Publicidade
Esta história é mais de 5 anos de idade.
Noticias

Esses Físicos Nucleares Acham que David Suzuki Está Exagerando Sobre Fukushima

Perguntamos a vários físicos nucleares o que eles acham dos alertas sinistros feitos pelo venerado cientista canadense David Suzuki sobre um provável vazamento radioativo fatal para o Japão.

por David P. Ball
14 Novembro 2013, 1:45pm

A palestra melancólica de David Suzuki sobre Fukushima.

Quando todo mundo estava se perguntando “que porra é essa que está acontecendo em Fukushima?”, o venerado cientista canadense David Suzuki apareceu com o alerta mais sinistro até agora.

“Fukushima é a situação mais aterrorizante que posso imaginar”, disse o ambientalista ao público da Universidade de Alberta no dia 29 de outubro. “O governo está em total conluio com a TEPCO, a companhia de energia. Eles estão mentindo descaradamente.”

Além das revelações de vazamentos radioativos maciços do reator derretido para o mar – aproximadamente 300 toneladas por dia – Suzuki citou uma pesquisa da Universidade de Tóquio que prevê 70% de chance de outro terremoto de magnitude acima de 7 para 2016.

“Se o quarto reator realmente enfrentar um terremoto, e se essas hastes de combustível forem expostas, é adeus Japão”, profetizou ele, “e a costa oeste da América do Norte terá que ser evacuada. Se isso não é assustador, não sei o que pode ser.”

Vindo de um homem votado como um dos “Maiores Canadenses”, não é surpresa que o alerta do eco-guru tenha se espalhado como um derretimento nuclear nas redes sociais. Mas, dada sua formação em genética, não em física nuclear ou radiobiologia, devemos mesmo ficar tão alarmados?

Eu queria ir a fundo nessa história e descobrir quais são os fatos, então procurei um especialista. Falei com Malcolm Crick, secretário do Comitê Científico de Efeitos da Radiação Atômica das Nações Unidas (UNSCEAR em inglês). Ele me ligou recentemente de Gênova.

“Minha percepção é que os efeitos do vazamento, fluxo e isso chegando ao mar estão sendo confundidos de alguma forma e provavelmente sendo comunicados equivocadamente”, o cientista me disse. “Isso está levando as pessoas a temer a situação, talvez mais do que deveriam, em vista dos efeitos da radiação na saúde, apesar de haver coisas em que realmente precisamos prestar atenção.

“Apesar dos problemas no local exigirem cuidados sérios e soluções, isso não aumenta as doses ou riscos à saúde associados, desde que sejam bem monitorados.”

Mas Suzuki não é o único a soar o alarme. A física australiana Dra. Helen Caldicott está numa longa cruzada contra a indústria nuclear, que ela acredita ter amigos nos altos escalões e interesses velados em distorcer os fatos.

“Não ligo se eles nos criticarem”, ela me disse. “David (Suzuki) tem hesitado em entrar no debate sobre energia nuclear, mas ele é um cientista cuidadoso.

“Os defensores da energia nuclear […] fazem previsões sobre exposição à radiação baseados em dados antigos, não nas informações mais novas que temos. Eles subestimam isso para manter sua indústria funcionando […] As previsões são tão terríveis que ninguém quer encará-las. Eles querem praticar um entorpecimento psíquico.”

Falei também com vários físicos nucleares para avaliar seus medos. Todos eles encararam as afirmações perturbadoras do Maior Canadense com certa desconfiança. A maioria concordou: a realidade em Fukushima já é preocupante o suficiente.

“É muito difícil ter uma discussão pública racional com base nos fatos conhecidos da radiação”, disse o físico da Universidade da Colúmbia Britânica Marcello Pavan, “a ideia de que a radiação, em qualquer nível, é um coisa terrível está muito enraizada na nossa cultura. É um risco como qualquer outro, como os produtos químicos.”

Vamos desmontar as declarações de Suzuki uma por uma:

Um mural de David Suzuki na Colúmbia Britânica.

1. “Fukushima é a situação mais aterrorizante que posso imaginar.” - Suzuki

David Measday, físico nuclear e de partículas (Universidade da Colúmbia Britânica)

“As pessoas estão exagerando sobre a questão. Quer dizer, mais de 20 mil pessoas morreram no tsunami. Até onde eu sei, ninguém morreu pela radiação.”

Marcello Pavan

“Nas nossas conversas no refeitório da universidade, temos a opinião mais ou menos unânime de que a histeria sobre Fukushima é grosseiramente exagerada […] Com os detectores supersensíveis que temos a nossa disposição, vemos que os níveis [de radiação] estão bem abaixo de qualquer coisa com que as pessoas deveriam se preocupar. Estamos sujeitos à radiação ambiente desde o nascimento. Quer dizer, toda banana que você já comeu continha potássio radioativo.”

2. “Eles estão mentindo descaradamente.” – Suzuki

Marcello Pavan

“Isso está absolutamente correto, pelo menos do meu ponto de vista. A TEPCO tem minimizado os efeitos do que está acontecendo. Mas aqui temos uma grande preocupação industrial sobre mentir para o governo em acidentes relacionados a esse tipo de negócio – isso é novidade?”

David Measday

“É muito difícil encontrar informações exatas porque, claro, eles não dizem tudo. Tenho falado com alguns físicos japoneses, mas eles também não sabem muito mais coisa. Mas no momento, eles não têm motivo para mentir sobre a quantidade de radiação existente […] A principal coisa é; qual é o nível e quanto isso é ruim para humanos?”

3. “...se acontecer outro terremoto de escala 7 ou mais, o prédio inteiro vai cair e tudo estará perdido.” - Suzuki

David Measday

“Metade do reator de Chernobil explodiu na atmosfera. Isso é o pior que pode acontecer. Em Fukushima, não há nada nem perto desse nível […] Não nego que há uma pequena chance das coisas piorarem. Um terremoto ou tsunami seria provavelmente o pior que poderia acontecer, mas com um terremoto dessa magnitude, a radiação seria a menor das preocupações.”

4. “Trezentas hastes de combustível irradiado […] Eles estão jogando água para dentro, mas muita água está vazando.”  - Suzuki

Malcolm Crick

“Isótopos radioativos estão migrando para o subsolo e então para o mar […] O nível de radionuclídeos no porto próximo à área danificada parece ter aumentado recentemente. Mas para colocar em perspectiva, eles estão abaixo do nível que a Organização Mundial de Saúde usa para determinar a qualidade da água potável.”

Marcello Pavan

“Claramente há problemas com a radioatividade na água. A água de refrigeração está vazando para o lençol freático e para o oceano. Mas o oceano é muito grande; os níveis de radiação se dispersam. É completamente insignificante.”

5. “Eles não sabem o que fazer […] O governo japonês é muito orgulhoso para admitir isso.” - Suzuki

Helen Caldicott

“A TEPCO está tentando mover as hastes danificadas manualmente com um guindaste, o que nunca foi feito antes; geralmente, hastes de combustível são movidas por controle computadorizado. Se as hastes de combustível se tocarem, pode haver uma fissão, liberando grandes quantidades de gases radioativos. Isso seria uma catástrofe. A radiação circundaria o Hemisfério Norte.”

David Measday

“Os japoneses foram muito cuidadosos, eles constroem todos os seus reatores para níveis muito altos. Não acho que isso se romperia... Eles provavelmente fizeram o melhor possível com seus reatores existente. O que aconteceu foi que eles falharam em estimar o tamanho do tsunami [de 2011]. Mas se houver outro tsunami, eles ainda não estarão totalmente preparados para isso. Eles podem ter problemas de novo.”

6. “É adeus Japão – e a costa oeste da América do Norte terá que ser evacuada.” - Suzuki

David Measday

“Me desculpe, mas isso é ridículo. É totalmente impossível! Não acredito que ele tenha dito isso. Quando ele está em seu próprio campo, ele geralmente é uma pessoa razoável. Mas isso é loucura.”

Marcello Pavan

“Isso não é nem remotamente plausível. É material contaminado, sim, mas certamente não numa escala que devastaria o Japão, nem que viajaria por todo o Pacífico e causaria uma evacuação.”

Mais coisas radioativas:

Sozinho na Zona Proibida

Ganho a Vida Sendo Injetada com Radiação

Dentro das Cidades Radioativas Abandonadas do Japão

Um Velho Médico Japonês que Sobreviveu a Hiroshima

Bombas Sujas Búlgaras