Noisey

Devasto Prod junta "três gerações de super-heróis" em "O Céu é o Limite"

O produtor conta como foi reunir Emicida, Rincon Sapiência, BK', Rael, Mano Brown e Djonga em um som em homenagem ao povo preto.

por Amanda Cavalcanti
11 Outubro 2018, 9:23pm

Foto: Divulgação

No começo de 2018, meses depois de lançar seu álbum de estreia Em Tempos de Hoje, Devasto Prod teve uma ideia ambiciosa: juntar Mano Brown e alguns outros nomes novos e consagrados do rap nacional em uma só faixa. A ideia era fazer um som em homenagem ao povo preto e mostrar que eles poderiam fazer o que quiserem — daí o nome da faixa "O Céu é o Limite", lançada hoje por Devasto com participações de Brown, Rincon Sapiência, Rael, Emicida, BK' e Djonga.

"Foi a realização de um sonho juntar todos esses artistas que são gênios. São três gerações de super-heróis", fala Devasto ao Noisey sobre o grupo. "Já conheço a rapaziada há muitos anos, então já tem uma sintonia, uma amizade. O entrosamento dos caras é foda, porque o caminho deles é o mesmo. Cada um tem um estilo, um jeito próprio de fazer arte, mas todos lutam contra o racismo e várias paradas."

O som começou a se desenhar durante uma reunião na sede da Boogie Naipe em janeiro em que, depois do aval de Brown, Devasto e o diretor Pedro Gomes (que já dirigiu clipes para Rael e Emicida) começaram a planejar a parceria. Quando todos os rappers toparam e as letras estavam a postos, porém, o grupo teve um problema: Pedro estava fora do Brasil e não poderia dirigir o clipe direto do set. A solução, então, foi que ele se comunicasse via vídeo e dirigisse o vídeo a distância.

O diretor conta que a ideia inicial que teve para o clipe era pra lá de megalomaníaca, mas, na hora de conseguir um patrocínio, o grupo de rappers acabou rejeitando todas as propostas. "Isso aqui é um projeto dos petros, e eles nunca fizeram nada pra nós", conta Pedro. "Pela questão de grana, então, não podíamos ter muita produção. Acabou virando um clipe mais 'rapão' mesmo: o artista rimando pra câmera."

O clipe, gravado num estacionamento, tem um clima de festa: por cima do beat de Devasto e junto ao refrão cantado por Rael, o grupo manda versos bem-humorados e críticos sobre a formação da identidade negra no Brasil e, claro, fazendo um bragadoccio básico. "Os caras não se encontram sempre, então também foi legal para eles estarem juntos. É um projeto muito importante pro rap, e estou muito feliz em nascer parte disso", diz o diretor.

O formato de cypher acabou valorizando a mensagem passada pelos rappers no som, que Pedro também destaca: "Queríamos fortalecer a imagem do negro que não precisa ter limites, nem impostos pela sociedade e nem colocados por ele mesmo. A gente tem possibilidade de conseguir o que a gente quiser."

Essa mensagem é ainda mais importante, complementa Devasto, pelo clipe ter sido lançado em meio ao clima de violência que as eleições presidenciais de 2018 nos proporcionaram. "É um momento delicado e infelizmente polarizado. Eu como afrodescendente que mora no gueto, de origem da quebrada, zona sul de São Paulo, acho importante e correto me posicionar agora."

Assista "O Céu é o Limite" acima.

Leia mais no Noisey, o canal de música da VICE.
Siga o Noisey no Facebook e Twitter.
Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.