Conheça o ‘Prato Firmeza’, o guia gastronômico das quebradas de SP

Alunos da escola de jornalismo Énois listaram 40 restaurantes pelas periferias de São Paulo, onde rola boa comida a um preço justo.

|
nov 24 2016, 2:00pm

Mapear o rango bom e barato das quebradas paulistanas. Foi com essa ideia que os alunos da Énois Escola de Jornalismo criaram o Prato Firmeza, um guia gastronômico que lista os restaurantes, botequins, hamburguerias e outros espaços que servem boa comida a preços camaradas espalhados pelos bairros longe do Centro da cidade.

Em meados de 2012, quando um aluno interessado por gastronomia foi provocado por seus professores a enxergar como a gastronomia pode ser acessível e não só coisa de granfino, Matheus Oliveira deu vida à versão online do Prato Firmeza, elegendo os espaços que servem boas comida a preços módicos, sem que, pra isso, fosse necessário ir muito longe de casa. O projeto que teve sua estreia na internet foi retomado em 2016, agora numa versão impressa, contando com a ajuda de toda a turma do Énois.

O Prato Firmeza, que agora existe também em papel, teve seu projeto editorial totalmente pensado e desenvolvido por dez alunos da escola de jornalismo. O jornalista e um dos professores da Énois, Fred Di Giacomo, diz que "os alunos puderam criar o projeto editorial, definir o padrão das fotos, a missão, o público alvo e o tipo de linguagem que gostariam que o guia tivesse".

Um belo temakão da Ville Japan, no extremo sul da capital. Foto: Guilherme de Sousa.

O lance foi sujar sola de sapato, apurar, experimentar muitos rangos, conhecer diversos espaços e reportar a experiência para o leitor. Fred conta que cada um dos estudantes tinha que mapear 10 restaurantes firmeza e pegar informações básicas sobre eles. "Depois desses 10 em mãos, selecionamos quatro de cada um para serem visitados, testados e resenhados."

Burguer bem generoso da Casa da Árvore, em Pirituba. Foto: Guilherme de Sousa.

Os rolês em busca do prato perfeito aconteceram nas regiões Norte, Sul, Leste e Oeste de São Paulo, levando em conta os estabelecimentos mais próximos de onde moram os alunos da Énois e deixando de lado o Centro e parte da zona Oeste, os principais e superexplorados pólos gastronômicos da cidade. Restaurantes localizados nos limites da cidade e nas cidades vizinhas da capital também foram visitados — e a cada nova descoberta os alunos entendiam a história e relação entre a comida, seus proprietários, os moradores do bairro em questão e a expansão da própria cidade.

Equipe firmeza do Énois. Foto: Divulgação.

Muitas discussões em aula permitiram aos alunos entender que o guia precisa ser convidativo e mostrar que também há comida de qualidade na periferia. A aluna Marcela de Paula relata que "quando a professora questionou: o que é gostoso para você?", suas reflexões de que o que é bom ou não foram aguçadas e que a experiência vai de cada um, mas são os detalhes que fazem a diferença. E além do sabor, as recomendações apontam os locais ideais para levar o crush, restaurantes pra dividir a conta com a galera e para sair tombando de barriga cheia, como conta Steph Minucci.

As visitas foram divididas de acordo com a disponibilidade de cada estudante para visitar o local, mas no fim das contas, tudo acabava como um rolê em grupo. Guilherme chegou a ir a seis lugares em dois dias seguidos; Marcela, que resolveu ir em três locais num dia só, acabou passando mal no final.

Acarajé ancestral completo da barraca Point do Acarajé, lá de Paraisópolis. Foto: Guilherme de Sousa.

A intenção do Prato Firmeza nada mais é que "trazer um olhar mais democrático e diverso sobre o mundo. Que sai do privilégio, da elite, do centro, e tenta mostrar uma parada mais próxima do Brasil de verdade", diz Nina Weingrill, professora, editora e fundadora do Énois.

O guia vem recheado de opções inesperadas como: batata fritas servidas com outras guarnições em uma caixa de pizza. Mocofava (mistura de mocotó com fava, pratos tipicamente nordestino). Pastelaria que serve molhos especiais (dá vontade de comer só o molho), além da casa que serve berinjela das mais diferentes maneiras e um coletivo anarquista vegano que se reúne mensalmente pra banquetes servidos a R$ 18.

A pizza com um pouco de tudo da Pizzaria SP, no Capão Redondo. Foto: Guilherme de Sousa.

A primeira edição do Prato Firmeza sai com uma tiragem de três mil exemplares à venda por R$ 20 reais nos próprios estabelecimentos resenhados no guia — futuramente vai dar pra comprar o guia online pelo Facebook do Énois e na própria sede da escola. Para as próximas edições, o pessoal está arrecadando grana via financiamento coletivo, além de ir atrás de patrocínio e leis de incentivo.

O Prato Firmeza tá aí para narrar que comida pode, sim, ser boa e barata e que ela pode estar na esquina de casa.

Siga o Bruno Costa no Twitter e no Instagram.

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter e Instagram.

Mais VICE
Canais VICE