Drugs

Esqueça o Xanax. Essa empresa quer que você tome uma grande dose de LSD.

MindMed está pedindo permissão do FDA para começar testes em humanos nos EUA, onde terapeutas darão doses “experimentais” de LSD para pacientes.
05 Junho 2020, 8:22pm
Swiss pharma company MindMed is asking the FDA to approve a human trial of LSD for treatment of anxiety.

Para ter uma noção do nível de ansiedade nos EUA agora, você só precisa ver as receitas de Xanax: Elas aumentaram quase 15% em março, segundo uma pesquisa da IQVIA. E isso é ruim porque o remédio é altamente viciante.

Mas e se existisse uma alternativa não-viciante para tratar ansiedade? A empresa farmacêutica psicodélica MindMed diz que existe. Ela se chama LSD, e eles estão pedindo que o FDA aprove a droga.

Na quinta-feira, a MindMed anunciou planos para se tornar a primeira empresa farmacêutica da história a usar LSD num teste de droga comercial. O novo projeto deles – chamado “Project Lucy” – é um programa de desenvolvimento de droga para tratamento de ansiedade. A empresa pretende iniciar os testes em humanos Fase 2B nos EUA, onde um terapeuta dará doses “experimentais” de LSD para um paciente.

Para que isso aconteça, a MindMed precisa solicitar a abertura do LSD como uma Nova Droga em Investigação com o FDA. O fundador e co-CEO da empresa, JR Rahn, disse que está otimista, já que o FDA já deu sinal verde para testes em humanos com psilocibina e MDMA.

“Enquanto a ansiedade decola nestes tempos incertos, é aparente que os EUA precisa de soluções inovadoras para reformular e repensar abordagens para saúde mental”, ele disse.

Dietilamida do ácido lisérgico (LSD) foi descoberta pelo químico suíço Albert Hofmann em 1938. Durante as décadas de 1950 e 60, médicos usaram LSD para tratar ansiedade, depressão e vício. A droga também se tornou símbolo da contracultura dos anos 60, com seu uso recreativo promovido por gente como os Beatles, que nos encorajaram a olhar “Lucy in the sky with diamonds”.

Em 1968, Nixon declarou as drogas “o Inimigo Público número um”, e dois anos depois assinou o Controlled Substances Act, que classificava o LSD como uma droga Categoria I, fazendo com que as pesquisas fossem canceladas.

Hoje, o LSD está tendo um ressurgimento na contracultura. Por exemplo, agora há shows virtuais onde as pessoas tomam ácido juntas. Pat Cheney, que se descreve como “psiconauta” e está por trás do projeto de música eletrônica experimental “Solid State Entity”, vem usando LSD nos últimos 15 anos e recentemente tomou 150mcg de uma vez num desses encontros online. Além de alucinógenos, ele já tomou benzodiazepina, mas descobriu que a droga não fornece os mesmos benefícios de longo prazo do LSD, e ainda tem o risco de viciar.

“Acho que benzodiazepinas têm seu lugar na psiquiatria e são necessárias às vezes, mas diferente de benzodiazepina, acho que o LSD tem potencial para abordar as causa subjacentes da ansiedade, em vez de só reduzir os sintomas”, ele disse. “Mas o LSD é uma ferramenta totalmente diferente. A experiência com o LSD é muito interativa. Pra mim, isso tende a trazer muitas questões e emoções que venho evitando consciente ou inconscientemente, e permite me relacionar com elas de novas maneiras.”

A MindMed está propondo um tratamento com uma alta dose de LSD (200mcg ou cerca de dois comprimidos) para pessoas com ansiedade. Atualmente isso não pode acontecer em nenhum lugar do mundo por causa do status Categoria I do LSD, exceto na Suíça, onde o Dr. Peter Gasser faz essa pesquisa há mais de 10 anos.

O LSD ainda é uma substância Categoria I proibida na Suíça, mas em parte por sua história única como local de nascimento da droga, o ministério da saúde deu uma permissão especial para Gasser a usar em sua pesquisa. Em 2007, ele começou o primeiro teste controlado de LSD.

“Quando o paciente toma a substância, ele ou ela é supervisionado por um terapeuta durante todo o tempo. Eles chegam no consultório às 8h30, tomam a droga, e ficam ali até 20h30. São 12 horas na nossa instalação onde eles são supervisionados. Os observamos e guiamos por toda a experiência”, Gasser disse a VICE News.

Recentemente, a MindMed adquiriu os direitos da pesquisa com LSD de Gasser, e a empresa diz que planeja apresentar os resultados ao FDA para provar os benefícios medicinais da droga, e que ela não é perigosa para humanos quando administrada num ambientes controlado como um consultório médico.

Rahn é um cara do Vale do Silício que começou como um dos primeiros funcionários da Uber. Ele também é um viciado recuperado. Durante aquele capítulo da vida, ele viu amigos construindo aplicativos e tecnologias que iriam revolucionar e automatizar a força de trabalho. Mas Rahn sabia que isso também levaria a desemprego em massa, e antecipava que grandes demissões criariam uma “grande depressão de saúde mental”.

E Rahn estava certo, mas talvez não pelas razões que ele pensou. Enquanto sem dúvida estamos no meio de uma quarta Revolução Industrial, também estamos vendo problemas econômicos sem precedentes como resultado do coronavírus. O Departamento de Trabalho dos EUA vai divulgar o relatório de empregos de maio na sexta-feira. O presidente da Reserva Federal Jerome Powell diz que a taxa de desemprego pode atingir 25%, o mesmo nível da Grande Depressão.

Ao mesmo tempo, um relatório recente do Express Scripts descobriu que o uso de antidepressivos aumentou 35% entre o meio de fevereiro e o meio de março. Mesmo antes disso, quase um em cada seis americanos estava tomando uma droga psiquiátrica. E segundo a Anxiety and Depression Association of America, transtornos de ansiedade são a condição psiquiátrica mais comum, afetando quase um quarto da população americana.

“É hora de resolver o problema de ansiedade dos EUA, não criar um problema de dependência de Xanax”, disse Rahn.

Imagem do topo: A empresa farmacêutica suíça MindMed está pedindo que o FDA aprove testes em humanos com LSD para tratamento de ansiedade. (Foto: Getty Images.)

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.

Publicidade