Publicidade
Music by VICE

Por que a Pineapple Supply fez o "Poetas no Topo"?

A marca de roupa criada pelo carioca Paulo Alvarez, 27, vai lançar uma websérie com os bastidores dos cyphers que bombaram fortemente no último mês. E você assiste ao teaser em primeira mão no Noisey.

por Beatriz Moura
03 Fevereiro 2017, 6:57pm

Se você curte acompanhar o que tá rolando no lado mais underground do rap br, você deve ter percebido o barulho que uma galera do Rio de Janeiro começou a fazer na cena no ano passado — e pra ser mais exata, a coisa se intensificou fortemente a partir do dia 26 de dezembro. Quando tava todo mundo curtindo a ressaca da ressaca do Natal, surgiu na interwebs o primeiro cypher do projeto Poetas no Topo, que juntou seis caras da nova safra do rap — Makalister, BK, Menestrel, Sants, Djonga e Jxvns  — pra rimarem por cima de um beat boom bap feito pelo carioca Slim Beats.

E, apesar de ter sido lançado no final/começo do ano, época em que as novidades do mundo da cultura costumam cair no limbo do esquecimento cibernético e não atingirem tanta gente assim, esse primeiro cypher até que fez um relativo sucesso: em um mês, o vídeo já tem mais de 2,2 milhões de views, o que, pros padrões de rap underground produzidos no Brasil, é um número considerável.

Menos de um mês depois do primeiro cypher, o projeto já voltava com a segunda manifestação nas redes. No último dia 20, eles lançaram o "Poetas no Topo 2", agora com participação dos MCs Orochi, FBC, Froid,  Sain, Ducon, Coruja, Baco Exu do Blues e Raffa Moreira. E, se o primeiro vídeo já tinha hypado, esse segundo tá voando mais alto ainda. Em duas semanas no ar, o vídeo já conta com quase três milhões de views. Um puta de um estouro, nível YouTuber.

Nesta sexta-feira (3), a PineappleStorm TV, canal do YouTube que está promovendo e organizando esses cyphers todos, solta com exclusividade pelo Noisey o teaser da sua websérie de estreia, Vivência / Poetas no Topo, que vai trazer, em três episódios, os bastidores do projeto, com os rappers bebendo, comendo, fumando, o Djonga contando um milhão de histórias, Sain e Raffa Moreira tocando pagode e todos gravando as vozes pro "Poetas no Topo 2".

Você pode assistir ao teaser, que contou com filmagem de Gabriel Solano e edição da Contra Corrente Produções, abaixo:

A PineappleStorm TV surgiu da parceria entre a marca de roupas Pineapple Supply (que veste todos os rappers dos vídeos) e o BrainStorm Estúdio e Produções. Falei com o dono da Pineapple, o carioca Paulo Alvarez, sobre como surgiu o Poetas e dos próximos projetos de rap que o canal vai lançar em breve nesse ano e, claro, sobre o já aguardado "Poetas no Topo 3". Leia abaixo: 

NOISEY: Como que a Pineapple Supply surgiu? E como que rolou essa aproximação com o rap?
Paulo Alvarez: 
Eu já fiz e desisti de várias faculdades. Já trabalhei em loja e, quando resolvi lançar a marca, eu tava trabalhando numa empresa de topografia e geoprocessamento. Foi com o dinheiro da recessão desse trabalho que eu montei a marca, pela primeira vez. Fiz o lançamento num show que uns amigos meus estavam organizando do Nectar Gang com o Marginal Men e me chamaram pra ajudar. Isso em agosto de 2015. Vendeu tudo muito rápido até, só que eu não tinha como me manter e acabei gastando todo o dinheiro pra fazer uma outra leva de camisa com despesas pessoais. Por isso, dei uma parada com a marca. 

Só que lá por abril ou maio de 2016, eu conheci o som do Froid e fiquei maluco. Nessa época, eu já tinha conseguido me reerguer financeiramente e pensei em voltar com a marca. Quando vi o Froid, pensei que era a oportunidade certa. Eu sabia que ela ia estourar. Aí, trouxe ele [que é de Brasília] aqui pro Rio e comecei a patrocinar a carreira dele. Foi assim que tudo começou a engrenar. 

E sobre essa aproximação da marca com o rap: acho que é importante não só a moda, mas qualquer segmento da sociedade que puder colaborar e se sentir inserido na cultura do hip-hop participar dessa cena. No meu caso, sempre ouvi rap, então é o meu interesse é que essa cena se expanda cada vez mais. 

Você sempre foi viciado em rap então? 
Sim. Por exemplo, eu sou apaixonado pelo Don L desde sempre. Tenho "Morra Bem, Viva Rápido" tatuado no meu peito há uns três anos. Ainda penso em criar alguma coisa audiovisual com o Don L e o Froid associados, mas ainda é só uma ideia. Vai acontecer ainda, só que não agora. 

Mas o surgimento dessa nova escola no underground, não só no Rio, mas também o Froid e o Baco, por exemplo, que tem uma preocupação de voltar com a poesia e a lírica no rap, me fizeram me identificar e me envolver ainda mais com o rap nacional. A Pineapple foi a concretização desse meu interesse.

E de onde veio a ideia de criar o Poetas no Topo?
O Poetas no Topo, na real, foi surgindo com o tempo e foi derivado de um outro projeto, o Favela Vive. A Pineapple patrocinou o primeiro cypher do Favela Vive — que tem o ADL, Sant, Raillow (PrimeiraMente), Froid e o beat do Índio —, mas acabou saindo pelo canal da [produtora carioca] Esfinge, que já tava fechando uns trabalhos com os meninos do ADL. A gente acabou ficando de fora do Favela Vive 2, e aí que eu resolvi criar meu próprio canal no YouTube e armar meu projeto de cypher. Chamei o Lucas Malak, do estúdio e produtora BrainStorm, que já era meu parceiro com os trampos do Froid, montamos a PineappleStorm TV, um canal no YouTube pra gente upar os nossos cyphers. 

Aproveitei um dia que o Makalister (que é de São José) tava hospedado na minha casa aqui no Rio pra gravar um feats pro disco do Froid e perguntei pra ele com quem ele queria fazer um som, aí foi assim que o BK entrou no jogo. Já tava conversando com Djonga pra um outro projeto, Pretos no Topo, e resolvi convidá-lo pra esse primeiro cypher. O Malak é produtor do Menestrel e o BK conhecia o de Jnvsx e do Sant por causa do Pirâmide Perdida. Aí um foi passando um fio pro outro e, pronto, a gente reuniu todo mundo no estúdio do Lucas pra poder gravar as rimas e, depois, o clipe.

E no que você se baseou pra curadoria pra esse primeiro cypher?
O primeiro foi mais com a galera dessa nova escola do rap daqui, que a gente já tem contato sempre. Menos o Djonga, que é de MG, e o Makalister, né. Mas foi meio que no improviso, tanto que o Froid ficou de fora porque não tava aqui no Rio na época. E ele com certeza faria parte do primeiro se tivesse aqui. Logo que a gente gravou o primeiro e vimos que teve uma resposta boa na internet, começamos a pensar no segundo e, principalmente, em quem a gente queria que tivesse no segundo cypher.  

Achei daora que o "Poetas no Topo" traz uma galera que não é só do Rio ou de São Paulo [tipo do Baco, no Poetas 2]. 
Eu desde o começo defendi "Sulicídio", por isso que quis trabalhar com ele. Tirando que o cara é muito bom. Pro segundo cypher, outro cara que queria muito chamar [e chamei] também era o Raffa Moreira. O Raffa tem o lance de ter muitos haters na internet, mas eu quis dar esse espaço pra ele pras pessoas verem que ele tem muito talento por trás disso.

Ah, e já que a gente falou sobre o Baco, tô armando o "Poetas no Topo 3com participação do Diomédes Chinaski (Chave Mestra).

E o que mais cê pode adiantar o que mais sobre o Poetas no Topo 3?
Vai ter Rincon SapiênciaLuccas Carlos, por enquanto. Vai ser mais de uma parte e sai em março. Tamo produzindo um clipe do Ducon com o [grupo] ADL [PoetasNoTopoXFavelaVive], que vai sair ainda em fevereiro. 

O primeiro episódio de Vivência | Poetas no Topo estreia semana que vem no canal da PineappleStrom. Os outros dois próximos episódios da série vão ao ar nas duas próximas semanas seguintes. 

Ficha técnica do teaser:

Filmagem: Gabriel Solano (@solanoav)
Edição e finalização: Guilherme Brehm (@gb_contracorrente). Contra Corrente Prod. (@contracorrenteprod)
Produção Musical: Disstinto (@disstinto)
Produção Executiva: Paulo Alvarez | Pineapple Supply
Produção: Uriel Calomeni (@urielcalomeni)