FYI.

This story is over 5 years old.

Tudo o que Sabemos Sobre o Novo Disco da Björk, ‘Vulnicura’

O próximo disco da islandesa sai em março e foi, em grande parte, produzido pelo Arca.
17 Janeiro 2015, 12:16amUpdated on 17 Janeiro 2015, 12:37am

Pode apostar, a Björk anunciou o seu 9o disco do jeito mais Björk possível. Na última terça-feira (13) à noite, apareceu nas redes sociais dela um bilhete manuscrito revelando que o título do álbum é Vulnicura (um título mais Björk impossível, aliás). Agora, é palpável a empolgação dela – você pode praticamente imaginá-la de pé numa pedra, balbuciando "¡¡ senhoras & senhores !!" com as mãos juntinhas sobre o peito. Ela também anunciou a tracklist e a data do lançamento do álbum, previsto para março.

Confira o adorável bilhetinho abaixo:

"¡¡ senhoras & senhores!!

Estou muito orgulhosa em anunciar que o meu novo disco será lançado em março. Ele se chama Vulnicura_. Os títulos das músicas são "Stonemilker", "Lionsong", "History of Touches", "Black Lake", "Family", "Notget", "Atom Dance", "Mouth Mantra" e "Quicksand". Espero mesmo que vocês gostem!! Calorosamente, Björk"_

E tem mais. Os créditos do disco, listados na página dela no Facebook, também revelam o seguinte:

  • Seis músicas foram escritas pela própria Björk, duas músicas escritas em parceria com o Arca, uma música escrita em parceria com o John Flynn
  • Arranjos de cordas feitos pela Björk
  • Seis músicas produzidas pela Björk em parceria com o Arca, uma música produzida pelos dois com o Haxan Clock, duas músicas produzidas pela Björk
  • Mixagem do Haxan Cloak, exceto por duas músicas mixadas por ele em parceria com o Chris Elms
  • Masterização feita pela Mandy Parnell

E o que isso nos revela? Primeiro, a extensão do envolvimento do Arca neste disco. Embora já tivesse sido noticiado que o produtor venezuelano estava coproduzindo o disco, só agora sabemos que ele está produzindo exatos dois terços dele.

Além disso, sabemos também que a Björk finalmente achou o seu parceiro perfeito – uma criatura estranha como ela que seguidamente não parece pertencer a este planeta. O Arca foi responsável pelos sons sombrios e esquisitos de Yeezus, do Kanye West, e de LP1, da FKA Twigs, e o seu disco de estreia, Xen, lançado no ano passado, chegou a alcançar a nona posição da nossa lista dos Melhores Discos de 2014. Embora o som dele seja rotulado como "hip-hop experimental", vai muito além do "esquisito", adentrando um espaço totalmente irreconhecível – os tilintantes sons metálicos, os gritos mutantes e as texturas dissonantes que exemplificam a vibe do Arca parecem vir de um planeta totalmente diferente.

Haxan Cloak

Quanto ao Haxan Cloak, o seu último disco, Excavation, lançado pela Tria Angle, era sobre uma jornada pela vida após a morte, enquanto o seu disco de estreia homônimo explorava o misticismo e o ocultismo através de gravações de campo, do arranhar de cordas de violinos e de vozes desencarnadas. Até o seu pseudônimo tem uma inspiração sinistra – o filme mudo Häxan, de 1922, sobre bruxaria e possessão demoníaca. Em outras palavras, o produtor britânico também circula pelo terreno da música eletrônica fúnebre e experimental.

Mas você não precisa saber de tudo isso para intuir que Vulnicura já é um dos discos mais esperados de 2015 e que ele vai ser inovador pra caralho. No ano passado, o último disco multimídia da Björk, Biophilia, se tornou o primeiro aplicativo a ser incluído na coleção permanente do MoMA. Isto é o que ela faz – consegue ser vanguardista sem fazer o menor esforço, expandindo os limites da música com um sorriso travesso no rosto, enquanto olhamos para ela de boquiabertos, esperando para ver o que ela vai aprontar em seguida.

@MichelleLhooq

Tradução: Fernanda Botta

Publicidade