Photo by Elif Rey

O Loco Dice me Socou na Cara

Uma entrevista com o mestre Shaolin do techno em meio ao um treino de Muay Thai.

|
out 20 2015, 12:00pm

Photo by Elif Rey

Bem-vindo ao Paul Brown Boxfit, uma típica academia de luta bem no coração de Toronto, no Canadá. Estamos naquela hora bem após o nascer do sol e apenas algumas hora antes do último dia do Electric Island, o festival de shows e piqueniques canadense que aconteceu no último sete de setembro. Na minha frente, está a atração principal, um genuíno monstrão e auto proclamado 'mestre Kung Fu do house e techno': Loco Dice.

Todas as fotos por Elif Rey.

As artes marciais sempre foram vitais para o estilo de Dice. Sentado enquanto habilmente enfaixa as mãos, Dice recorda de ser um adolescente de origem tunisiana em Düsseldorf, na Alemanha, assim como crescer em Flingern, que Dice laconicamente descreve como uma vizinhança "muito ruim". "É assim que as crianças começam na verdade", ele explica. "Foram meus anos de adolescência, eu tinha por volta de 16. Eu tinha sorte de ter uma grande família, bons primos — um time forte em volta de mim. Mas é assim, você cresce vendo filmes de Kung Fu e karatê e tudo isso, né?"

Nessa época, Dice estava andando muito com caras mais velhos e maiores. "Eles nunca ficavam bravos nem nada. Eles sempre estavam calmos e pensando antes de tomar qualquer ação", diz Dice, lembrando das qualidades dos caras que admirava. Logo depois, ao pedido do seu amigo, ele começou a estudar Muay Thai, o esporte de luta mais famoso da Tailândia. "Era a coisa mais difícil", lembra-se, "eu tinha que aprender e treinar pesado".

Muitas pessoas na música são novas no jogo e elas acham que já estão no topo, mas leva um tempo. Não é nada além de aprender cada vez mais. Nunca é o bastante.

Já que nenhum aquecimento para dançar no ringue está completa sem saltar cordas, nós vamos direto para isso. Desenvolvendo um ritmo sincronizado com os beats de hip-hop costa oeste no fundo, Dice continua se lembrando da primeira vez que entrou em uma academia: "Eu estava empolgado, eu estava nervoso. Também foi a primeira sessão de treino na qual tive contato real", ele me conta enquanto seu pé bate no chão. "Você está tão tímido, porque não são as ruas. Você não sabe quem é a outra pessoa".

Dice disse que sua primeira experiência começou segurando os aparadores, então aprendendo a fazer o clinch — um movimento básico para o Muay Thai. "Esse foi o primeiro contato corporal. Então você aprende o respeito. Você não pode se soltar totalmente. Você precisa ir devagar. É o mesmo com futebol, você não pode ir e derrubar o cara. Nós somos um time, nós estamos treinando juntos."

Mas nós não estamos aqui hoje para praticar a arte dos oito membros — assim chamada pelo uso combinado no Muay Thai de punhos, cotovelos, joelhos e canelas — mas sim a suave ciência conhecida como boxe. Dice quer melhorar sua técnica de ataque. Como instrutor, está Mario Lechowski um ex-companheiro de sparring do campeão canadense Floyd Mayweather. Um sujeito sem rodeios, Mario me treinou para lutas amadoras no passado. Ele logo nos bota para trabalhar, passando para uma intensa sessão de socos no saco pesado.

Isso não é uma sessão de fotografias para Dice. Atacando o saco com um golpe poderoso após o outro, ele está aqui para destruir. Seus jabs, diretos de direita, ganchos e uppercuts são precisos. Quando Mario o fala como melhorar uma combinação, Dice ouve e se adapta. Não é diferente de sua carreira. "Muitas pessoas na música são novas no jogo e elas acham que já estão no topo, mas leva um tempo. Não é nada além de aprender cada vez mais. Nunca é o bastante", insiste. "Toda hora que você entra no palco, você absorve algo novo... sempre há um novo desafio".

Enquanto Dice ainda se considera um estudante, poucos discordam que a estrela do techno há muito tempo é o professor. Não precisamos olhar muito além de sua liderança em seu selo Desolat. Em entrevistas ao THUMP com artistas do selo como Guti, tINI,Hector, Livio & Roby e Pulshar, a habilidade de Dice dar a eles uma plataforma para se desenvolver sozinhos em estrelas individuais virou um tema recorrente. Enquanto alternamos as sessões de pancada, Dice deixa claro que sua atenção do começo era montar uma gangue "forte". "Eu não quero seguidores, eu quero líderes", profere. "Foi difícil ensinar essa molecada a dizer, 'Olha, nem coloca na sua cabeça que tem essa coisa de ego, mas você tem que entender que eu sou o chefe. Eu sou a atração principal. Eu sou o cara acima de você.' Então eles souberam que tinham que trabalhar duro para chegar ao nível onde estou. Eles todos entenderam e seguiram em frente.".

Dice não apenas ajuda os grupos que ele gerencia, mas os mostra como se enxergar como artistas. Para Dice, é como você se mantém no movimento. "Você vira alguém; você cria um legado. É importante. Eu tenho muito orgulho disso. Eles estão continuando o que eu comecei com eles de diferentes maneiras, sem ter aquele selo Loco Dice. É por isso que são tão bem sucedidos." Estou começando a ver o paralelo entre Dice e o sábio Mestre Shaolin de todos aqueles velhos filmes de Kung Fu que ele viu crescendo. É uma comparação razoável nas presentes circunstâncias, já que Dice é seu mentor e sensei.

Para terminar o treino, Mario ordena que nós pratiquemos algumas rotinas de defesa que mostram ainda mas as diferenças entre o boxe e o Muay Thai. Acaba de me ocorrer que tantos artistas tocaram ao lado de Dice, essa é a minha chance de ir frente a frente com ele. Quantos jornalistas musicais podem dizer o mesmo?

Entre bloquear os ataques controlados do outro, Dice fala sobre lançar seu disco Underground Sound Suicide no Ultra Music, um selo bem mais mainstream do que o Desolat. Parte da estratégia volta aos seus métodos guru. "Eu disse para todos os meus artistas que eu estou fazendo isso em um selo comercial americano porque eu quero que essas portas sejam abertas para nós. Então vou me expor assim," coloca. "Não vou mudar o meu som. Vou fazer do meu jeito. E quando eu sentar para entrevista de televisão, então eu posso colocar suas músicas. 'Você ouviu esse disco do Pulshar? Ouça ele!' Nunca vou fazer propaganda minha.".

Underground Sound Suicide

é diferente da forma minimal do 7 Dunham Place, o disco de estreia de Dice em 2008. Mas ele não tem medo, ele não está preocupado em perder seu status ou alienar os fãs. "Eu acho que as pessoas que me seguem continuam me seguindo exatamente por esse motivo. Você só pode alcançar outro lugar ao tentar coisas diferentes". O conceito do disco é uma jornada por meio do mundo todo. "Meus sentimentos, tudo que me inspira. E está basicamente voltando às minhas raízes, como hip-hop. Eu senti que com esse disco, o ciclo se encerrava. Estou mais maduro. Estou pronto para entregar algo que sempre esteve em mim mas eu não sabia como." Dice sorri, ele me dá uma joelhada, eu levanto meus braços para defender.

O último sino toca e nós saímos do ringue. "Eu soube muito cedo que a minha atitude não era a de um lutador", admite lendário DJ admite. Relaxando, Dice volta ao saco de pancada e se prepara. "Eu não tenho fome o bastante. Eu não tenho o instinto assassino na minha cabeça. Eu tenho 60% dele". Com isso, ele manda um chute giratório que estoura como um tiro de escopeta. "Mas eu entendi que isso era algo mais profundo para mim. Que poderia me ajudar a relaxar, a aprender mais sobre controle. Podia me ensinar a reconhecer o meu corpo."

"O controle de dormir antes do show, o controle de ficar acordado, de seguir em frente, de continuar saudável", diz entusiasmado, "e de se manter inteiro. Isso tudo vem dessa autoridade".

Enquanto nossa exaustiva sessão chega ao fim, nós saímos das sombras da academia cavernosa para as claras ruas de Toronto. "Eu gosto de como você se move. Você é bem sólido," fala Dice da minha própria técnica. "Só que as vezes você fica desleixado". Eu solto uma justificativa depois da outra — é dificil ficar em forma durante o verão! Muita balada! Você devia me ver quando estou me preparando para uma luta! "Isso não é desculpa", ele corta. "Eu estou na estrada pelo menos 150 dias do ano. Você é muito bom cara. Não se decepcione. Mantenha-se afiado."

Esse é Loco Dice. Um homem de grande disciplina, habilidade, instrução e orientação. O mestre Shaolin do techno.

'Underground Sound Suicide' será lançado 30 de Outubro pelo Ultra Music. Você pode Ele está em pré-venda aqui.

Leia mais sobre o treinador Mario Lechowski aqui.

O Loco Dice está no Facebook // Twitter // SoundCloud
O Desolat Music Group está no Facebook // Twitter // SoundCloud
O Ultra Music está no Facebook // Twitter // SoundCloud
O Elif Rey (fotos) está no Facebook // Twitter // Instagram
Siga o THUMP nas redes Facebook // Soundcloud // Twitter

Christopher está no Twitter.

Tradução de Pedro Moreira.

Mais VICE
Canais VICE