Rica Pancita analisa os lançamentos da sexta #30

Vamos parar por uns instante para completar as três dezenas de semanas de muito suor, sangue e lágrimas musicais nas playlists só com as #boas do período, custe o que custar.

|
02 Junho 2017, 8:09pm

Sexta Lançamentos número 30.

TRINTA.

Trinta semaninhas caçando discos nesse mundão imenso de lançamentos de discos. Ow, é #trampo isso aqui cara. Cês vê a zueira mas não vê os #corre. E, ultimamente, tô pensando em dormir só duas horas na sexta e tomar o complexo vitamínico ACELERA SP pra conseguir dar conta de tudo. Hoje não deu tempo nem de dar uma passada nos meus k-pop pra ver o que que apareceu de novo.

De cabeça, o que que eu pulei que vocês podem ouvir por conta aí e depois me falar qual que é: El Mato a un Policia Motorizado, Nickelback, Alok, Rancid, Orishas, Riff Raff, etc etc. Fora os que ficam lançando 1 single por semana (Mallu Magalhães) que pelamor ficar soltando as músicas de pouquinho em pouquinho.

Enfim, lutei o quanto pude para trazer uma playlist #top com lançamentos #top, E O RESULTADO FOI ESSE (segue abaixo o resultado):

----AS SIMPLESMENTE SHOW----

Phoenix - "Goodbye Soleil"
Os cara chegaram com a lentinha-do-Daft-Punk. A diferença é só que o Daft Punk chama alguém com voz melhor pra cantar as lentinhas. De resto, segue o padrão da lentinha french house.

Roger Waters - Is This The Life We Really Want?
Achei #baita disco. É como se fosse um novo The Final Cut, mas dessa vez ele achou melhor não chamar a si mesmo de Pink Floyd. Mas é como se fosse. Curti bem.

RZO - Quem Tá no Jogo
PQP eis aí um disco de rap. Receba. Faz tempo que não ouvia algo tão bom de rap brasileirinho em qualquer aspecto que possa fazer parte de um disco de rap brasileirinho (letra, batida, melodia, sample, qualquer coisa). Só "A Viagem" que não curti não (motivos óbvios).

Major Lazer - Know No Better EP
Voltando ao tema "esse ano vai ser vários ragga e vertentes de pop latino guela abaixo", tá aí o produtorzão apresentando as criações Primavera/Verão 2017/18 incluindo a Anitta, nessa que foi a "Semana Anitta". As músicas são boas, como eu achava bons os traps naquela época que a Mad Decent lançou o single do Baauer. Aí hoje nóis aguenta o resultado. Então é bom e preocupante ao mesmo tempo.

Wesley Safadão - "Ressaca de Saudade"
Bom arrochão. Basicamente é isso. Som top.

Melanina Carioca - Nuvem
Isso aqui num vai tocar pouco aqui no Rio não, viu. Na FM O Dia vai ser isso o dia todo. E as músicas são boas mesmo, num vou mentir.

Amber Coffman - City of No Reply
No fim das contas, a Amber acabou escondendo o jogo ao colocar umas fraquinhas como single antes, daí eu já esperava pelo pior. O disco é bom a nível de pop que tenta dar uma variadinha no pop. Dá pra ouvir na maior.

Curumin - Boca
Mó viagem. Em um primeiro momento eu curti pouquinho só, talvez num segundo momento em que eu esteja mais #relax eu vá ouvir esse disco novamente e, talvez, quiçá, quem sabe, eu possa achar legal. Tem seus momentos mais suingadão e tal que hoje eu tô preferindo.

Beach Fossils - Somersault
Metade do disco já tinha sido lançado como singles e singles e singles (e singles). A outra metade que ficou escondida também tá indiezão de altíssima qualidade. Bom bem bom.

2 Chainz - "4 AM"
Ow, mas é trap esse som aí? Porque tá escrito "TRAP" bem grandão na capa, mas não achei o som TRAP. O mais provável é que tô totalmente perdido quanto a gêneros musicais contemporâneos. A outra hipótese é que eu tô dando moral pra uns trap aí.

Harmonia do Samba - Hoje (2017)
Eu coloquei o (2017) aí porque no ano passado eles fizeram a mesma coisa: um disco chamado Hoje (com as inéditas) e uma chamada Ontem (#descubra). Como grande representante do pagode baiano, fizeram um bom disco com vários suingues que você pode ouvir junto da família (tem umas bandas de pagode baiano que é melhor não ouvir com a família não).

Marika Hackman - I'm Not Your Man
Esse disco sinceramente não deu pra ouvir inteiro, eu tava ouvindo enquanto revisava o texto aqui e agora tô com fome e quero almoçar. MAS AE: Até a música oito ("Time's Been Reckless") correu tudo show, só no rockinho indie bem cantadinho. Curti bem. Aí não imagino que a outra metade do disco seja horrível. Então é bom, confio no meu julgamento.

----AS BOAZINHA ATÉ (OU SEJA, TODAS MENOS O ALT-J)----

Meek Mill - "Whatever You Need"
Sonzinho bem na moral, na pegada do #romântico. Tem uns timbre de funk melody (como o famoso cowbell de funk melody) que eu nunca serei contra esses timbre.

Krewella - "Love Outta Me"
Popzinho desses aí voz feminina que tem vários. A diferença é que o momento "dedinho pro alto" tem uns instrumentos indianos e pá. De resto é esses popzinho aí.

Liam Gallagher - "Wall Of Glass"
Tá bonzinho. Nada além do esperado pra uma música do Liam Gallagher. Tem lá uma bateria eletrônica pra dar um tchans mas é aquilo lá mesmo. Mas é bonzinho.

Anitta - "Paradinha"
Aí a #Warner decidiu que a Anitta vai ser o novo rosto (e resto) do pop latino a nível mundial. Como diz o adesivo lá: "sorria, você está sendo MANIPULADO". Aí vamo lá, caso você não tenha ouvido ainda, o que acho difícil, a batida segue meio o pop padrão da Anitta mesmo, com #aquele toquezinho de reggaeton Shakira e um espanhol que até agora não vi ninguém reclamando da pronúncia, então deve tar cantando bonitinho mesmo. Ou seja, bonzinho.

Foo Fighters - "Run"
A intro dá uma enganada de "lá vem merda", mas quando entra o riffzão melhora bem (BEM). Não é das melhores deles, mas tá longe de ser ruim também.

Fifth Harmony - "Down"
Bonzinho o pop aí, se tiver tocando no rádio do táxi eu não vou reclamar não. Se cê curte uns pop de FM, tá aí.

Arcade Fire - "Everything Now"
É daquelas músicas super pra cima do Arcade Fire, de amigos abraçadinhos pulandinhos. Termina com corinho "lá lá lá lááááá lálálá". Achei bonzinho, nada "uou caralho hein que musicão". Bonzinho.

A Banda Mais Bonita da Cidade - De Cima do Mundo Eu Vi o Tempo
Olha que achei até que #aceitável, viu. MPB da turma do teatro, conforme esperado, porém zero cafona as músicas. Então no fim, fazendo a soma dos fatores, dá um disco ok até.

Braza - Tijolo por Tijolo
Isso aí tem gente do Forfun participando ou é tipo um novo Forfun? Porque o som é Forfun. Nada contra, inclusive até gosto. Mas gosto de uma música ou outra, um disco inteiro não dá. Mas vá lá, é bonzinho.

Lorde - "Perfect Places"
Outro pop da Lorde que sei lá, tanto faz, os dias são iguais. É boa, mas dá a impressão de ser igual a tudo que não for "Royals".

Ne-Yo - "Another Love Song"
Suingadinho gostoso de tar ouvindo, mas já lançaram sonzinho suingadinho assim de baciada uns anos atrás.

Broken Social Scene - "Skyline"
Essa daí tá mais Arcade Fire que a música do Arcade Fire. Mas também é aquele Arcade Fire Neon Bible que pra mim tanto faz. É boa, mas os caras repetindo a mesma frase o tempo todo incomoda.

The War On Drugs - "Holding On"
Galera hoje tá na pegada do indiezão. Esse aqui é batida animadona de tocar em pistinha de festa indie (caso ainda exista esse tipo de festa no território nacional).

Dan Auerbach - Waiting on a Song
Uma hora eu simplesmente desconcentrei total e esqueci que tava ouvindo o disco. Até porque é uns pop rockinho na pegadinha dos 60 que é até de boa ouvir, mas também não traz reação nenhuma.

----O ALT-J----

alt-j - Relaxer
Chatinho até umas hora hein, amigão. Meu Deus. Disco de rockinho indiezinho de oito músicas, que na quarta eu já não tava suportando mais.

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.