Fotos

Pedimos a Seis Refugiados para Documentar seu Cotidiano com Câmeras Descartáveis

Pedimos que eles documentassem seu dia a dia em 27 fotos.

por Halea Isabelle Kala and Francis Flurin
08 Outubro 2015, 3:08pm

Foto por Saleh.

Em fevereiro de 2015, demos seis câmeras descartáveis para seis refugiados que estavam morando em Berlim na época. Pedimos que eles documentassem seu dia a dia em 27 fotos. Chamamos esse projeto de AUGEN-BLICK, que quer dizer "Piscar de Olhos" em alemão.

Pensamos nesse projeto porque acreditamos que, agora mais que nunca, é crucial parar de nos concentrar no que nos separa e focar no que nos une. Mesmo que a crise dos refugiados na Europa seja um assunto muito comentado hoje, para nós isso só pareceu real quando começamos a trabalhar nessa série. Esperamos que isso mostre um pouco do cotidiano dessas pessoas.

Veja o trabalho de Halea e Francis aqui.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.

NAHEED MIRZAD (26 ANOS), DO AFEGANISTÃO

Ela foi a única mulher a participar do nosso projeto. As outras refugiadas com quem falamos foram muito reservadas. Naheed estava vivendo em Berlim há quase um ano e já gostava de fotografar quando estava no Afeganistão.

Saleh, da Síria

Infelizmente, não tivemos chance de perguntar seu sobrenome. Ele foi transferido para outro lugar depois da dissolução do campo de refugiados onde o conhecemos.

Huseynaga Gasanov (15 anos), do Azerbaijão

Huseynaga veio para Berlim com a família quando tinha 11 anos. Logo depois ele começou um estágio num cinema e a desenhar caricaturas. Tivemos que dar uma segunda câmera para ele, a primeira foi roubada em seu campo de refugiados.

Sayed Omruddin Hussaini (20 anos), do Afeganistão

Era a primeira vez que ele usava uma câmera, então sua namorada teve que ajudá-lo. Eles se conheceram em Berlim.

Siwan Suliman (20 anos) da Síria

Ele morou em Berlim por nove meses e trabalhou numa loja de bebidas. Muitas das fotos dele são verdes porque os parques de Berlim o lembravam de sua cidade natal.

Zymer Zequiri (15 anos), de Kosovo

Depois de ficar por pouco tempo no campo de recepção de refugiados na Freie Universität, Berlim, Zymer e sua família foram deportados. As autoridades decidiram que eles tinham vindo para o país por razões financeiras.

Tradução: Marina Schnoor