Publicidade
Music by VICE

A Kalouv mergulhou num mundo fantástico para conceber 'Planar Sobre o Invisível'

O novo EP da banda pernambucana de post-rock é o último trabalho a sair pela Bichano Records, e é lançado em parceria com a Sinewave.

por Amanda Cavalcanti
22 Agosto 2016, 6:00pm

O quinteto pernambucano Kalouv sempre tentou encarnar, segundo o tecladista Bruno Saraiva, um clima meio trilha-sonora nos trabalhos da banda. De fato, as peças de post-rock que formam os dois discos lançados pelo grupo, Sky Swimmer (2011) e Pluvero (2014) contam com muitas partes e vão acumulando tensão conforme as músicas prosseguem — como se seguissem o fio condutor de uma narrativa fantasiosa. "De maneira meio que inexplicável, a gente sente climas para cada música, caminhos. Com um tempo, dá até pra enxergar imagens, personagens, histórias", comenta o músico. No novo trabalho da banda, Planar Sobre o Invisível, o potencial de contar histórias da Kalouv atinge um ponto mais alto.

O EP é composto por duas faixas, que parecem, ambas, embalar o desenrolar de um conto num mundo fantástico e desconhecido: a aérea "Peixe Voador", cujos teclados e dedilhados suaves evocam justamente a sensação de um vôo livre; e a crescente "Da Bravura, Inocência", que parece revelar a cada momento uma nova faceta de uma tensa fábula.

Segundo Bruno, os mundos fantasiosos sempre foram uma grande inspiração para a Kalouv. "Todos fazemos parte de uma geração que cresceu muito envolvida pelos universos de desenhos, filmes e videogames. Algumas vezes, por exemplo, nos pegamos conversando sobre as nuances da música num jogo, especialmente quando ela se comunica muito bem com a arte e o gameplay", diz. Ele também dá seus palpites das histórias que poderiam ser embaladas com as faixas de Planar Sobre o Invisível: "Peixe Voador" seria a trilha perfeita para A História Sem Fim, história triste e intimista do autor Michael Ende, e do mangá O Cão que Guarda as Estrelas. Já "Da Bravura, Inocência" o remete ao jogo To the Moon.

O EP será lançado pela Sinewave, label paulistana por onde foi lançado o segundo álbum do grupo, em parceria com a Bichano Records — o último trabalho a sair pelo selo carioca. "A primeira vez que tivemos contato com a Bichano foi na turnê do gorduratrans pelo Nordeste. Desde lá, começamos a acompanhar a movimentação do selo e percebemos que, apesar do curto tempo de vida, eles conseguiram sintetizar uma coisa muito importante que estava acontecendo na cena independente brasileira", diz o guitarrista Túlio Albuquerque. "Mesmo sabendo que a Bichano vai encerrar suas atividades logo mais, fico feliz de associar esse ciclo com eles e o Sinewave, que é nossa primeira casa."

Siga o Noisey nas redes Facebook | Soundcloud | Twitter