Publicidade
VICE News

Tarantino chamou o acidente de carro de Uma Thurman em 'Kill Bill' de “o maior arrependimento da minha vida”

A atriz postou em suas redes sociais um vídeo em que mostra como dirigir um carro durante as filmagens do longa acabou em um acidente. Ela também acusa Harvey Weinstein de assédio.

por Josh Marcus; Traduzido por Marina Schnoor
06 Fevereiro 2018, 7:37pm

Foto: Quentin Tarantino chega à noite de abertura da NEXT FEST em sua homenagem no Sundance, 10 de agosto de 2017, Los Angeles. (Foto por Gabriel Olsen/FilmMagic)

Matéria originalmente publicada na VICE News .

Depois de uma tempestade de críticas nas redes sociais, o diretor Quentin Tarantino se desculpou publicamente com a atriz Uma Thurman, que relatou abusos nas mãos do produtor Harvey Weinstein e do próprio Tarantino numa matéria do New York Times.

“Além de um dos maiores arrependimentos da minha carreira, esse é um dos maiores arrependimentos da minha vida”, disse Tarantino ao Deadline na segunda sobre o acidente de carro que aconteceu durante a filmagem do filme Kill Bill de 2003. “Como diretor, você aprende coisas, e às vezes aprende através de erros terríveis.”

Thurman e Tarantino são amigos e colaboradores de longa data em vários filmes, mas o incidente em Kill Bill complicou as coisas entre eles por anos. Thurman diz que Tarantino a pressionou para dirigir por uma estrada de terra para uma cena em vez de usar uma dublê, e isso resultou em Thurman batendo o carro numa árvore e sendo mandada para o hospital com ferimentos no pescoço e joelhos.

Depois, segundo Thurman, a produtora de Weinstein, a Miramax, escondeu o carro e a filmagem dela e não a deixou investigar o acidente a menos que ela assinasse uma liberação, o que ela recusou. Quinze anos depois, Tarantino ajudou Thurman a encontrar a filmagem enterrada num armazém, e a atriz postou o vídeo no Instagram na segunda-feira.

“Posto esse vídeo para registrar sua total exposição no NYT por Maureen Dowd. As circunstâncias desse evento foram negligentes ao ponto do criminoso. Mas não acredito que com intenção maliciosa. Quentin Tarantino, que se arrepende profundamente e continua sentindo remorso por esse incidente infeliz, me deu a filmagem anos depois para eu poder expô-la e deixá-la ver a luz do dia, independente desse provavelmente ser um evento em qual a justiça nunca será possível. Ele também fez isso sabendo perfeitamente que poderia ser prejudicial para sua vida pessoal, e tenho orgulho dele por fazer a coisa certa e por sua coragem. Os fatos terem sido ACOBERTADOS depois é algo IMPERDOÁVEL. Considero Lawrence Bender, E. Bennett Walsh e o notório Harvey Weinstein como únicos responsáveis. Eles mentiram, destruíram provas e continuaram a mentir sobre o dano permanente que causaram e escolheram esconder. Acobertar essas coisas teve uma intenção maliciosa, e que esses três sintam vergonha pela eternidade. A CAA nunca mandou ninguém para o México. Espero que eles cuidem de seus outros clientes com mais respeito se realmente querem fazer o trabalho pelo qual são pagos com alguma decência.”

“Considero [os produtores] Lawrence Bender, E. Bennett Walsh e o notório Harvey Weinstein como os únicos responsáveis”, ela escreveu na postagem do vídeo. “Eles mentiram, destruíram provas e continuaram a mentir sobre o dano permanente que causaram e escolheram esconder. Acobertar essas coisas teve uma intenção maliciosa, e que esses três sintam vergonha pela eternidade.”

Ela deu crédito a Tarantino por se desculpar e ajudar a liberar a filmagem.

Sua história complicada com os dois homens vem de muito antes. Antes de fazerem Kill Bill, segundo Thurman, Weinstein tentou se oferecer a ela num quarto de hotel em Londres, depois ameaçou a carreira Thurman se ela decidisse confrontá-lo. Através de um porta-voz, Weinstein negou ameaçar a atriz, apesar de reconhecer “ter dado uma cantada” em Thurman, e disse que se desculpou imediatamente depois.

Tarantino obrigou Weinstein a se desculpar como uma condição para os três fazerem Kill Bill juntos.

A série rendeu ao trio várias indicações para prêmios, mas resultou em ainda mais abuso para Thurman no processo. Quando o roteiro pedia, Thurman diz que Tarantino escolheu pessoalmente cuspir nela e enforcá-la nas cenas, em vez de ter atores para isso, incidentes que Tarantino reconheceu mas disse terem acontecido com a permissão de Thurman.

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter e Instagram .