Outros

Guia VICE para sobreviver à sua primeira festa de casamento da vida adulta

Dicas básicas para passar incólume e não dar um baita vexame no dia de celebração mais ‘belo, recato e do lar’ da vida’ dos seus amigos que aparentemente são mais felizes e maduros que você.
MS
Traduzido por Marina Schnoor
20 Junho 2016, 5:00pm
Provavelmente essa foto "não posada" demorou uns 40 minutos para ser tirada. Foto via Lindsey Child.

Matéria originalmente publicada na VICE UK.

Péssimas notícias: todos os seus amigos estão ridiculamente felizes e apaixonados, e querem dar uma festa de 20 mil paus para comemorar. Estamos em plena temporada de casamentos, e se você tem entre 25 e 26 anos, provavelmente acabou de ser convidado para o seu primeiro. Talvez seja aquela sua amiga um pouco mais velha que já tem um apartamento financiado, aí não é surpresa. Talvez seja aquele cara que já tem dois filhos e quer fazer tudo certo agora. E talvez, o mais terrível de todos, são duas pessoas da sua idade, num relacionamento a menos tempo que o seu, e que parecem... estar... realmente... felizes? Jesus. Nada melhor que a temporada de casamento para mostrar o quanto você está perdido nessa vida.

Mas talvez você nunca tenha ido ao casamento de um amigo antes. Sim, quando você era criança, casamentos eram uma puta diversão: você podia escorregar de joelhos na pista de dança, ou arranjava uma parte legal na cerimônia, tipo jogar pétalas de flor, e depois tomava um monte de Coca-Cola, comia muito bolo, ficava superagitado e desmaiava lá pelas 9 da noite. Pra quem é criança, casamento é ótimo. Já para os adultos, a realidade — seus colegas encontraram o amor numa época de mensagens visualizadas e nunca respondidas e Tinder — pode ser um tanto quanto angustiante. Então aqui vai como sobreviver ao seu primeiro casório:

A noiva pode te obrigar a usar um vestido roxo, porque essa é a única chance na vida dela de te fazer usar roxo. (Foto via Robert Kintner.)

CASAMENTOS DEPENDEM DE MUITA LOGÍSTICA

A primeira coisa que você vai notar quando for convidado para um casamento é um cartão de "Save the Date" (um papelzinho que vão te mandar pelo correio, correio mesmo, te dizendo para manter um final de semana num futuro distante livre, como se você fizesse planos com tanta antecedência assim). É tipo um cartão dizendo "Por favor, no sábado do mês tal, dia tal, hora tal, não fique bebendo em casa sozinho. Venha para tal cidade do interior participar de uma festa celebrando nosso amor". Passe o cartão do Save the Date pelas suas mãos, vire algumas vezes, sinta a textura desse item caro de papelaria. Esse cartão está pedindo seu tempo. Esse pedaço de papel A5 está fazendo os planos de um final de semana por você. Foda-se, papelzinho. Foda-se.

O que a maioria faz com o cartão de Save the Date é colocar numa prateleira qualquer e esquecer que ele existe.

É por isso que as pessoas mandam os convites: para te lembrar, direito, que você já concordou em desistir daquele tal final de semana, que você vai dar às costas aos deuses da diversão e comprometer seu tempo com os senhores do matrimônio e da monogamia, comer num bufê e derrubar maionese na sua roupa cara. Os convites são extensões mais cheias de design do cartãozinho de Save the Date. Às vezes eles têm alguma piadinha complexa sobre como o casal se conheceu, e também vai ter o nome completo dos seus amigos, como dita a tradição. O que pode te confundir. Levei uns 30 segundos pra sacar que meu amigo Bob ia se casar em setembro, porque o convite dizia "Robert". E assim começa um casamento: você tem que arrumar um arquivo pra guardar toda a papelada e um calendário pra pendurar na parede. Você precisa aprender o nome completo de todos os seus amigos.

QUE PORRA QUE VOCÊ VAI VESTIR

Sim, provavelmente você vai ter que se vestir bem para o casamento. A menos que seja um casamento "divertido" — "Casamento Temático: Festa do Chá do Chapeleiro Louco!", esse tipo de coisa; "Grease: O Casamento!", alguma coisa assim — você tem que usar um terno se for menino e um vestido se for menina. Mas olha só o seu guarda-roupa. O único terno que você tem não é aquele cinza largo que usou numa entrevista de emprego anos atrás? O único vestido que você tem não é aquela coisa estranha de tafetá que você usou ironicamente na formatura? Infelizmente, você vai ter que sair e comprar todo um look de casamento. As roupas mais caras e desconfortáveis que você vai ter, mais os sapatos. Você já torrou uns 500 paus e ainda nem comprou a passagem ou reservou o hotel. O amor das outras pessoas está fazendo um buraco na sua conta bancária. 1

1__Um pequeno aparte aqui: alguma coisa dentro da sua jovem cabecinha vai dizer que você tem que tentar dar um "toque especial" na sua roupa chata — você vai tentar usar tênis com vestido, né, sua inconformada; você vai tentar fazer alguma coisa meio GQ com o lenço de bolso do seu terno, né — mas vou te falar uma coisa, por experiência vergonhosa própria: não faça isso. As únicas pessoas que conseguem dar um toque especial em roupas formais é quem usa isso todo dia. Se você está usando um terno com toda a presença de um moleque de 12 anos no enterro do pai, você não vai conseguir dar seu toque pessoal no clássico. Use seu uniforme mesmo e boa.

Foto via Rob Barrett Photography

TER UMA CONVERSA EDUCADA COM O PRIMO DISTANTE DE ALGUÉM OU ALGO ASSIM

Então, casamentos têm um plano de mesas muito rígido — isso porque todo mundo tem grupos diversos de amigos e familiares, e mesmo se você acha que conhece muito bem seu amigo que está casando — vocês cresceram juntos, moram juntos ou se conhecem nem lembram desde quando — em algum momento a pessoa vai dizer "Ah, você tem que conhecer o pessoal da facul!", e vai te apresentar para uma mesa cheia de pessoas com apelidos, e você vai ver seu grupo de amigos refletido nesse grupo de amigos de um universo paralelo, aí você vai fazer contato visual com o seu Eu 2.0 e...

Bom, estou fugindo do assunto aqui. A questão é que você vai ter que conversar com uma vozinha, porque vai ficar sentado do lado dela por duas horas por causa do planejamento das mesas. Essas são as regras. Esse é o soco que você tem que tomar se quer ser convidado para um casamento. Essa senhorinha não entende o seu trabalho ("O que um gerente de redes sociais faz, meu filho?") e na realidade nem quer entender. Essa vozinha tem uma dieta restritiva estranha e você vai se sentir na obrigação de ir até o bufê pra ela. Essa velhinha vai se conformar com o esteriótipo e chamar o garçom de "aquele rapaz moreninho". Essa vozinha é a sua penitência por ter um amigo capaz de ser amado.

O ENIGMA: ENCHER A CARA OU NÃO ENCHER A CARA

A principal coisa aqui é a seguinte: sim, você tem que encher a cara. Mas tem que fazer isso no ritmo do casamento para não passar vergonha. São uns 45 minutos de intervalo para todo mundo tirar fotos com os noivos. Aí todo mundo vai lentamente se sentando no salão para comer a refeição. Aí alguém bate uma colher num copo e você tem uma hora e meia de discursos sobre o amor. Se virar as tacinhas de champanhe que eles vão trazendo muito rápido, você já será uma massa amorfa de resmungos nessa hora.

Minha regra é a seguinte: você pode tomar três taças de champanhe, aí precisa fazer uma pausa. Você pode tomar duas taças de vinho antes dos discursos e uma durante. Aí, quando toda a parte chata do casamento acabar, você mergulha de cabeça nos gorós e faz história. Sério. Estou falando de nerds em algum porão atualizando a Wikipédia no verbete "pessoa mais bêbada que já viveu". Você tem que ficar tão bêbado que as testemunhas que te vejam abandonem sua religião "Por quê?", você me pergunta. "Por que encher a cara?" Porque é de graça. Se você passa pela vida sem aproveitar toda a oportunidade de secar um open bar, você pode dizer que realmente viveu? Você realmente existiu nesse mundo?

INICIANDO. OS. TRABALHOS. (Foto via pcutler)

PODE ATÉ ROLAR SEXO

A ciência tem até uma fórmula pra isso. Um estudo de 1997 descobriu que :

Casamentos + solteiros = um senso estranho de miséria romântica (ou 'O1')
O1 + álcool = embriaguez + tesão

Por que tem sempre Aquela Pessoa. Aquela Pessoa que se deixa levar e toma algumas/muitas a mais: aquela pessoa que tira as calças ou a calcinha de um jeito que literalmente todo mundo vê (o que é ruim); ou aquela outra pessoa que fica se sentindo mal por causa da falta de carinho na sua vida, e fica triste ou mal-humorado e com tesão de uma maneira difícil de quantificar (o que é extremamente ruim). Todo mundo já passou por isso: todo mundo está dançando com seus pares e você está lá, sozinho no bar, passando os olhos pelo salão e desejando dar uns pegas em alguma coisa, qualquer coisa. É assim que você acaba dançando twerk para o tio extremamente geriátrico de alguém. É assim que você acaba perguntando para a recém-coroada sogra se ela "quer um pedaço do seu bolo". Se você notar que está ficando triste e com tesão num casamento, sente, tome um copo de suco, coma um pedaço de bolo, e tente descer um pouco o nível. Depois tome umas doses e faça a festa inteira dançar "Bumbum Granada" de um jeito não-sexual.

PRESENTES: NÃO

A menos que você seja rico, não dê um presente. Pelo menos essa é minha regra. Não é uma regra universal, tá. Mas é a minha regra. Se você me convidar para o seu casamento, fique sabendo que não vou dar presente. Seu presente é minha companhia. Seu presente é que vou ser legal com sua vó racista.

Uma mesa cheia de gente que nunca se viu antes, mas agora precisa usar roupa de gala. (Foto por Eli Christman)

DESPEDIDA DE SOLTEIRO: UM GUIA

Não posso te oferecer muitos conselhos sobre despedidas de solteira (até onde eu sei, tudo começa com uma corrente de uns 400 e-mails intitulados "Oi, meninasss!!" e acaba custando 900 paus pra cada, apesar de vocês só fazerem uma oficina de cupcakes e acabarem com seus canudinhos de pênis confiscados na porta da balada), mas sei que uma despedida de solteiro é sempre uns 12 caras divididos em três grupos distintos, aí vocês vão para um bar bem bosta e passam por todos os movimentos de diversão sem se divertir realmente. Vocês tentam superar o constrangimento enchendo tanto a cara que acaba rolando umas coisas estranhas, e no dia do casamento você meio que reconhece daquele cara que tomou cerveja da sua bunda e o cumprimentar com um aceno de cabeça sutil. Isso é uma festa de solteiro.

QUANDO É LEGAL FAZER UM PEDIDO PRO DJ: NUNCA

Você já tomou uns quatro ou cinco drinques a mais, ainda são 10 da noite e por alguma razão, o DJ — um moleque de 17 anos com uma bola de discoteca girando em cima da cabeça e dois iPods gigantes — só está tocando ABBA, e você está gritando alguma coisa pra ele. No dia seguinte, você lembra que estava lá no fundo da pista de dança, só brincando com o garoto, mas as evidências fotográficas vão mostrar que você estava na cara do moleque — um menino cheio de espinhas, com meio bigode, dois pelos pubianos e uma assinatura do Spotify — gritando que queria ouvir Racionais. Tente evitar isso. Esse moleque só quer agradar o público familiar do evento.

Alguém vai falar um monte de coisas enquanto você tenta presenteá-la. (Foto via Eric Auchard)

VOCÊ VAI SE ENVOLVER NUMA CONVERSA DE 45 MINUTOS SOBRE SUA VIDA COM A AMIGA DE UMA AMIGA QUE ACHA QUE "ELA PODE TE AJUDAR", MAS POR ALGUMA RAZÃO, ESSA CONVERSA ACONTECE EM ALGUM LUGAR LÁ FORA, DO LADO DE UMA VELHA ÁRVORE MORTA

Uma coisa estranha sobre a temporada de casamentos da sua vida adulta: isso tende a coincidir com duas ou três crises pessoais pelas quais você está passando, o que você resolve discutir com algum estranho enquanto vocês fogem do calor do salão principal para tomar um pouco de ar. Vocês dois estão segurando copinhos plásticos, já vazios. Vocês dois estão apoiados seriamente numa cerca, dizendo "Eu achava que ia ser mais que isso, sabe?" Vocês olham para a festa atrás de vocês. "O John e a Lisa parecem felizes", a pessoa diz. "Por que não consigo colocar minha vida em ordem?" É porque você tá todo fudido, colega. Não tem outra pessoa pra culpar. Faça alguma coisa e arrume sua vida. Comece amanhã. Mas por enquanto, nessa festa distante com um monte de amigos dos amigos, você tem todo direito de ficar puto.

DROGAS: O QUE É OK E O QUE NÃO É

As drogas mais básicas geralmente são OK em casamentos, se você curte — eu quero ir pro céu, então não curto drogas — desde que você não fume nada bem na cara de alguma tia. Em casamentos, tias costumam sobrevoar como drones conscientes de um futuro distópico — tias em cada esquina, tias esbarrando em você no bufê, tias te chamando pra pista de dança com o dedinho ossudo — e elas ficam meio ofendidas se te pegarem cheirando uma carreira no meio da recepção. Então é bom ser discreto e evitar tias.2

2 Atenção: muitas tias acham que são "tias legais". Um bom jeito de saber se uma tia se considera legal é se ela disser uma das seguintes frases: "Sou uma tia legal!", "Sou uma garota idosa mas ainda sei me divertir!" ou "Ah, se vocês soubessem o que a gente fazia na nossa época!" Mas não se deixe enganar. As tias foram projetadas para te dar uma falsa sensação de segurança. "Essa tia é legal", você pensa. "Vou oferecer meu beck pra ela." Aí ela vira séria para você e diz "Você sabe que meu parido, o Paul, é policial, né?" Não. Você foi enganado pela tia legal.

(Foto via Jimmye Sasha Reade)

NÃO SEJA ESTRANHO E PEÇA ALGUÉM EM CASAMENTO SÓ POR CAUSA DA OCASIÃO

Mas casamento é até um negócio legal, né. E você consegue se ver aqui em um ano. talvez. Pequenas lanternas chinesas iluminando o céu em nome do seu amor, fazendo uma coreografia engraçada na primeira dança de vocês, choro, todos os seus amigos num bufê alugado, a pompa toda, a cerimônia, todo mundo de terno e vestido, todo mundo lindo, o melhor dia da vida de alguém, e você está se sentindo todo emocional e pensa: ei, talvez esteja na hora. Talvez seja hora de fazer a pergunta. Você pensa: talvez essa coisa de casamento seja pra mim. Não, cara. Cai na real. Você é um lixo. Você nem sabe pagar o imposto de renda direito ainda. Espera aí, né. Já discutimos isso. Você. É. Um. Lixo. Você está a uns bons dez, 15 anos de estar pronto pra casar. Curte o casamento aí e tente não se mijar na frente de todo mundo.

@joelgolby

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.