Este cara esconde pirocas em todo jogo que cria

Se você jogou 'Oniken' ou 'Odallus' e percebeu algumas formas fálicas, pode ter certeza: aquilo era mesmo um pinto.

|
ago 4 2017, 6:18pm

Todas as imagens: Danilo Dias

Danilo Dias é um desenvolvedor de games que tem a curiosa mania de colocar pirocas escondidas nos jogos que faz. Quem jogou Oniken ou Odallus, duas jóias retrôs do estúdio brasileiro JoyMasher, e percebeu algumas protuberâncias nos cenários ou umas formas fálicas de alguns inimigos, pode ter certeza: aquilo era mesmo um pinto e a culpa é do Danilo.

"Isso de colocar piroca nos jogos é aquele desejo de moleque de desenhar pinto nas coisas, isso nunca sumiu de mim", falou Danilo à VICE. Ele diz que, quando era moleque, desenhava pinto pra caralho. Na lousa, nas carteiras da escola. Onde dava, ele fazia rolas de vários formatos.

Danilo até saiu da quinta série, mas o espírito da quinta série continuou com ele. Então as pirocas, agora em pixels, começaram a aparecer nos games.

Detalhe do cenário de 'Oniken'.

Em Oniken, os primeiros pintos apareceram quando o Danilo ficava puto durante algumas etapas do desenvolvimento – ele aprendeu a programar na marra enquanto fazia o game – e também nas tardes de tédio regados a bebidas. "Eu trabalhava muito bêbado fazendo a arte, aí eu fazia um bagulho e começava a dar risada porque parecia um pinto e deixava lá", contou.

Os pintos escondidos em 'Oniken'.

Nos arquivos do jogo, há muitas rolas escondidas nos detectores de colisão de objetos das fases, que são invisíveis pra quem joga a versão final, mas estão lá. Nos chefes também há muitas alusões a pirocas, com o ápice no chefão final, em que o jogador luta em cima do pau robótico dele.

Não é nada muito na cara, mas é o bastante para dar umas risadinhas quando a gente presta mais atenção. Talvez seja por isso mesmo que os jogos dele nunca chegaram a ser censurados e estão a venda no Steam sem problemas.

Se em Oniken as referências a rolas eram mais sutis, em Odallus ele despirocou de vez e colocou muito mais pintos escondidos. "Virou zoeira porque muita gente já esperava encontrar pinto em algum lugar". Até mesmo no pôster oficial do jogo há um cacete escondido, bem no meio da imagem, e só é visível dando um zoom.

Pôster de 'Odallus'...
...e o pênis escondindo.

Prestando atenção na arte pirocada de Danilo, principalmente em Odallus, dá pra perceber uma influência do artista H.R. Giger, um cara para quem Danilo diz pagar muito pau. Faz sentido quando lembramos que Giger foi o responsável pelo design do xenomorfo de Alien, que, não à toa, também lembra um pinto.

"Ele consegue fazer uma piroca ser assustadora sem pensar no contexto da piroca em si", contou Danilo, que ficou traumatizado ao assistir Alien, o Oitavo Passageiro. "Me assustava muito quando era criança, sempre tive medo". Talvez daí venha o fascínio dele.

Danilo Dias na sua casa, em Curitiba. Foto: Thais Weiller

Como deu pra perceber, o desenvolvedor não tem nenhuma vergonha da sua mania de colocar pênis nos jogos. Para ele é algo natural. "Todo homem tem uma relação profunda com pintos, só que muitos têm medo de admitir", comentou.

A fama de Danilo por pintos é tanto que até a esposa dele – a game designer Thais Weiller, sócia e parceira dele no JoyMasher – entra na zoeira. No último aniversário de Danilo, por exemplo, ela preparou um bolo de carne especial em forma de piroca.

Mas ele começou a comer por baixo ou por cima? "Óbvio que pela cabeça, porque é aí que começa a treta", respondeu Danilo. "Essa parte tava recheada com queijo também."

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.

Mais VICE
Canais VICE