Meio Ambiente

Tatuador argentino quer processar petroleira por adesivo sexual com Greta Thunberg

German Canalla diz que vai processar o X-Site Energy Services, de Alberta, Canadá, por usar uma imagem dele para criar um adesivo “horrível” da ativista adolescente.
04 Março 2020, 4:33pm
A ativista do clima Greta Thunberg diz que o desenho com o logo de uma empresa de petróleo abaixo de um desenho que parece mostrar um ato sexual é um sinal de desespero. Foto por Matt Dunham via Canadian Press.
A ativista do clima Greta Thunberg diz que o desenho com o logo de uma empresa de petróleo abaixo de um desenho que parece mostrar um ato sexual é um sinal de desespero. Foto por Matt Dunham via Canadian Press.

Um tatuador da Argentina diz que quer tomar uma ação legal contra uma empresa petroleira canadense por alterar uma imagem dele para criar um adesivo mostrando Greta Thunberg num ato sexual perturbador.

O decalque mostra uma garota por trás, com duas mãos segurando o que parece ser as tranças marca registrada de Thunberg, de 17 anos, e o nome “Greta” nas costas dela. O logo da X-Site Energy Services de Alberta aparece abaixo da imagem.

O desenho original do artista German Canalla. Foto cortesia do tatuador.

German Canalla diz que ficou chocado ao descobrir que um de seus desenhos foi usado para fazer o adesivo, e numa entrevista para a VICE ele disse ter nojo das pessoas por trás da obra. “Fiz um desenho erótico porque todo mundo transa e faz amor, seja lá como você chame. Mas eles mudaram isso para o estupro de uma adolescente, o que é péssimo. Não sei como homens adultos podem achar que isso é uma piada”, ele disse. “Cultura do estupro é a pior coisa.”

A arte de Canalla apresenta atos sexuais explícitos e nudez, mas ele diz que tudo é consensual, “nunca sobre estupro ou abuso infantil”. Ele disse que está falando com um advogado de copyright para discutir suas opções legais, incluindo processar a X-Site Energy Services. Ele diz que não tem muito dinheiro, mas está disposto a viajar para o Canadá se for preciso.

Na segunda-feira, a X-Site Energy divulgou um pedido de desculpas em seu site. “Imagens explícitas e ataques pessoais a qualquer um são inaceitáveis”, dizia a mensagem. “A gerência aceita a responsabilidade total por isso” e se “compromete a recuperar e destruir os adesivos que distribuímos”.

Num press release na sexta-feira, a RCMP de Alberta disse que não achava que o adesivo representava uma ameaça direta a Thunberg. “Consultando oficiais da polícia especializados em exploração sexual infantil, a Red Deer RCMP determinou que o decalque não tem os elementos de pornografia infantil.”

Apesar dessa descoberta, a imagem rendeu condenações generalizadas. Alexandre Boulerice, um parlamentar do NDP de Quebec, pediu que a Câmara dos Comuns condene o adesivo “nojento” que “mostra claramente um ataque sexual contra Greta Thunberg”.

Thunberg comentou sobre a imagem no sábado, tuitando: “Eles estão começando a ficar mais e mais desesperados... Isso mostra que estamos vencendo”.

Siga a Anne Gaviola no Twitter.

Matéria originalmente publicada na VICE Canadá.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter, Instagram e YouTube.