Sexo

Cliques poéticos de homens gays em um espaço de liberdade na KCT Zine Vol. 1

O fotógrafo Gianfranco Briceño fez um novo zine com fotos de parte da cena gay noturna paulistana.

por Marie Declercq
15 Setembro 2016, 11:00am

Após o sucesso absoluto das cinco edições da SNAPS Fanzine, o fotógrafo peruano radicado em São Paulo Gianfranco Briceño volta à pista novamente com o KCT Zine, trazendo um olhar voltado para as safadezas e a libertinagem gay da cena noturna de São Paulo.

"Andei pelos mesmos lugares que ando sempre. As boates da Bento Freitas, os bares da Roosevelt, minha casa e as casas das próprias pessoas após várias cervejas", relata o fotógrafo. "Foi um processo meio orgânico, num esforço para que as situações rolassem da maneira mais natural possível". A produção do zine também conta com os esforços do designer Guilherme Falcão, responsável pelo projeto gráfico, e o jornalista e pesquisador Eduardo Viveiros, pela curadoria.

O projeto, segundo Briceño, é uma elevação do SNAPS Fanzine e busca desmistificar o sexo gay em uma época, segundo ele, ainda bastante conservadora no país. "O mundo gay sempre tem que ser registrado. (...) Vivemos num mundo onde a censura e a repressão gay/queer sofre bloqueio em quase todas as mídias. Não adianta ser uma expressão já óbvia nos 'corredores da arte' se as bichas continuam apanhando nos corredores da vida real. É meio que uma responsabilidade artística bater nessa tecla."

Embora as fotos flertem muito com a pornografia, Briceño diz que vai partir do espectador dizer se as fotos são pornográficas ou eróticas. Para ele, o criador do projeto, é apenas uma maneira de mostrar, sem censura, o que está a sua volta. "O que eu acho natural e bonito de um jeito não forçado."

Para o fotógrafo, muitas vezes são nos corredores das baladas e nos banheirões da vida que a comunidade gay encontra uma libertação e um espaço seguro para transitar sem melindres. Embora o argumento seja válido, os registros quase-espontâneos de Briceño ainda deixam um pouco a desejar pela realidade pouco palpável das situações, já que os meninos clicados são dos pés à cabeça considerados "modeláveis". Entretanto, o projeto fotográfico promete o que quer cumprir: cliques poéticos de homens gays em um espaço de liberdade.

"É mais fácil hoje em dia, em comparação com outras épocas, ir a festas em saunas ou clubes de sexo do centro, onde rola uma pegação mais pesada ou meninos dispostos a se mostrar mais, sem medos nem preconceitos. Ainda estou longe de ter toda a cena representada, espero que em edições futuras ela fique mais diversa, é só um começo," explica Gianfranco.

O KCT Zine já está angariando fundos no Catarse e oferece recompensas bem apetitosas e honestas para quem quiser contribuir, sem fazer a Bel Pesce.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.