sexo

Tentei substituir os homens por brinquedos eróticos que "chupam o clitóris"

Não é todo dia que você coloca seu grelo à prova de simuladores de sexo oral.

por Alison Stevenson; Traduzido por Marina Schnoor
24 Outubro 2018, 6:34pm

Fotos pela autora.

Sim, o mundo parece uma grande lixeira pegando fogo agora, mas dentro desse mal-estar geral ainda temos que tentar encontrar pedacinhos de felicidade. Pra mim, essa alegria surgiu na forma de um tipo de brinquedo erótico do qual eu nunca tinha ouvido falar: simulador de sexo oral para mulheres. Esses brinquedos dizem utilizar sucção de várias maneiras para imitar as sensações que um clitóris tem durante o oral.

Chamo esse tipo de brinquedo de “chupa clitóris”, mas não sei se eles realmente chupam. Não tenho certeza como eles funcionam. Os fabricantes usam muitos termos como “ondas sônicas”, “tecnologia de ar” e “pulsações”. Parece que eles fornecem a sensação de alguém chupando sua vagina sem realmente chupar, se é que isso faz sentido.

Apesar desses brinquedos não serem os primeiros a tentar imitar o sexo oral, parecem ser os primeiros a levar isso a sério. É muito difícil encontrar uma história oral (risos) dos imitadores de cunilíngua, apesar dos vibradores em formato de língua, que estão por aí faz um tempo.

Eles nunca fizeram sucesso como esses novos brinquedos de sucção, que surgiram em 2015, estão fazendo. Talvez porque a tecnologia não era certa, ou porque os aparelhos eram meio ridículos. Por exemplo, essa roda-gigante de língua chamada Sliquid Sqweel. Se você me mostrasse um desses e dissesse que a sensação é similiar a receber sexo oral, eu ia achar que era zueira.

Especialmente para as solteiras, a ideia de que existe um aparelho que pode chupar sua xoxota, pra você não ter que ficar com outro babaca do Tinder que precisa te dizer que "isso não significa que vocês estão namorando" quando ele para pra respirar no meio dos seus pentelhos, parece um sonho. Então, minha expectativa era de que esses brinquedos fossem melhor que a coisa real, assim eu poderia desistir dos homens de vez.

Experimentei alguns – que fabricantes e revendedores me mandaram de graça – para ver qual deles chegava mais perto de replicar um cara de verdade. Aqui vai o que descobri.

Girl's Best Friend da Sweet Vibrations

a pink sex toy

O Girl's Best Friend é o mais barato da lista, o que é o principal ponto positivo. Foi o primeiro que experimentei, então talvez minhas expectativas fossem muito altas, mas tenho que dizer, foi uma decepção. Dentro dele tem umas coisinhas que parecem tentáculos de silicone, e que parece que estão ali para, tipo, sei lá, propósito de cócegas? Eles não pareciam fazer muita coisa quando usei o aparelho no meu corpo.

Fiquei sinceramente chocada com quão doloroso era usar o aparelho. Eu estava esperando uma sensação prazerosa de sucção, mas era intenso demais, mesmo na velocidade mais baixa. Mexi nas configurações, mas acabei gostando mais quando não tinha nenhuma vibração. Havia várias definições de padrões de sucção, como sucção-pausa-sucção ou sucção-sucção-pausa, como se alguém estivesse fazendo código morse na sua vagina. Todos os meus vibradores têm alguma variação disso, mas não entendo realmente por que alguém ia preferir um padrão de vibrações e/ou sucção em vez de algo constante.

Eventualmente consegui gozar, mas foi um dos orgasmos mais estranhos que já tive. Foi desconfortável, e honestamente, odiei. Antes de usar o brinquedo, eu não achava que era possível ter um orgasmo doloroso. Meio que forcei a coisa apesar do meu corpo estar se encolhendo do brinquedo o máximo que podia. A dor não era o suficiente para eu querer desligar, mas foi o suficiente para pensar quem diabos testou esse produto antes de chegar ao mercado e se o clitóris da pessoa era de ferro.

O produto não parecia um melhor amigo de uma garota, mas sim aquela mina que se diz sua amiga e fica com o cara que você acabou de dizer que é seu crush.

Womanizer Premium da Womanizer

The womanizer sex toy

Várias amigas tinham me falado para experimentar esse. Apesar de o nome ser uma atrocidade, o Womanizer tinha alguns recursos interessantes que os outros produtos não tinham. Ele parecia mais elegante que os outros, e é ativado pelo contato com a pele. A cabeça é destacável e vem com uma substituta.

O fabricante diz que o produto te faz gozar rápido graças a sua “Pleasure Air Technology” patenteada, o que não é particularmente útil para mim, mas pode ser atraente para quem estiver lendo. Não quero me gabar, mas acho que gozo bem fácil com um vibrador. Com a maioria dos vibradores, faço o trabalho em dois ou três minutos. O que procuro num simulador de sexo oral não é um orgasmo rápido, mas um orgasmo parecido com o que consigo com uma boca de verdade na minha xoxota.

Nos primeiros segundos de contato com meu clitóris, algo muito estranho aconteceu. Me mijei. Depois de procurar na internet descobri uma thread no Reddit onde uma mulher falava sobre uma experiência similar, e todos os comentários tentavam convencer a moça de que ela tinha tido uma ejaculação feminina. Me recuso a acreditar que tive uma ejaculação. Se um dia eu tiver uma ejaculação, é porque estou curtindo e tendo um orgasmo maravilhoso. Não foi isso que senti. Senti que foi um xixi induzido a vácuo. Completamente involuntário e nada erótico.

Me limpei e tentei de novo. Infelizmente, senti o mesmo tipo de dor que com o Girl's Best Friend. Não dor no sentido tradicional, mas o tipo de dor que você tem com estimulação exagerada. Não era muito concentrada, mas me fez perceber que meu grelo pode não ser o tipo certo para esses produtos. Acabei usando só as definições de vibração do Womanizer, então ele ainda estava estimulando meu clitóris mas mais distante dele. Era mais gostoso, mas igual um vibrador normal. Eventualmente consegui gozar. Não me mijei, mas também não foi incrível.

Satisfyer Pro 2

a 'satisfyer' sex toy

O site pornô feminista e revendedor de brinquedos Bellesa me mandou esse. Chateada com minhas experiências com o Girl's Best Friend, e o caso do xixi com o Womanizer, eu não tinha ideia do que fazer com o Satisfyer Pro 2. As resenhas online me deixaram empolgada, com algumas mulheres dizendo que foi o melhor orgasmo da vida delas, e outras dizendo que era exatamente igual a sexo oral.

À primeira vista, ele parecia diferente o suficiente para oferecer uma experiência melhor. A cabeça de silicone é maior, o que me fez pensar que poderia ser mais confortável e menos doloroso de usar.

Quando liguei e inseri os dedos, senti uma bolinha de metal que subia e descia. Talvez, achei, esses estímulos clitorianos fossem melhor que a coisa dos tentáculos? (Taí uma coisa que nunca achei que digitaria na vida.)

Boas notícias! Esse brinquedo era menos doloroso que os outros, o que acho que tem a ver com a cabeça maior. Senti menos dor enquanto o orgasmo se aproximava, mas quando chegou a hora do orgasmo real, meu corpo fez a mesma coisa de “O que diabos você está fazendo?” de se encolher. Determinada a encontrar o jeito certo, pesquisei mais um pouco na internet e descobri algumas usuárias recomendando usar lubrificante. Felizmente eu já tinha lubrificante a base de água em casa, e resolvi dar uma segunda chance.

O lubrificante fez diferença no começo. Por alguns segundos, parecia que uma boca tinha entrado em contato com o meu corpo, mas essa sensação passou rápido. Comecei a me sentir do mesmo jeito que antes, mas um pouco mais fácil de manobrar. Meu orgasmo dessa vez foi um pouco mais satisfatório que os outros dois, mas só porque não foi tão doloroso.

InsideOut da Womanizer

an

Minha última tentativa. O InsideOut era diferente dos outros por ter uma parte visando proporcionar estimulação no ponto G. Eu estava empolgada em experimentar, imaginando se ele podia imitar o clássico “sexo oral com dois dedos na vagina”.

Esse era o que mais parecia ter sido enviado do futuro para destruir a humanidade. Olhando pra ele, vi uma luz verde que parecia que ia escanear meu grelo atrás de impressões digitais. Mas, dedicada à missão, deixei de lado a sensação estranha de que o brinquedo na verdade foi criado pela NSA e comecei a me masturbar com ele.

Eis que a Cachinhos Dourados Excitada encontrou um vibrador de simulação de sexo oral que é certo pra ela! Mas um aviso, acho que esse brinquedo funcionou melhor pra mim por causa da opção de inserção, que era extremamente eficiente. Deixei a parte do vácuo no clitóris a uma certa distância do meu grelo para não ser uma sensação tão intensa como os outros. Não experimentei nenhuma dor, e com a contração dos meus músculos vaginais, consegui ter uma experiência sem usar as mãos (kegelfunciona mesmo, gente). Não acho que tinha realmente alguma estimulação do ponto G acontecendo. Em vez disso, acho que consegui posicionar a parte da sucção melhor graças a parte que deveria estar estimulando meu interior.


Apesar da minha experiência com esses brinquedos não ter sido a melhor, todos me fizeram gozar, então acho que não foi um desperdício de tempo. Para a maioria deles, foi a primeira vez que experimentei um orgasmo que odiei, o que eu achava impossível antes. Apesar de gostar do esforço colocado nesses produtos, não acho que esse é o tipo de brinquedo erótico certo pra mim. Mas vendo tantas resenhas boas, fiquei pensando se meu clitóris não era o problema. Não sei o que dizer.

O problema que tive foi basicamente uma sobrecarga sensorial. A melhor parte da língua humana é que ela tem a pressão e a maciez certa, e geralmente tenta não se focar no clitóris em si, mas nos arredores, o que estimula mas não é intenso demais. A tecnologia de sucção é incrível, mas muito distante das melhores partes do sexo oral, que geralmente tem bem pouca sucção. É mais uma coisa de lamber e girar a língua. A sucção é quando geralmente grito “Nãoooo, continua fazendo o que você estava fazendo antes”.

Para todo mundo que curte lamber xoxota por aí, seu trabalho ainda não acabou. Continuem lambendo bocetas como se fosse sua última refeição.

Siga a Alison Stevenson no Twitter.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.