Publicidade
Noticias

O FBI está caçando Ahmad Khan Rahami, suspeito dos atentados à bomba de Nova York

Depois de três atentados à bomba em dois dias no fim de semana em Nova York e Nova Jersey, um afegão 28 anos radicado nos EUA é o principal suspeito da explosão que feriu 29 pessoas no sábado (17).

por Keegan Hamilton
19 Setembro 2016, 3:30pm

Ahmad Khan Rahami, foto via FBI.

Alguns detalhes surgiram sobre essa investigação da explosão de uma bomba em Manhattan, em Nova Yor, na noite de sábado (17). O que sabemos até agora:

- A família de Rahami é proprietária do restaurante de frango frito no térreo de sua casa em Elmora Avenue em Elizabeth, Nova Jersey, de acordo com informações do New York Times. Depois de várias queixas dos vizinhos sobre barulho à noite, a cidade deu ordem para que o restaurante fechasse mais cedo. O irmão de Rahami teria fugido para o Afeganistão depois de se envolver numa briga com um policial sobre o negócio, e o pai processou a cidade alegando discriminação étnica.

- A motivação por trás da explosão ainda não está clara e as autoridades ainda não tem certeza por que as bombas foram colocadas em Chelsea, um dos bairros mais conhecidos de Nova York. Nenhum grupo terrorista assumiu responsabilidade pelos atentados.

- Um oficial anônimo disse ao Times que as bombas de panela de pressão no Chelsea estavam cheias de "material de fragmentação", como pequenos rolamentos de metal ou munição usada em armas de chumbinho.

- Além das bombas em Seaside Park, as autoridades acharam três outros explosivos de canos que não detonaram em Nova York. A bomba tinha um celular de flip como detonador, também de acordo com o que foi noticiado pelo Times. Os explosivos postos no Chelsea teriam uma configuração similar.

Postagem original abaixo.

Depois de três atentados à bomba em dois dias no fim de semana em Nova York e Nova Jersey, as autoridades identificaram Ahmad Khan Rahami, 28 anos, como suspeito de estar ligado à explosão que feriu 29 pessoas no sábado, em Manhattan.

O porta-voz do Departamento de Polícia de Nova York, J.Peter Donald anunciou no Twitter que a polícia está procurando Rahami para interrogatório sobre as explosões de sábado em Manhattan, e um segundo explosivo caseiro de panela de pressão que não foi detonado.

"Quero deixar claro que esse indivíduo pode estar armado e é perigoso", disse o prefeito de Nova York Bill de Blasio nesta segunda (19).

Segundo um cartaz de procurado divulgado pelo FBI, Rahmani é um cidadão americano de descendência afegã cujo último endereço conhecido era em Elizabeth, Nova Jersey. Por volta das 20h45 do domingo, a polícia encontrou cinco bombas de canos numa mochila em cima de uma lata de lixo próxima a estação de trem em Elizabeth, um subúrbio a cerca de 30 quilômetros de Manhattan.

As bombas foram notadas por volta das 20h45 por civis, que alertaram a polícia. O esquadrão antibomba chegou na cena e usou um robô para tentar desarmar um dos explosivos, que acabou detonando. Ninguém ficou ferido.

Também por volta das 20h45 no domingo, o FBI e e a polícia de Nova York pararam o que as autoridades chamaram de um "veículo suspeito" no Brooklyn, perto da Ponte Verrazano. Cinco pessoas estariam sob custódia e sendo interrogadas sobre a explosão em Manhattan, segundo um oficial da lei anônimo que falou com a Associated Press.

O governador de Nova York Andrew Cuomo disse inicialmente que a explosão em Chelsea não parecia ter ligação com o terrorismo internacional — as mais novas evidências, no entanto, sugerem o contrário.

"Eu ficaria surpreso se realmente tivéssemos uma ligação estrangeira com o ataque", disse Cuomo à CNN.

O outro incidente aconteceu na manhã de sábado (17) no Seaside Park, Nova Jersey, cerca de 11 horas antes da explosão em Manhattan. Uma bomba de cano explodiu numa lata de lixo ao longo de uma corrida beneficente que visava reverter os lucros para membros do exército e suas famílias. A corrida não tinha começado ainda e ninguém se feriu.

As autoridades estão investigando se os três incidentes estão ligados, mas o comissário da polícia de Nova York James O'Neill informou: "Até agora parece não haver ligação". Um oficial anônimo da Homeland Security disse a Reuters que as bombas de Nova Jersey e Nova York tinham ligação, mas não deu mais detalhes.

Cuomo disse que havia "certas similaridades entre as bombas", o que levou as autoridades a suspeitar que "havia um grupo comum por trás" dos explosivos.

Segundo a Associated Press, agentes do FBI com cães farejadores invadiram um apartamento ligado a Rahmani em Elizabeth por volta das 6h de segunda. O apartamento ficaria em cima de um restaurante de frango frito num bairro residencial. Não está claro se alguém foi preso durante a busca.

Tradução: Marina Schnoor

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.

Tagged:
manhattan
FBI
polícia
terrorismo
Noticia
Ahmad Khan Rahami
Vice Blog
βόμβα
Afeganistão
atentado Nova York
polícia de Nova York