A ex-atriz pornô Mia Khalifa xingou o fã brasileiro que tatuou seu rosto

"Meus amigos falaram que eu sou um mito", conta o estudante de 17 anos que tatuou o rosto da ex-atriz pornô libanesa Mia Khalifa e foi chamado por ela de idiota.

|
18 janeiro 2017, 2:32pm

Foto principal: reprodução/ Instagram

Foto: reprodução/ Instagram

Poucas coisas são tão ingratas na vida quanto ser menor de idade, tatuar o rosto do seu ídolo e ser achincalhado pelo próprio nas redes sociais. Que pesadelo. É o que aconteceu com F. A., estudante brasileiro de 17 anos que, no ápice de seu furor hormonal, registrou na perna direita a linda cútis da ex-atriz pornô libanesa Mia Khalifa, 24.

Fã da moça que se dedicou à pornografia somente por um ano e hoje é influencer nas redes sociais, F. não imaginou que seria chamado de idiota por ela. Depois de escolher o tatuador (que não cobrou nada) e ter o rostinho simpático com sobrancelhas grossas marcado em sua pele, o estudante do ensino médio fez uma inocente foto e postou em seu Instagram, marcando o perfil oficial de Mia (com mais de 700 mil seguidores) e outros administrados por fãs. O horror estava a caminho. Ele relembra o que sentiu quando recebeu a notificação de que ela o havia marcado em uma postagem. "Pensei: a mina é famosa pra caralho, sou de uma cidade que fica quase no fim do Brasil. Ela nem sabe que eu existo. Não imaginei que ela ia ver, postar no perfil dela e, pior ainda, me chamar de idiota", lamenta o fã, que, apesar de ser menor de idade, já tem outras 12 tattoos.

"Primeiramente, você é um idiota", escreveu a ex-atriz, que insistiu no termo pejorativo três vezes, reclamou das sobrancelhas desalinhadas no desenho e foi impiedosa do começo ao fim. "Que tipo de imbecil marcaria seu corpo com isso pra sempre? Não é legal ou lisonjeiro… você é um idiota."

A ex-atriz pornô Mia Khalifa. Foto: reprodução/ Facebook

Arrependimento? Na entrevista que fizemos por telefone, F. fala mais sobre o momento que vive após ter sido emocionalmente despido e escrutinado em público por alguém que admira.

VICE: Como você conheceu a Mia?
F.: Pelo Facebook. Vi várias publicações e criei interesse pelo rostinho dela. Falei: "cara, vou ter de tatuar essa mina no meu corpo". Meti as caras e fiz mesmo.

Você é super fã?
Acompanho o Instagram e o Facebook. Sei que ela terminou a faculdade, que é casada. Essas coisas.

Você tem algum vídeo preferido dela?
Não.

Como você teve a ideia de fazer a tattoo?
Pesquisei muito se alguém já tinha tatuado uma atriz pornô e me lembrei que, antigamente, os marinheiros tatuavam a Marilyn Monroe no corpo. Falei: "preciso tatuar a Mia". Lembrar um pouco das antigas. Eu sabia que a maioria ia zuar.

Seus amigos veem vídeos dela?
Sim, a maioria. Acho que quase todos os homens do Brasil conhecem ela.

Em qual parte do corpo você fez a tatuagem?
Do lado da batata da perna direita, na parte de dentro.

Depois de fazer a tatuagem você postou no Instagram e marcou o perfil dela.
Isso. Eu não sabia qual era oficial de verdade porque tem vários perfis. Aí comecei a marcar.

E você imaginou que ela veria a foto da tatuagem?
Na verdade, isso não passou pela minha cabeça, cara. Pensei: "a mina é famosa pra caralho, sou de uma cidade que fica quase no fim do Brasil. Ela nem sabe que eu existo". Não imaginei que ela ia ver, postar no perfil dela e, pior ainda, me chamar de idiota.

Você viu o post ou alguém te marcou?
Eu vi o post porque ela me marcou. Pensei: "caralho, a Mia Khalifa me marcou". Pensei que ia ser alguma coisa boa. Depois vi lá um monte de "idiota", "idiota", "idiota". Pesado, hein.

O post em que Mia Khalifa xinga o fã brasileiro de idiota. Crédito: reprodução/ Instagram

E o que você sentiu quando leu essas coisas?
Não sei te explicar. Mas bateu aquela tristeza. Fiz a tatuagem com o maior amor e carinho pra ela. Fiquei um pouco triste, mas não me incomodou quase nada. Continuo com a tattoo e não pretendo tirá-la tão cedo. E nem vou tirar, eu acho.

Na hora você não se arrependeu um pouco?
Não, não. Sem arrependimento. A gente vem pra esse mundo só uma vez mesmo. Se não for pra causar, melhor nem vir, né.

Você respondeu o post dela?
Não. Fiquei na minha. Mas começou a chegar um monte de mensagem me chamando de idiota. Não ligo. Não ligo mesmo.

O que seus amigos falaram?
Eles só falam que eu sou um mito. Que tinha de ser um brasileiro. Porque só brasileiro faz essas coisas.

Mas eles zuaram?
Eles levaram numa boa. Eu já tinha compartilhado a ideia da tatuagem com eles há meses.

A tatuagem ficou como você queria?
Mais ou menos. Falei com um primeiro brother que ia me cobrar R$ 1.500. Depois falei com outro e ele garantiu que ia fazer. Falei: "bora". Não ficou 100%, mas o cara destacou muito, mano. Porque ficou parecendo muito com ela.

Quanto ele te cobrou?
Nada. Foi de graça.

Você tem outras tatuagens?
Tenho. Umas 13.

Sua mãe sabe quem é a Mia?
Não. Toquei no assunto com ela, mas ela não sabe quem é a Mia. Mas tatuagem é uma coisa que eu faço, que eu gosto. Comecei a treinar desenho e tatuagem ano passado. Por isso minha mãe não implica tanto comigo.

Você quer ser tatuador?
É uma coisa que eu queria ser. Quem sabe no futuro.

Te encheram o saco no Instagram, né?
Normal. Crítica sempre acontece. Também teve elogio. Ficou muito massa.

Então, você não tá arrependido.
Deixa a galera fazer o que quiser. Meu corpo, minhas regras.

@DeboraLopes

Siga a VICE Brasil no FacebookTwitter Instagram.

Mais VICE
Canais VICE