Publicidade
Noticias

Depois da Parada Gay no ABC, Jovens Acusam Seguranças de Shopping de Agressão

Quatro jovens saíram da Parada do Orgulho LGBT em Santo André e foram até o Grand Plaza Shopping jantar. Lá, dizem ter sido vítimas de homofobia e agredidos por seguranças do local.

por Débora Lopes
06 Julho 2015, 9:30pm

Foto: Reprodução

Ontem (5), assim que acabou a Parada do Orgulho LGBT na cidade de Santo André, um grupo de amigos foi até o Grand Plaza Shopping para jantar. Supostamente barrados pelos seguranças do shopping, quatro jovens dizem ter sido agredidos verbal e fisicamente.

De acordo com o depoimento da estudante de jornalismo Viviane Andrade, de 19 anos, os seguranças do shopping impediram o acesso de quem queria entrar e fecharam os portões. Depois de discutir com os funcionários, ela e uma amiga – que portavam bandeiras LGBTs – acabaram entrando. Minutos depois, segundo Viviane, um rapaz começou a gritar com o segurança dizendo que queria entrar no shopping para pegar seu carro. Nesse momento, o guarda o teria xingado de "viadinho" e aí teve início uma confusão que virou caso de polícia e acabou no 4º D.P. de Santo André.

Foto: Reprodução

Viviane conta que o rapaz foi jogado ao chão e três seguranças o imobilizaram. Ela resolveu, então, pegar o celular e gravar a agressão. Um dos seguranças teria dito "Tá gravando minha cara por quê? Não é pra gravar porra nenhuma". Uma outra garota teve seu celular tomado pelo segurança e, de acordo com Viviane, passou a apanhar dos guardas. "Enquanto gravava essa cena, fui surpreendida por um brutamontes que me deu uma chave de pescoço e tentou tomar o meu celular. Ele estava me enforcando. E outro foi em cima de uma amiga que tentou me defender. Mordi a mão dele até que ele soltasse o meu celular. Ele soltou e quase desmaiei por falta de ar", relata. De acordo com o depoimento de outra jovem agredida, um dos meninos fraturou o pulso e deslocou o ombro.

Foto: Reprodução

O saldo da noite de domingo foi o pior possível: "quatro pessoas que não esperavam por aquilo, que não imaginariam – nem nos sonhos mais sádicos – que a noite terminaria numa delegacia", disse Viviane em seu perfil no Facebook.

Foto: Reprodução

O boletim de ocorrência foi registrado às 21h de ontem como lesão corporal (art. 129). Nas redes sociais, amigos dos quatro jovens supostamente agredidos acreditam que tudo não passou de uma atitude homofóbica por conta dos guardas e pedem que os mesmos sejam devidamente punidos.

Procurada pela reportagem da VICE, a assessoria de imprensa do Grand Plaza Shopping informou que os portões foram fechados "para preservar a integridade física dos frequentadores do centro de compras e evitar danos ao patrimônio, face à ocorrência de tumultos na área externa ao empreendimento". Além de lamentar o ocorrido e se opor a "qualquer tipo de manifestação ou ato preconceituoso", a assessoria explica que, desde 2006, o local é utilizado como base de apoio para a Parada do Orgulho LGBT de Santo André. Por fim, esclarecem seguir "colaborando com o levantamento dos fatos alegadamente ocorridos no interior do shopping para que sejam tomadas as devidas providências".

Siga a Débora Lopes no Twitter.