Noticias

O que pode mudar na vida dos jovens com a Reforma Previdenciária de Temer

Achou que ia ter uma vidinha tranquila viajando uma vez por ano para uns resorts na Bahia, né?

por Débora Lopes
07 Dezembro 2016, 5:15pm

Foto via iStock

O governo de Michel Temer (PMDB) estima que irá poupar R$ 740 bilhões em 10 anos (mais especificamente entre 2018 e 2027) com as mudanças propostas pela PEC 287, popularmente conhecida como Reforma Previdenciária. Isso implica em freios e cortes, ou seja, todos os paranauês que conhecemos hoje e que servem para termos a dignidade de uma aposentadoria suavona irão mudar. A expectativa de sermos tiozinhos grisalhos com uma vida mais ou menos, sem muitas preocupações e uma viagenzinha com a CVC vez ou outra pode ir por água abaixo.

Aqui, o que você realmente precisa saber: iremos trabalhar por mais tempo.

Pra boa parte da juventude, falar sobre economia é meio mala. Nós gostamos mesmo de ver o salário na conta no final do mês e foda-se tudo. Mas são tempos temerosos. Por isso, fizemos um beabá simplão do que pode mudar na vida dos brasileiros se a PEC for aprovada pelo Congresso Nacional.

COMO É HOJE

Basicamente, pra você se aposentar, precisa cumprir a fórmula do sistema de pontos aprovado em 2015. É assim: o sistema de pontos exige que os homens tenham 35 anos de contribuição + 60 anos de idade, totalizando 95 pontos. Já as mulheres precisam ter contribuído por 30 anos e mais de 55 anos de idade, totalizando 85 pontos.

Há também a aposentadoria por idade, ou seja: homens a partir dos 65 anos e mulheres a partir de 60 anos podem se aposentar, mas só se tiverem contribuído por 180 meses.

Isso tudo influencia em quanto você irá receber mensalmente como aposentadoria.

COMO SERÁ

A idade mínima para se aposentar será de 65 anos para homens e mulheres. O tempo mínimo de contribuição com o INSS também será alterado: passa de 15 anos para 25 anos. Ou seja, se você é autônomo, frila, PJ, vende miçangas, brigadeironha ou é sustentado pela grana dos pais enquanto curte as festinhas da faculdade, é melhor correr e começar a recolher o tributo. A não ser que você seja herdeiro e esteja cagando pra isso.

Trabalhadores rurais também serão atingidos. Hoje, eles se aposentam com 55 anos (mulheres) e 65 (homens), tendo de comprovar 15 anos de contribuição. Com a Reforma, ambos poderão aposentar somente com 65 anos e 25 anos de contribuição.

Servidores públicos também sofrerão mudanças, mas que ainda não foram definidas. Já para os militares, nada irá mudar. O governo Temer justifica que as alterações serão feitas só depois da reforma, respeitando as peculiaridades da carreira.

Em uma cartilha produzida pelo governo federal com perguntas e respostas sobre a reforma da Previdência Social, há uma justificativa. "Hoje, uma em cada dez pessoas é idosa. Em 2060, uma em cada três será idosa", traz o texto. "A evolução demográfica aponta para uma maior quantidade de beneficiários, os quais, além de mais numerosos, serão mais longevos."

Aposentados e beneficiários que fizerem a requisição da aposentadoria antes da reforma não serão afetados. Haverá também uma regra de transição para não prejudicar as pessoas que estão próximas de se aposentar.

SE VOCÊ TEM 20 ANOS HOJE

Se você está na flor da idade (isso é uma piada ruim pra dizer "20 anos") e não contribuiu com o INSS, tenha em mente que precisará fazê-lo por 25 anos. Aí, poderá se aposentar aos 65.

SE VOCÊ TEM 30 ANOS HOJE

Vamos trabalhar com duas possibilidades. Se você é um balzaquiano e frila, nunca tendo contribuído com o INSS, precisará fazê-lo por 25 anos, assim como todos os brasileiros. Autônomos podem fazer isso.

Se você é um trintão com 10 anos de trampo nas costas e contribuiu com a Previdência Social, a notícia é menos pior: você ainda tem de contribuir por mais 15 anos, mas só poderá se aposentar aos 65, como qualquer reles mortal brasileiro. Você vai trabalhar pra caralho ainda, cara.

NÃO SABE POR QUANTO TEMPO CONTRIBUIU COM O INSS?

Para vislumbrar a própria aposentadoria, deveria saber. Dá pra consultar o seu "saldo" pela internet. Rola uma burocraciazinha, precisa ter o número do PIS, pegar senha em local físico e tal, mas aqui está o link. Correntistas do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal conseguem fazer a consulta através de seus próprios banklines. Pedir ajuda pra galera do RH da firma em que você trampa pode ser uma via mais fácil.

Se quiser sacar outras maneiras de ter uma velhice mais confortável sem depender do governo, dá uma bizoiada nessa matéria aqui. Mas fica o aviso: quem não poupar ou pensar em formas alternativas, como a previdência privada, pode estar fodido.

Ou seja, boa sorte, boa saúde e bom trabalho pra gente.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.