FYI.

This story is over 5 years old.

Noticias

O Fuzil mais Famoso do Mundo Está Passando por um Rebranding

A icônica AK-47 vai ser descontinuada.
05 Dezembro 2014, 11:00am

Depois de anos sendo um dos símbolos mais conhecidos de morte e destruição em todo o mundo, os fuzis soviéticos Kalashnikov (o mais famoso deles sendo a AK-47) estão ganhando um rebranding para se alinhar à nossa era moderna.

Desde a Guerra Fria, o equivalente americano da M16 esteve nas mãos de crianças-soldado na África e serviu de arma icônica para Gaddafi e o Talibã. A arma tem até uma versão pirata chinesa. Poucos vão negar que sua durabilidade resistiu aos testes da guerra: você pode enterrar uma Kalashnikov no deserto iraquiano por 20 anos, e ela ainda vai disparar quando for desenterrada.

Para quem nunca atirou com uma AK-47, o fuzil resistente a areia não é perfeito. As rajadas são maiores, e é difícil controlá-lo no modo totalmente automático. Então, há uma razão para soldados ocidentais preferirem fuzis mais leves e precisos. Mas o fato é que a Kalashnikov deve ser a façanha de engenharia mais impactante do ex-império soviético.

Com a Rússia tentando agora reafirmar seu lugar como superpotência militar, a companhia Kalashnikov está passando por um rebranding. De acordo com a Sputnik News, a agência de mídia estatal, a Kalashnikov Concern (o título oficial da maior produtora de armamentos do país) está criando uma nova estratégia corporativa com planos que se estendem até 2020.

De acordo com o site RT, a Kalashnikov Concern pagou mais de US$ 380 mil para modernizar a imagem da marca. O resultado: a reestruturação de suas marcas militar, civil e esportiva, além de uma nova linha de trajes de sobrevivência e facas de caça.

Já sendo a maior produtora de fuzis do país, a Kalashnikov disse que nem todas as novas linhas de armamento vão compartilhar a mesma marca visual da AK-74 e dos demais fuzis AKM. Os próximos armamentos militares/policiais terão um novo logotipo, que integra o pente de balas curvado icônico da AK-47 a um K em vermelho.

"É impossível competir na indústria mundial de armas sem uma marca forte", afirmou a companhia.

Parte da estratégia de rebranding da Kalashnikov também inclui um novo slogan, traduzido normalmente como "Protegendo a Paz". No entanto, o slogan em russo também pode ser lido como "Armas pela Paz" ou "Armas do Mundo" – dependendo da interpretação da palavra mir. O que pode sugerir que a Kalashnikov se orgulha da onipresença das suas armas de fogo.

A AK-47 é, possivelmente, a arma mais facilmente reconhecível da Terra. Quantos fuzis conseguiram chegar a uma bandeira nacional ou ao rosto de um rapper de Miami?

A verdade é que, seja lá qual for sua versão favorita da AK, o fuzil russo ocupa um lugar dominante na cultura pop como um emblema das forças antiamericanas. Parece que, em qualquer zona de conflito onde as forças dos EUA se metam, o inimigo sempre carrega uma AK.

E como a Kalashnikov atesta em seu site, em mais de 60 anos, 100 milhões de seus fuzis já foram fabricados – sem falar em versões piratas disponíveis em feiras ilegais de armas pelo mundo afora.

Atualmente, poucos especialistas militares vão discordar da eficácia da arma. Além disso, pelo que a mídia revelou do novo plano, a companhia afirma que a arma vai ser o novo rosto da "paz" pelo mundo, uma medida que visa a ajudar a ressuscitar sua imagem como a marca das sanções ocidentais de armamento contra a Rússia. O rebranding pretende legitimar a reputação da companhia e expandir seus mercados, tanto doméstica como internacionalmente.

A questão é: por que mexer em time que está ganhando? Que outra produtora de armas tem o mesmo registro de sucesso? A resposta pode muito bem ser esta: os fabricantes russos estão partindo para uma atualização de seus sistemas de armas com o objetivo de forçar potenciais compradores a fazer novas aquisições.

Se esse rebranding significa ou não o fim da clássica AK-47 como conhecemos, isso ainda é um mistério. Mas é certo que seu impacto cultural e notoriedade viverão para sempre. Afinal de contas, nas palavras toscamente traduzidas pelo Google de Mikhail Kalashnikov, o pai de todos os rifles AK: "Uma arma de fogo precisa ser linda como uma mulher, ela precisa se encaixar nas suas mãos perfeitamente e te fazer querer pegá-la."

Tradução: Marina Schnoor