletes são vendidos nos EUA como itens de colecionador?
Sim. Não é merchandising oficial das prisões, claro, mas você consegue comprá-los nos EUA. Já vi gente no Instagram vendendo estiletes norte-americanos por US$25 cada [cerca de R$ 75]. Mas você não encontra isso no Reino Unido.

Por que é ilegal?
É ilegal comprar e vender certos tipos de facas aqui, e como estiletes entram na categoria de facas "disfarçadas", "stealth" ou "zumbis", são ilegais de comprar, vender ou mesmo ter em casa. Dito isso, guardando esses estiletes por propósitos artísticos, você pode ter isso em casa, desde que não ande com um desses na rua. A mesma lei que permite que você compre facas por arte se aplica a lâminas usadas em cerimônias religiosas ou exibições públicas, basicamente.

OK. Você tem um estilete favorito?
Gosto dos que são feitos de itens totalmente inofensivos do dia a dia.

Tipo?
Tipo estiletes de escova de dentes. Todo detento tem uma escova de dentes, e a maioria tem um isqueiro ou fósforos. Aquecendo a ponta do cabo você pode moldar qualquer forma, colocar um pedaço afiado de metal nele, e pronto: um estilete com cabo. Mas você não precisa realmente de um pedaço de metal. Você pode simplesmente aquecer o plástico, esfregá-lo na parede e fazer uma ponta afiada.

Mais estiletes.


É por isso que você gosta tanto desses estiletes, pelo modo como foram feitos?
Sim, gosto muito do trabalho por trás deles. Ver como foram feitos usando apenas materiais que eles encontram nas celas ou nas prisões. A criatividade é impressionante. As pessoas fazem estiletes de todo tipo de coisa. Ouvi histórias de um cara que fez um estilete com balas. Só alguém que passa o dia inteiro trancado numa cela pensaria nisso. É uma coisa meio Apollo 13. Você só tem esses materiais, não pode comprar nada na loja. Você tem que usar a cabeça.

De que prisões são os estiletes que você expõe?
Não sei sobre aqueles que só postei no Instagram. Todos os que tenho são reproduções, mas vi alguns que vieram de instalações correcionais no Tennessee, e um estilete que foi usado num homicídio em 1981.

Então você sabe que alguns deles realmente foram usados para ferir pessoas?
Tenho certeza de apenas um ou dois. O resto, você tem que supor que eles foram feitos para fazer isso, já que eram de prisões. Falei com o dono de um estilete particularmente bizarro, e ele disse que a peça tinha sido usada para matar um detento nos EUA.

Isso te preocupa, o fato de expor esses estiletes assim? Ou você vê uma beleza na violência?
Bom, pra dizer a verdade, acho que essa é uma má hora para dizer que sou pacifista. Entendo como algumas pessoas veem beleza nisso, mas não eu. Gosto deles como objetos colecionáveis.

Quais são seus planos para sua coleção além da página do Instagram?
Eu esperava vender alguns dos meus estiletes para levantar dinheiro para organizações sem fins lucrativos que atuam em prisões – gente que vai até as cadeias e fornece arte como terapia para os detentos. Muitas obras de prisioneiros são vendidas por milhares de dólares ou libras, então espero que as pessoas acabem enxergando a beleza artística por trás desses estiletes.

@williamwasteman

Tradução: Marina Schnoor

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.