​Faça Sua Própria Internet das Coisas

Esses pequenos sensores te permitem conectar seus eletrônicos sem precisar saber criar códigos.

|
02 Outubro 2014, 6:53pm

Créditos: Victoria Turk/Motherboard

Enquanto a Internet das Coisas não para de crescer, também prolifera o medo sobre os dados que essas coisas – e mais importante, as empresas por trás dela – coletam. Isso faz com que a ideia do faça-você-mesmo seja bem atrativa nesse caso.

A nova tentativa de combinar a Internet das Coisas com um movimento criador é o SAM, um kit eletrônico que é interessante por ser fácil de usar: você não precisa saber muito de eletrônicos ou engenharia ou códigos para criar um dispositivo com um sensor e conectado à internet.

Os criadores do SAM destacam o aspecto educacional do kit, mas há os claros pontos de venda para adultos também: você pode criar seu próprio protótipo de um termostato do tipo Nest, por exemplo, ou fazer seu próprio brinquedo sexual de controle remoto.

"É um protótipo muito bom e rápido; é todo conectado à internet e conectado ao seu computador com wireless, então você pode fazer o sistema funcionar em dois segundos", me disse Joachim Horn, chefe executivo da SAM Labs. Recentemente, a SAM atingiu sem dificuldades seu pedido de 50 mil libras no Kickstater em menos de três dias.

Kevin Haughan, à esquerda, and Joachim Horn, à direita.

O kit é basicamente um conjunto de pequenos sensores e atuadores que podem ser conectados por wireless usando o software que vem junto. Você pode conectar um botão de ligar a um bulbo de LED, por exemplo, então quando você aperta, a luz acende.

Horn e o membro do SAM Labs Kevin Haughan me deram uma demonstração. Ambos aos 23 anos, com experiência em engenharia de computação e mecânica, respectivamente, estão atualmente trabalhando em um espaço em Londres, provido pela Microsoft Ventures, uma iniciativa com startups que cede um espaço de trabalho e aconselhamento à equipe, mas não investe dinheiro.

Com tudo arranjado, leva apenas alguns segundos para fazer uma simples conexão. Na tela, você é apresentado a um simples espaço para arrastar e soltar em que você pode clicar em um ícone correspondente ao seu componente do mundo real e conectá-lo a outro circuito. Não há requerimento de códigos e as peças se conectam usando Bluetooth Low Energy, o que significa que eles podem estar separados por até 20 metros de distância.

Se você quer deixar as coisas mais complexas e tem algum conhecimento de códigos, há uma opção de "customizar códigos", e Haughan mostrou como você pode usar essa ferramenta para programar alguma coisa emulada das funções do termostato Nest, por exemplo. Ele fez assim para que quando o sensor de calor medisse temperaturas acima de 28°C, um atuador com vibração seria ativado. Eu baforei no sensor para aumentar a temperatura e, do outro lado da mesa, uma outra peça vibrou.

Esse atuador é obviamente uma das primeiras ideias de brinquedos de sexo wireless caseiros; coloque a peça que vibra em algo sexy, conecte a algum tipo de interruptor e pronto. Claro, o Bluetooth limita a distância entre os dois componentes, mas Horn diz que aplicativos de longa distância estão nos planos. Ele disse que estão trabalhando em um "módulo nuvem" que conectaria à internet através de um roteador para que você pudesse controlar o sistema de qualquer lugar.

Hughan explicou que eles também estão trabalhando em uma tecnologia de rede. "Será basicamente por toda sua casa, uma vez que você tenha um módulo a cada 10 metros, mais ou menos." Isso significaria que você poderia juntar sus própria rede SAM pela sua casa em um sistema caseiro de baixa tecnologia inteligente.

No momento, esse tipo de funcionalidade também é limitado pela duração da bateria: um sensor de botão duraria umas três semanas e um motor dura 30 minutos de atividade antes de precisar ser carregado por USB.

Outras aplicações são moldadas inteiramente pelos componentes que você quer usar quando os conecta. Entre os sensores há aqueles que usam pressão, proximidade e cor e os reatores incluem motores e um ventilador, e há um módulo de software do Twitter para que você configure um botão para enviar um tuíte, por exemplo.

Pelo fato de as peças são pequenas, wireless e, a dupla me assegurou, robustas, elas são facilmente incorporadas em tecnologia vestível. Você poderia colocar um sensor de pressão no seu sapato e prendê-lo a uma LED na sua jaqueta para que acedesse toda vez que você der um passo.

É bem divertido e se encaixa com um movimento geral criador de tendências de grande acessibilidade. Uma vez aberto o reino dos códigos, brincar com eletrônicos agora está aberto a todos. SAM certamente deve algo à LittleBits e a outras comunidades hacker favoritas como Arduino e Raspberry Pi, mas se destaca por sua simplicidade fundamental e completa falta de fio.

Horn e Haughan disseram que estão atualmente se financiando sozinhos e esperam manter suas raízes com o esquema de crowdfunding, apesar de não descartarem outras formas de financiamento.

Mas dado que eles estão vendendo peças para você criar o que quiser com elas, não há planos de sugar seus dados como outras conhecidas confecções da Internet das Coisas ou dispositivos usáveis de tecnologia. E pelo lado da segurança, Horn disse que a tecnologia bluetooth é encriptada, "não há como espionar o sistema."