Um papo com o Síntese sobre “Jah Me Chamou”

Numa pegada classicona, o clipe dirigido por Jean Furquim sintetiza bem anseios, missões e sentimentos do rapper do Vale do Paraíba.

|
03 Novembro 2016, 6:56pm

Na madrugada deste domingo,  30, o Vale das Palavras voltou a deixar marca. No aquecimento para o lançamento do segundo e aguardadíssimo disco, o Síntese lançou o clipe da faixa inédita "Jah me Chamou", que surpreendeu geral por ter o Neto mandando uma parte inteira em inglês, no maior estilo Black Alien, e por trazer no vídeo uma bela homenagem à terra-mãe do músico, o Vale do Paraíba.

Uma produção conjunta do Neto com o produtor paulistano TH, a faixa é a segunda novidade recente (a primeira foi o clipe de "Desconstrução") e mais uma amostra da nova fase do Síntese.

O clipe, produção do Jean Furquim, conta com a participação em peso da Família Matrero, dos amigos, da família do Neto. "A gente sempre quis gravar um clipe classicão, crescemos vendo os gringos.  Colocamos a quebrada no mapa e falando o que todo mundo daqui sente. 'To remind my soul' é a parte da fogueira, da terra, meus pais que aparecem ali, meus irmão de vida, de infância. 'Jah já chamou' é a missão né mano, a gente levar essa luz pra mais pessoas" , explicou Neto.

A produção em parceria com o TH surgiu naturalmente. Nos últimos meses, Neto tem produzido o próximo disco do rapper Inglês, de São José dos Campos e também integrante da Família Matrero, no estúdio do TH, o Diresponsa, na Zona Norte de São Paulo. Em um dos dias de gravação, o Inglês acabou não gravando e o Neto sentou no teclado do TH pra dar uma brincada, o que acabou virando uma base. Sampleou um som, entrou com o baixo, o TH entrou com o piano e os outros instrumentos. Enquanto rolava a mixagem, Neto escreveu a letra, com a primeira parte em inglês, uma brisa que já tava rolando em alguns versos dos últimos sons lançados e que têm influência dos gringo que sempre tocaram nos fones, do Black Alien e do Mano Brown também.

Mas, apesar de ter sido divulgada na curva de ansiedade pré-lançamento do álbum completo, "Jah Me Chamou" não fará parte do tracklist do disco. "Ficou um som diferente, eu nunca tinha feito algo parecido, nunca tinha feito algo com o TH e eu achei mó daora, gostei tanto que meses atrás eu até quis colocá-la no disco, mas eu vi que não ia dar. Tentei experimentá-la em alguns lugares e não foi, não senti que tinha a ver com o contexto do disco."

Clipe classicão, beat diferente de tudo já produzido pelo Síntese, inovação lírica recheada de influências, rima repleta de amor e de responsabilidade. Neto me contou sobre essa união: "Essa música é a liberdade e o compromisso. Eu quis fazer um recorte da realidade com tudo que a gente gosta, tentando materializar a realidade que a gente almeja sem esquecer das raízes, tanto que o clipe acaba na escada que a gente gravou o nosso primeiro clipe, 4:20, que lançamos em fevereiro de  2012. Quatro anos depois, tamo lá, no mesmo bairro, na mesma cidade, falando essa filosofia, esse jeito de sentir, de preservar e celebrar a consciência".

Perguntei para ele o que mudou nesses quatro anos de evolução e escadaria.  "Muita coisa. Eu tô aqui pra mudar, mano. O universo é assim: eterno transmutar. Depois que a bomba estourou, cada um foi pra um lado, correr atrás do seu Deus, onde desata o nó da própria distorção. Eu fui quebrar paradigmas, expandir a mente, conhecer pessoas, lugares, culturas, fui ver o que o mundo tem e me encontrei com uma verdade muito profunda nessa descoberta. O que eu vejo é que eu amadureci, não tenho mais 18 anos. No fim, o que está no centro disso tudo é que a gente leva a vida com responsabilidade, união dos sérios da vida e seus mistérios. A gente preserva o sentimento bom, faz o irmão se sentir seguro, troca divinas virtudes, acho que o sentido da vida é esse. Eu gosto mais da vida hoje em dia."