Noticias

Boletim Matutino da VICE 26/03/20

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.
26 Março 2020, 12:35pm
bolsonaro coronavírus tv

Brasil

Só 7% apoiam groselhas de Bolsonaro nas redes sociais

O pronunciamento de Jair Bolsonaro na noite desta terça-feira (24), no qual criticou medidas de isolamento para combater o novo coronavírus e chamou a doença Covid-19 de “gripezinha”, mobilizou as redes sociais e levou a uma enxurrada de interações. Em três horas e meia, das 20h30 (horário do início do pronunciamento) à meia-noite, foram 3,5 milhões de interações no Twitter – 80% negativas, segundo dados da Sala de Democracia Digital, da Diretoria de Análise de Políticas Públicas da Fundação Getúlio Vargas (Dapp-FGV). Na noite desta terça-feira, a reação de repúdio foi tão grande que as interações contrárias ao presidente fundiram o grupo não alinhado (que faz oposição a Bolsonaro mas não se identifica como canhoto) ao de esquerda, enquanto a base de apoio do presidente teve apenas 7%. - G1

Bolsonaro volta a ser alvo de panelaços, xingamentos e pedidos de renúncia

Jair Bolsonaro (sem partido) foi alvo de novos protestos durante a exibição da edição de hoje do "Jornal Nacional", da TV Globo. Moradores de várias capitais do Brasil foram às janelas para bater panelas e pedir a saída de Bolsonaro da Presidência. Ontem, em pronunciamento, Bolsonaro defendeu que a rotina do País deve retornar à realidade e que a imprensa brasileira ajudou a iniciar o pânico em torno da covid-19. Ele também criticou governadores e voltou a se referir à doença, que já deixou 57 mortos no Brasil, como "gripezinha" e "resfriadinho". Nas redes sociais, políticos, artistas e usuários do Twitter condenaram o tom boca mole adotado pelo língua-presa no discurso. – UOL

Bolsonaro é ignorado por governadores, perde aliados e se isola mais

Jair Bolsonaro redobrou nesta quarta (25) a aposta de minimizar a crise da pandemia do novo coronavírus e tentar abrandar a política de isolamento e distanciamento social adotada no país devido à doença. Com isso, ganhou a oposição aberta de antigos aliados — como do governador goiano, Ronaldo Caiado (DEM) — e críticas generalizadas no Congresso, além de ter seus pedidos ignorados pelos chefes de Executivo dos estados. Também se envolveu em um duelo verbal com o paulista João Doria (PSDB), seu maior antagonista no debate sobre a condução da emergência. Os apelos do presidente acentuaram uma mudança de tom no discurso de Mandetta, mas não foram atendidos pelos chefes de Executivo dos estados, que se reuniram à tarde por videoconferência organizada por Doria e decidiram manter a política de medidas restritivas. – Folha de S. Paulo

Mourão desautoriza falas de Bolsonaro e diz que posição do governo 'é uma só': isolamento e distanciamento social

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, afirmou nesta quarta-feira (25) que a posição do governo "é uma só": o isolamento e o distanciamento social. Mourão deu a declaração ao conceder uma entrevista por videoconferência sobre ações do Conselho Nacional da Amazônia Legal. Durante a entrevista, ele foi questionado sobre o pronunciamento de Jair Bolsonaro, nesta quarta (25), no qual pele-ruim pediu a "volta à normalidade" em meio à pandemia do coronavírus, o fim do "confinamento em massa" e afirmou que os meios de comunicação espalharam "pavor". "A posição do nosso governo, por enquanto, é uma só: o isolamento e o distanciamento social", afirmou Mourão. O vice-presidente da República declarou ainda que Bolsonaro está, "por enquanto", dentro da política sugerida pelo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. – G1

Mandetta abraça o saco de Bolsonaro e recomenda canja para tratar coronavírus

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse na tarde desta quarta-feira (25) que a atitude dos governadores em adotar medidas de quarentena foi realizado cedo. A crítica foi feita durante uma coletiva sobre a situação da saúde nacional diante do Covid-19, o novo coronavírus, realizada em Brasília. "A gente tem que melhorar esse negócio de quarentena. Foi precipitado, foi cedo". Na nova visão míope de Mandetta, o que o Brasil precisa é estudar alternativas que não desacelerem a economia e a logística. A quarentena sem prazo final se torna "uma parede na vida das pessoas", segundo o ministro. O ministro da Saúde também não descartou soluções caseiras como ações preventivas contra o covid-19. A utilização de orações, chás e receitas como canja foram citadas por ele entre os elementos que podem ser utilizados para reforçar os cuidados com a saúde e evitar uma baixa imunidade. - iG

Paulo Guedes passa pano e incentiva ideia bosta de Bolsonaro

O polêmico e criticado discurso de Jair Bolsonaro, em que pediu o fim do “confinamento em massa” diante da escalada da pandemia do novo coronavírus, tem eco na equipe econômica. O ministro da Economia, Paulo Guedes, é um dos integrantes do governo a botar pilha errada em Bolsonaro sobre o risco da paralisação brusca da economia. Nos bastidores de Brasília, o comandante da política econômica tem sido um contraponto à continuidade de um bloqueio generalizado e às medidas de fechamento do comércio e isolamento domiciliar para todos os brasileiros adotadas por muitos governadores. Não foi à toa que o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, em linha com o ex-capitão, vacilou, e afirmou na terça, 24, que restrições impostas nos estados, como fechamento de comércios, são "péssimas" para o setor de saúde. – Estadão

Rodrigo Maia diz a governadores que fim do isolamento é pressão da Bolsa

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) participou da reunião dos governadores na tarde desta quarta (25) e disse que é preciso "equilibrar vidas e empregos". Maia recomendou aos gestores locais sair do enfrentamento sobre fazer o isolamento ou não, como proposto por Jair Bolsonaro. Ele atribui esse debate aos interesses de investidores, que estão sofrendo perdas na Bolsa de Valores. Segundo Maia, a pressão está acontecendo há 4,5 dias. Mas enquanto economistas e investidores olham as estatísticas, os políticos devem observar vidas. " Temos que sair desse enfrentamento, sobre sair ou não do isolamento. Isso nada mais é do que a pressão de milhares de pessoas que aplicaram seu recursos na Bolsa, acreditaram no sonho da prosperidade da Bolsa a 150 mil pontos, ela está a 70 mil por vários problemas", disse. – Folha de S. Paulo

Governadores pedem aplicação de lei que prevê renda básica para todos os brasileiros

Governadores reunidos na tarde desta quarta-feira (25) em videoconferência aprovaram uma carta com uma série de reivindicações ao governo federal para fazer frente à crise do coronavírus. Entre essas reivindicações, está a aplicação da lei que institui uma renda básica de cidadania para todos os brasileiros. Sancionada em 2005 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a lei prevê o "direito de todos os brasileiros residentes no País e estrangeiros residentes há pelo menos 5 (cinco) anos no Brasil, não importando sua condição socioeconômica, receberem, anualmente, um benefício monetário". A lei diz que caberá ao Poder Executivo estipular o valor do benefício e prevê o pagamento de parcelas mensais, de mesmo valor, para todos os cidadãos, a fim de atender "às despesas mínimas de cada pessoa com alimentação, educação e saúde, considerando para isso o grau de desenvolvimento do País e as possibilidades orçamentárias". – G1

Bolsonaro mente sobre Trump e otários reproduzem papagaia nas redes

Jair Bolsonaro mentiu ao afirmar, na manhã desta quarta-feira (25), em entrevista coletiva, que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, pretende reabrir os estabelecimentos do país nesta data. A afirmação é #FAKE. Em entrevista coletiva na frente do Palácio do Alvorada, Bolsonaro, por duas vezes, afirmou que Trump pretendia reabrir o país nesta quarta-feira e o usou como exemplo para justificar sua defesa do "isolamento vertical". "Ontem, ouvi um relato, das palavras do presidente Trump, dos Estados Unidos, tá numa linha semelhante à minha. Obviamente, um país bem mais poderoso do que nós, um país que tem uma cultura diferente, uma educação diferente da nossa e, pelo que tudo indica, ele vai abrir, a partir de hoje, reabrir, né, os postos de trabalho". Trump na verdade pediu para os EUA reabrirem até a Páscoa (12) de abril, mas nem ele tem certeza de que conseguirá fazer isso. – G1

Bolsonaro inclui atividades religiosas e lotéricas em lista de serviços essenciais

Jair Bolsonaro editou um decreto que torna as atividades religiosas parte da lista de atividades e serviços considerados essenciais em meio ao combate ao novo coronavírus. Ao ser considerado essencial, o serviço ou atividade fica autorizado a funcionar mesmo durante restrição ou quarentena em razão do vírus. Segundo o texto, no entanto, o funcionamento deverá obedecer as "determinações do Ministério da Saúde". O decreto foi publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira (26) e tem validade imediata, sem a necessidade de aprovação pelo Congresso, por se tratar de um decreto. Além disso, conforme prometido na noite desta quarta-feira (25) nas redes sociais, pro desespero de quem tem parentes idosos, o ex-capitão também passou a considerar lotéricas como "atividade essencial". – G1

Heleno descumpre orientação do Ministério da Saúde e volta a despachar ainda doente

O ministro-chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno, não seguiu orientação do Ministério da Saúde para pessoas que contraíram o Covid-19 e voltou a despachar nesta quarta-feira (25) do Palácio do Planalto. O general da reserva, que participou da comitiva presidencial aos Estados Unidos e tem 72 anos, realizou o exame clínico para a doença no dia 17 e obteve o resultado positivo no dia 18. "Informo que o resultado do meu segundo exame, realizado no HFA [Hospital das Forças Armadas], acusou positivo. Aguardo a contraprova da Fiocruz. Estou sem febre e não apresento qualquer dos sintomas relacionados ao Covid-19. Estou isolado, em casa, e não atenderei telefonemas", escreveu Heleno em seu Twitter, em 18 de março. Ao todo, ele se manteve em isolamento domiciliar por sete dias. A recomendação do Ministério da Saúde, no entanto, é de um afastamento por 14 dias. – Folha de S. Paulo

Witzel diz que empresário que seguir fala de Bolsonaro pode ser responsabilizado

O governador Wilson Witzel (PSC) alertou que pode responsabilizar legalmente empresários que desrespeitem os decretos de restrição de funcionamento de estabelecimentos para atender o que Jair Bolsonaro (sem partido) pregou em pronunciamento de rádio e TV na noite desta terça (24). Witzel elogiou o fato de ter sido retomado o diálogo com o governo federal, que realizou uma reunião por videoconferência com os governadores do Sudeste na manhã de hoje. Porém, em diversos momentos criticou o fato de Bolsonaro defender publicamente a retomada da atividade econômica - com a reabertura de escolas e do comércio, entre outros setores - mas não assumir o ônus de tomar alguma medida concreta para obrigar governadores e prefeitos a seguirem isso. Ele fez uma advertência ao empresariado. "Senhores empresários, contrariar determinações das autoridades constituídas, que normatizaram isso no papel, pode trazer aos senhores responsabilidades. Ao descumprir as determinações sanitárias qualquer um está sujeito a ser responsabilizado", defendeu. – UOL

Cientistas indicam avanço da covid-19 mais rápido do que o previsto em Rio, SP e Brasília

A covid-19 avança mais depressa no Brasil do que a maioria das previsões indicava até agora. As mais recentes análises da evolução da epidemia, apresentadas hoje, indicam uma situação gravíssima à medida que a pandemia se estabelece nas capitais e nos municípios do interior. Análises do especialista em modelagem computacional Domingos Alves, líder do Laboratório de Inteligência em Saúde (LIS) da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto, da Universidade de São Paulo (USP), que trabalha com vários pesquisadores de universidades no Brasil, indicam que nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília o vírus se propaga muito mais rapidamente do que se projetava há 20 dias. Somadas, as três poderiam chegar a 16 mil casos já na próxima semana. Porém, medidas de isolamento social podem reduzir esse número. – Época

Pra agradar Bolsonaro, Crivella acena com reabertura do comércio no Rio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos), informou na tarde de hoje que reabrirá lojas de material de construção e de conveniência em postos de gasolina a partir de sexta-feira (27). Após o anúncio em seu perfil no Twitter, a equipe de comunicação de Crivella reiterou contudo que a ordem do prefeito é a manutenção do isolamento social por 15 dias. "A partir de sexta (27), começaremos a abrir, aos poucos, alguns comércios, como lojas de material de construção e lojas de conveniência (postos de gasolina)", disse Crivella. O anúncio acontece após pronunciamento feito ontem à noite ´por Jair Bolsonaro (sem partido), de quem Crivella é aliado. O presidente afirmou que a covid-19 é uma "gripezinha" e que a população deveria "voltar à normalidade". – UOL

Witzel vai desautorizar liberação de Crivella e manter fechado todo o comércio no Rio

Se for preciso, o governador Wilson Witzel (PSC) avalia decreto para desautorizar a medida pensada pelo prefeito Marcelo Crivella, de abrir lojas de material de construção e de conveniência nos postos de gasolina da cidade do Rio a partir de sexta-feira (27). O governador vai justificar a medida com base na sua competência de disciplinar sobre os procedimentos a serem adotados na Região Metropolitana no combate ao coronavírus. O prefeito Marcelo Crivella (Rep) confirmou nesta quarta (25) que pretende afrouxar as medidas que ele mesmo adotou, desde ontem, visando o distanciamento social da população. A nova decisão, aliás, segue o discurso de Jair Bolsonaro, de aliviar o confinamento da população. – O Globo

Suspeitas de coronavírus são registradas como gripe na CDD, denunciam médicos

Profissionais que atuam na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Cidade de Deus, comunidade da zona oeste do Rio de Janeiro, denunciam a subnotificação de ao menos 40 casos de pacientes com suspeita de terem contraído o novo coronavírus nos últimos dias. Quatro deles chegaram a ser internados em estado grave na quinta (19) e sexta-feira (20) —após serem medicados, eles foram liberados e tiveram os seus nomes retirados do sistema. Segundo a denúncia, esses pacientes, que apresentavam sintomas semelhantes aos de quem contraiu o covid-19, foram diagnosticados com síndrome gripal, seguindo orientação fixada em frente ao computador dos médicos. A Prefeitura do Rio confirmou ontem (22) o primeiro caso de contaminação em favelas justamente na Cidade de Deus, que tem cerca de 80 mil moradores. – UOL

Contra coronavírus tráfico ordena cancelamento de bailes funk em favelas do Rio

Traficantes de várias favelas do Rio ordenaram que bailes funks fossem cancelados por conta da epidemia de coronavírus. As determinações começaram na sexta-feira passada e se estendem até o próximo final de semana. As ordens foram dadas por criminosos de favelas dominadas por duas facções diferentes em toda a Região Metropolitana do estado. No anúncio do cancelamento do baile funk que aconteceria na favela da Palmeirinha, em Duque de Caxias, no último sábado, as atrações do evento aparecem com máscaras. Sobre a propaganda, aparece a palavra "cancelado". A favela é dominada pelo Comando vermelho, maior facção do tráfico de drogas do estado. - Extra

Giraffas afasta diretor filho do dono após ele fazer terrorismo com empregados

O Conselho de Administração do Giraffas afastou Alexandre Guerra do dia a dia da empresa depois do estrago provocado por ele na imagem da rede de fast food. Em um vídeo, ele fez terrorismo com os empregados do Giraffas, ameaçando-os de demissão em meio à suspensão das operações da empresa por causa do novo coronavírus. Alexandre, que detém 1% das ações do Giraffas, é filho do fundador da empresa. Desde o início desta semana, o comando da empresa vinha sendo pressionado a afastá-lo, sob o risco de uma onda de boicote prejudicar de vez a empresa, que já sente o baque do fechamento de lojas para conter a disseminação da Covid-19. – Correio Braziliense

Pernambuco tem cinco pessoas curadas do novo coronavírus

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) anunciou que subiu para cinco o número de pessoas curadas do novo coronavírus em Pernambuco. De acordo com o balanço divulgado pelo órgão nesta terça-feira (24), o número de pacientes com o novo coronavírus permanece o mesmo do divulgado anteriormente, 42. Ainda segundo o órgão, das 42 pessoas infectadas, 29 estão em isolamento domiciliar e 8 estão internadas. Das pessoas que estão internadas, três estão na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), sendo duas em hospital particular e uma no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc). – JC

Idoso ignora quarentena do coronavírus e anda de carrinho de rolimã na rua

Um idoso foi flagrado descendo por diversas vezes a Avenida Olegário Maciel, em Juiz de Fora (MG), com um carrinho de rolimã. A atitude, que viralizou no Twitter, contraria as recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). A cidade mineira já teve oito casos confirmados de coronavírus e a prefeitura decretou situação de emergência em saúde pública. No vídeo, a mulher que grava a situação tenta apelar para o homem voltar para casa, mas é solenemente ignorada. – UOL

Mundo

Espanha prorroga isolamento por mais duas semanas; mortes já passam de 4 mil

O isolamento na Espanha foi prorrogado nesta quinta-feira (26) para o dia 12 de abril em uma tentativa de conter a expansão de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. O país, o segundo mais atingido na Europa pela pandemia, tem quase 50 mil infectados e 4.089 mortes por causa de complicações provocada pelo Sars-Cov-2. O Parlamento votou no começo desta quinta a prorrogação das medidas de emergência, incluindo o estado de isolamento que fez com que as pessoas ficassem confinadas em casa, só podendo sair para comprar comida ou remédios ou ir ao trabalho. O número de casos confirmados no país aumentou em 10 vezes desde que o estado de emergência foi imposto, no dia 14 de março. O número de mortes superou o da China na quarta-feira, quando 738 pessoas morreram. – G1

EUA registra mais de mil mortos e quase 70 mil casos por coronavírus, diz universidade

Subiu para 1.031 o total de mortos pela Covid-19 nos Estados Unidos, onde existem 68.572 casos da doença, segundo uma contagem da Universidade Johns Hopkins. A taxa de mortalidade pelo novo coronavírus no território americano é de 1,5%, embora se acredite que o número real de infectados seja muito maior. O estado de Nova York é o mais atingido pela pandemia, segundo o monitoramento da universidade, que calcula 280 mortes na cidade de Nova York desde o surgimento do surto. Depois de ser detectado na cidade chinesa de Wuhan no final de dezembro, o novo coronavírus matou 21.000 pessoas em todo o mundo. Uma projeção compartilhada com o Congresso no início deste mês estima que 70 a 150 milhões de pessoas possam ser infectadas com o vírus nos Estados Unidos, um país de 329 milhões de pessoas. – G1

Como lembra Eduardo Bolsonaro, Itália tentou fazer o Bolsonaro e se fodeu

O Ministério de Saúde da Itália registrou ao menos 7.503 mortes por Covid-19 e mais de 57,5 mil casos do início da epidemia até esta quarta-feira (25). Há um mês, o país mediterrâneo relutava em ampliar medidas de isolamento que estavam concentradas em cidades da Lombardia, região ao norte do país mais afetada pelo surto de coronavírus. Em 21 de fevereiro, a Itália confirmou sua 1ª morte por Covid-19. Naquele momento, o país registrava apenas 17 casos confirmados da doença. Logo no dia seguinte, o governo italiano anunciou um toque de recolher para 11 cidades da região mais afetada pela doença. Mas foi apenas em 8 de março que a Itália decidiu isolar toda a região da Lombardia, responsável por parte importante da economia italiana, em uma medida que afetou cerca de 16 milhões de pessoas. O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) postou na noite desta quarta (25) uma reportagem do El País de 28 de fevereiro que dizia que “Itália muda estratégia contra o coronavírus para combater o alarmismo e proteger a economia”, como acontece com o pai dele no Brasil. – G1

Imbecil anuncia ter coronavírus após vídeo lambendo vaso sanitário

Um influenciador digital sem muita capacidade cognitiva anunciou nesta quarta (25) ter sido hospitalizado dias depois de postar um vídeo no TikTok lambendo um vaso sanitário, em um "desafio" durante a pandemia do novo coronavírus. Identificado como Larz, de 21 anos, o norte-americano anunciou no Twitter: "Meu teste para coronavírus deu positivo". A conta na rede social acabou suspensa. O registro, feito cinco dias antes, faz parte do chamado Coronavirus Challenge, no qual usuários de redes sociais se filmam lambendo vasos sanitários em locais como banheiros públicos e aviões. – UOL

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter , Instagram e YouTube .