Tapão na cara profissional é o maior esporte do mundo

Você não vai querer entrar numa briga de tapas com o russo conhecido como Bolinho.

por Mack Lamoureux; Traduzido por Marina Schnoor
|
21 março 2019, 5:43pm

Uma foto de Bolinho fazendo o que ele faz melhor. Foto via Dmitry Kotov. 

O vídeo que roubou meu coração começa bem simples, dois homens se encarando por cima de uma mesa branca.

De um lado temos um homem pra lá de grande de blusa azul, na frente dele um cara minúsculo de jaqueta verde e cachecol. Os dois se inclinam sobre a mesa enquanto uma plateia considerável assiste. Os dois se encaram, outro homem (o juiz?) toca no ombro dos dois e é hora. Eles começam a se estapear – mas muito educadamente, esperando pacientemente o outro terminar para ter sua vez.

Eventualmente, o cara de verde coloca os braços atrás das costas e espera o próximo tabefe. Nosso parrudão levanta seu braço de tora e premia nosso garoto de verde por sua arrogância com um dos tapas mais fortes da história da humanidade.

Essa... essa linda arte é um resultado do Campeonato de Tapa Masculino, que, segundo a mídia russa, foi realizado no final de semana na cidade siberiana de Krasnoyarsk. O evento era parte do Siberian Power Show – que incluía fisiculturismo, levantamento de peso, competição de dança e um concurso de comer bolinhos. A disputa de tapas aparentemente começou no Sarychev Power Expo do ano passado.

As regras são simples, você se aproxima da mesa branca, fica na frente de seu oponente e dá um tapa na cara dele, aí, se ele escolher revidar, você leva um tapa na cara. Os participantes repetem esses passos tantas vezes quanto for necessário, até que um deles desista por vontade própria ou seja nocauteado. Também parece que eles passam pó de giz nas mãos pra, tipo, mostrar o poder do tapa, acho?

E o vencedor ganha mais do que só a satisfação de estapear alguém! Este ano, o homem com o melhor tapa da Sibéria levou pra casa 30 mil rublos russos – quase R$1.800. O homem que colocou suas mãos ardidas nessa grana? Vasily Pelmen, um gigante de cerca de 168 quilos de puro poder de tapa – segundo um repórter, Pelmen atende pelo sensacional apelido de Bolinho.

(Todos os gifs vieram do vídeo acima e quero agradecer do fundo do meu coração quem fez eles.)

Sim, a competição é bem simples, mas os resultados, como um bife gostoso no ponto ou a presença calmante de um gato ronronando, vai muito além de sua simplicidade e entra no reino de uma beleza quase existencial. Talvez desde os dias dos gladiadores nunca tivemos uma competição mais perfeitamente atlética que dois russos estapeando a cara um do outro.

Segundo o vídeo acima, o menino Bolinho avançou com facilidade na competição como o equivalente russo do Montanha do Game of Thrones. Um siberiano atrás do outro caiu diante da majestosa mão aberta do Bolinho. O que incluiu ele derrubando o carinha de verde e tirando a camisa para encarar outro estapeador descamisa. Essa rodada durou um certo tempo, com Bolinho fazendo o oponente cambalear várias vezes até ser declarado vencedor. No final dessa rodada, Bolinho já sabe que ganhou, e bate mais leve no oponente para não causar mais danos, porque nosso Bolinho, como todo grande guerreiro, sabe que misericórdia é uma virtude.

Tem outras duplas se estapeando no vídeo, mas quem quer ver um tapa menor? Tipo, olha o gif abaixo. É um bom tapa, mas não tem o je ne sais quoi que o Bolinho (que fico confortável em dizer que é o Muhammad Ali do tapão na cara) possui.

Depois de passar pelo cara sem camisa, Bolinho entra no que (acho) é a rodada final, e encara um homem mais velho de camisa polo branca. Dá pra sentir o gosto da tensão no vídeo enquanto os dois atletas de alta performance se encaram. O grande público assiste segurando a respiração, eles estão prestes a testemunhar história. Por cima da mesa branca os atletas se olham nos olhos. Esse é o momento para o qual eles treinaram em toda sua carreira de tabefes. É o vai ou racha. Olha, acredita no que estou te falando, Bolinho veio pra estapear.

Enquanto o homem mais velho conhece bem seus movimentos, sim, e consegue tirar um poder considerável de seus braços, ele simplesmente não é páreo para o nosso menino.

Depois que o oponente consegue de algum jeito sobreviver (ou seja: é segurado pelos amigos quando está caindo) ao doce toque do Bolinho, ele se levanta para outro golpe. Mas essa é a vida real e não um filme de esporte, não vai ter uma história de Cinderela para nosso homem da polo branca.

E o Bolinho faz questão de garantir isso.

O homem de branco, que nesse ponto conseguiu se recuperar incrivelmente bem, estapeia Bolinho com força, mas não está pronto para o tapa que está prestes a receber do grande atleta da nossa geração. Nem preciso dizer, mas quando Bolinho acerta nosso Homem da Polo, ele desmaia. O juiz entra e sinaliza com um X que a partida acabou, aí os médicos entram para salvar nosso Homem da Polo. Uma decisão acertada, porque um terceiro tapa do Bolinho provavelmente teria arrancado a alma do Homem da Polo do corpo dele.

Depois disso, Bolinho vence ou os juízes decidem que não vão ser cúmplices de assassinato por tapa pelo nosso menino. Nosso doce Bolinho.

Dane-se Mike Trout, Tom Brady e LeBron James, Bolinho é o grande atleta de 2019.

Siga o Mack Lamoureux no Twitter.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Mais VICE
Canais VICE