Fotos

A Festa de Santa Bárbara em Codó, no Maranhão

O calor humano e espiritual é tamanho que um pai de santo ou outro já enfartou durante a festejo. É o que alguns codoenses juram de pé junto.

por Débora Lopes; fotos por Felipe Larozza
19 Dezembro 2016, 11:56am

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Tambores, calor, saias rodadas, cânticos africanos. Todo ano o ritual é o mesmo: as pessoas compram velas e fogos de artifícios nos mercadinhos da cidade de Codó, no Maranhão, para a Festa de Santa Bárbara, cuja celebração se inicia no dia 4 de dezembro e corre semana adentro.

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Conhecido como "Terra dos Encantados", o município é famoso pelos quase 300 terreiros de terecô, sincretismo religioso que une elementos da umbanda, do candomblé e do catolicismo.

Para os terecozeiros, Santa Bárbara é Iansã, orixá que carrega sempre consigo uma espada. Suas cores são o branco e o azul.

Foto: Felipe Larozza/ VICE

O bafo quente que faz as janelas de vidro transpirarem não desanima quem está dentro do Terreiro Domingueiro suando e girando, na periferia da cidade. O calor humano e espiritual é tamanho que um pai de santo ou outro já enfartou ali durante a festa. É o que alguns codoenses juram de pé junto. O batuque não para. Do lado de fora, quase todo mundo segura uma cerveja gelada na mão. Tudo é simples: as pessoas, o ambiente, as roupas. O primeiro dia de celebração vai até o dia clarear.

Bita do Barão. Foto: Felipe Larozza/ VICE

Já na festa de Bita do Barão, um dos pais de santo mais famosos do país e sempre visitado por famosos – há anos atuando como uma espécie de guru da família Sarney –, há um lado mais sofisticado. Dos santos de tamanho humano aos tecidos dos figurinos utilizados pelos terecozeiros, percebe-se um contraste com a pobreza existente em Codó.

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Não é só a população local que desfruta da celebração. Segundo o presidente da Associação de Umbanda e Candomblé de Codó, Marcelo Senzala, as festividades movimentam a economia local. "Antropólogos, jornalistas, estudantes, historiadores, adeptos e curiosos se hospedam nos hotéis, aquecem as vendas de comidas típicas da região e visitam os terreiros, dando uma maior visibilidade e levantando a auto-estima da população de matriz africana", define.

Abaixo, saque mais fotos da Festa de Santa Bárbara que aconteceu este ano.

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE

Foto: Felipe Larozza/ VICE