Você Acha que Sabe, Mas Não Faz Ideia: A Diferença entre o Baltimore, o Philly e o Jersey Club

Homem forte do Baltimore club, Schwarz explica detalhadamente a diferença entre os gêneros que criaram as mais vibrantes cenas musicais dos Estados Unidos.

|
ago 24 2015, 2:00pm

O termo "club music" é seguidamente mal empregado para descrever qualquer tipo de dance music, mas vamos deixar algo claro: a definição se refere ao Baltimore club e seus derivados, o Philly club e o Jersey club. Embora os três gêneros sejam parentes próximos, cada um tem uma rica história e uma evolução própria — e coletivamente representam algumas das cenas de dança mais vibrantes que existem. Mas, se você não ouvir com atenção, pode ser difícil identificar a cidade de origem de uma faixa club, ou mesmo diferenciar cada estilo. Então pedimos ao Schwarz, um produtor e figura central da atual cena de Baltimore club, que fizesse um resumo das principais diferenças entre os gêneros, incluindo seus principais samples, faixas e passos de dança.

Baltimore Club

O Baltimore club surgiu em fins dos anos 80, da mistura feita pelos DJs de estilos divergentes, como o house de Chicago, o hardcore rave britânico, o Miami bass e o hip-house, que então começavam a ganhar popularidade. Os DJs do Baltimore club exploraram faixas que usavam o "Think break", da faixa "Think", do Lynn Collins, produzida por James Brown. Esse sample já era usado ocasionalmente em algumas faixas do rave britânico, mas se tornou onipresente no Baltimore club, tornando-se um elemento-chave do gênero. A combinação do "Think break" com um padrão pesado de bumbos — em que os bumbos aparecem na primeira, segunda e terceira batida do compasso, aparecendo novamente pouco antes da quarta — e uma batida de tambor conhecida como "The Thump", que aparece pouco antes da primeira batida, tornou-se a base para as faixas do Baltimore club.

Vocais fragmentados, repetitivos e por vezes obscenos se tornaram um elemento importante do gênero. Os vocais são às vezes sampleados de faixas rap à capela, ou de gravações de baixa fidelidade das próprias vozes dos DJs e produtores. As primeiras faixas do Baltimore club a ganharem popularidade eram de DJs/produtores como Scottie B, DJ Equalizer, DJ Technics e Frank Ski.

À medida em que o gênero evoluía, o tempo padrão foi aumentado de 125-128 BPM para 130 BPM. Desde meados dos anos 2000, o Baltimore club vem se tornando ainda mais rápido e samples de sons de tiros, bem como o famosamente exuberante "What", do rapper Lil Jon, assim como uma série de "Heys", tornaram-se sons populares, repetidos ao longo das faixas de uma maneira percussiva. Algumas das faixas mais extremas do estilo são designadas como "Battle", "What" ou "Shakeoff", e são peculiares a uma cena de dedicados dançarinos adolescentes.

Faixas Clássicas doBaltimore Club:

Scottie B - " N****z Fightin"

Miss Tony - "Pull Ya Gunz Out"

DJ Technics - "I Just Wanna Fuck" Ft. Kotton

Rod Lee - "Dance My Pain Away"

Blaqstarr - "Hands Up, Thumbs Down"

Novas Faixas do BaltimoreClub:

Lor Scoota - "Bird Flu (DJ Dizzy Remix)"

James Nasty - "Them Do It Horns"

Mighty Mark - "Ping Pong" ft TT The Artist and Sushi Samson

Uma Faixa FamosaInfluenciada pelo Baltimore Club:

Philly Club

Na Filadélfia, os sons criados em Baltimore evoluíram e foram apropriados pela cidade. Quando o Baltimore club teve o seu pico de popularidade em meados dos anos 2000, por meio da produção do disc jockey K-Swift, do produtor Blanqstarr e dos seus colaboradores mais mainstream, MIA e Diplo, jovens produtores de Philly, mais precisamente o DJ Dwizz e o DJ Sega, aderiram ao som de Baltimore. Logo, Philly tinha seu próprio gênero, chamado Philly club, e às vezes chamado simplesmente de "party music". Muitas vezes mais rápido (às vezes atingindo até os 150 BPM), energético e cheio de sirenes, o Philly club agora tem faixas que incluem elementos do hardstyle e da variação EDM do trap, acrescentando gigantes ondas serra dessincronizadas para tornar as faixas ainda mais pesadas. Philly também tem sua própria cena de dança adolescente, em que os dançarinos dançam o "Tang", revezando-se dentro do cypher [como o círculo aberto na rua ou na pista é conhecido no street dance local].

Faixas Clássicas doPhilly Club:

DJ Dwizz - "Get Em"

DJ Sega - "Woo Hah"

Diamond Kutz ft Lumindee - "Jump In" (Prod. by Swizzymack)

Novas Faixas do PhillyClub:

Dollarboyz "Dollarboyz 2K15 Anthem" (Prod by DJ DB Shawny)

Rihanna "BBHMM" (DJ Ayo Remix)

Will215- "Philly Anthem"

Knockout- "The Takeover"

Uma Faixa FamosaInfluenciada pelo Philly Club:

Jersey Club

Em New Jersey, nomes como o DJ Tameil, do Brick Bandits, e o DJ Tim Dolla, davam um jeito de conseguir os discos do Baltimore club, às vezes viajando até Baltimore para buscar os lançamentos mais recentes, trazê-los para Newark e tocá-los nas festas. Em New Jersey, assim como aconteceu em Philly, o som do Baltimore club começou a se transformar de acordo com o que os DJs e produtores locais escolhiam tocar e acrescentavam ao som.

Assista ao nosso documentário sobre o Jersey Club:

Mantendo um tempo constante de 140 BPM, o Jersey club suaviza a aspereza do Baltimore club. Enquanto o Baltimore clube é bruto, cru e violento, o Jersey club é sexy e suave. O sample "bed squeak" [literalmente o som de uma cama rangendo], de "Some Cut", do grupo de crunk-rap Trillville, é seguidamente encontrado nas faixas do Jersey Club — representando uma popular atividade pós-festa — assim como diferentes efeitos sonoros de "water drop" [literalmente, água gotejando]. Para acompanhar os seus sons mais suaves, os estilos de dança do Jersey club são mais simples e universais. Algumas das músicas mais famosas do Jersey club se centram em vocais narrando novas danças, à medida em que elas vão surgindo.

Faixas Clássicas do JerseyClub:

Tim Dolla- "Swing Dat Shit"

Dj Tamiel - "Fuck Em Up"

T2 "Heartbroken" ft Jodie (DJ Jayhood Remix)

Novas faixas do Jersey Club:

DJ Lil Man - "Team Lil Man Anthem 2K15"

DJ Sliink X DJ Taj X Big O - "Best Friend Anthem"

T-Pain - "Up Down" (Uniique Remix)

Uma Faixa FamosaInfluenciada pelo Jersey Club:

Schwarz está no SoundCloud // Facebook // Twitter

Tradução: Fernanda Botta

Mais VICE
Canais VICE