Publicidade

Pare de usar apps de previsão do tempo – eles tão vendendo seus dados por aí

Por diversas vezes, aplicativos como os do Weather Channel, Accuweather e WeatherBug foram flagrados compartilhando suas informações de localização.

por Jason Koebler; Traduzido por Thiago “Índio” Silva
10 Janeiro 2019, 6:47pm

Crédito: Shutterstock

Uma das primeiras coisas que faço todos os dias quando acordo é pegar meu celular e abrir algum aplicativo de clima. Suspeito que muitos façam o mesmo e fica aqui a dica: certifique-se de usar um app que não está te espionando.

Aplicativos de clima e tempo possivelmente são os mais perigosos que você pode ter no seu celular, afinal, seu desenvolvimento é simples e isso significa que há muitas opções por aí (a grande maioria pega seus dados das mesmas fontes globais), as pessoas os utilizam diariamente e, acima de tudo, são uns dos poucos aplicativos a terem motivos genuínos para solicitarem os dados de sua localização, já que você quer saber do clima onde está localizado, não é mesmo?

O problema é que, ao longo do tempo e por diversas vezes, foi comprovado que esses apps pedem permissões sobre as quais não precisam nem deveriam ter. Muitos vendem dados para anunciantes e demais traficantes de dados, e isso tudo rola de forma generalizada, desde os programinhas mais desconhecidos aos mais populares.

O Accuweather foi flagrado em 2017 vendendo dados de localização de usuários para terceiros mesmo quando os usuários haviam desabilitado tais informações. No final de 2018, o New York Times descobriu que os apps WeatherBug e do Weather Channel enviavam dados precisos de localização a terceiros. Nesta semana, o Wall Street Journal relatou que um aplicativo popular na Play Store chamado “Weather Forecast—World Weather Accurate Radar” coleta dados de localização, endereço de email e números de identificação IMEI do telefone, ao mesmo tempo em que tenta fazer com que usuários assinem, sem consentimento, plataformas pagas de realidade virtual.

Em dezembro, a cidade de Los Angeles processou o Weather Channel pelo suposto uso indevido de dados de localização – o processo acusa o Weather Channel de “se aproveitar da popularidade do aplicativo e usá-lo como uma ferramenta intrusiva para obtenção de dados privados de geolocalização do usuário, que então são enviados para afiliados da IBM e outros para fins de propaganda, bem como demais fins comerciais não-relacionados ao clima ou serviços oferecidos pelo aplicativo”.

O mais seguro a se fazer é parar de usar estes aplicativos. Certamente existem alternativas confiáveis por aí, mas fato é que a água do poço foi envenenada por outros ativos na indústria.

Use o aplicativo embutido do Google nas plataformas Android ou o aplicativo Clima embutido do iOS (que utiliza informações do Weather Channel). O Google também usa seus dados de localização para os mais variados fins, mas em uma plataforma Android não há muito o que fazer para evitar isso. Já os aplicativos da Apple vêm se mostrando confiáveis em termos de privacidade (por mais que a empresa tenha sido cúmplice de um modelo econômico que possibilita a aplicativos “gratuitos” que vendem seus dados de maneira escusa prosperarem na App Store).

Ou então, não use aplicativo nenhum e verifique as informações manualmente na internet, quem sabe até mesmo em um aparelho separado. A indústria de apps de clima e tempo não tem se mostrado digna de confiança de qualquer forma.

Atualização: algumas pessoas perguntaram sobre o app Dark Sky, que é muito bem avaliado e, ao contrário de outros programas do gênero, não é gratuito. Não o utilizei, mas ouvi falar bem – é um dos poucos apps que deixa claro como utiliza seus dados. Em postagem datada de 2017, o co-fundador do Dark Sky, Adam Grossman, deixou claro que a empresa não compartilha estas informações: “Não compartilhamos – e nunca compartilharemos – seus dados de localização com anunciantes ou empresas de monetização de dados”, afirmou. Grossman também comentou que muitos outros aplicativos haviam se mostrado pouco confiáveis, ressaltando que seu app tinha um preço, o que significa que pode muito bem sobreviver sem vender dados. Não cabe a mim recomendar o Dark Sky ou não, mas é ótimo ver o tema tratado de forma tão transparente junto ao público.

Leia mais matérias de ciência e tecnologia no canal MOTHERBOARD.
Siga o Motherboard Brasil no Facebook e no Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube
.