medico coronavirus
O médico Beny Schmidt em vídeo que publicou nas redes sociais. Imagem: reprodução/YouTube
Saúde

Médico da Unifesp publica fake news: "O coronavírus não faz mal a ninguém"

Bolsonaristas compartilham o vídeo do patologista Beny Schmidt nas redes sociais pedindo que ninguém deixe de comparecer ao protesto do dia 15.
13 Março 2020, 1:37pm

"O coronavírus não faz mal a ninguém", afirma, em vídeo publicado no YouTube, o brasileiro Beny Schmidt, médico patologista e professor da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). "Esse vírus não é um vírus letal. Não era necessário todo esse alarde", completou. O coronavírus já matou mais de cinco mil pessoas até o momento.

O médico, inicialmente, publicou o conteúdo em seu canal no YouTube, mas depois deletou. Entretanto, outros perfis nas redes sociais seguem compartilhando o material. Uma das postagens já soma mais de 36 mil visualizações.

Os argumentos de Schmidt estavam sendo usados nas redes sociais por bolsonaristas com o objetivo de não esvaziar o protesto pró-governo que aconteceria no próximo domingo, 15, mas que foi adiado depois de Jair Bolsonaro pedir que as pessoas não comparecessem ao ato.

Ainda assim, membros da extrema-direita afirmam que vão para as ruas de qualquer jeito. No Twitter, eles usam a hashtag #DesculpeJairMasEuVou.

O discurso de Schimidt tem desagradado cientistas e médicos. Biólogo, Atila Iamarino é doutor em microbiologia com pós-doutorado na Universidade de São Paulo e na Yale University. Para ele, que participa de um estudo sobre fake news relacionadas ao coronavírus, o conteúdo publicado por Beny Schmidt é extremamente grave. "O que ele está fazendo é a coisa mais nociva possível. É criminoso", aponta.

Na última quarta (11), Beny Schmidt concedeu entrevista ao Jornal da Record. "A falta de informação e a informação inadequada é a razão de todo esse pânico que está acontecendo", falou. "A gente morre de muitas coisas, menos de coronavírus", reforçou, assim como fez no vídeo em que publicou e, depois, deletou. Atila rebate a afirmação do médico: "Tá errado, o vírus mata entre 10 e 20 vezes mais do que a gripe comum".

O colega de profissão Nelson Nisenbaum, que atua nas especialidades de clínica médica e psiquiatria, diz que o conteúdo de Schmidt é "falso e perigoso". "A única coisa que eu acho que pode justificar essa posição dele é, de fato, um alinhamento político com a extrema-direita e com esse governo. Porque do ponto de vista científico e médico, ele tem todas as ferramentas pra saber que ele está completamente errado naquele vídeo", falou.

A VICE entrou em contato com a assessoria de imprensa de Beny Schmidt, que não respondeu o pedido de entrevista até a publicação desta reportagem. Já a Unifesp se limitou a enviar uma nota oficial sobre o coronavírus, desconversando sobre as falas do médico.

ATUALIZAÇÃO: inicialmente, a reportagem apontou que o número de mortos ultrapassava 1.600 pessoas, segundo a OMS. Agora, os dados foram atualizados de acordo com balanço de fontes oficiais feito pela AFP (Agence France-Presse).

Siga a VICE Brasil no Facebook , Twitter , Instagram e YouTube .