Publicidade
Noticias

Boletim Matutino da VICE

Tudo o que você precisa saber sobre o mundo esta manhã com curadoria da VICE.

por Equipe VICE Brasil
09 Maio 2018, 11:24am

Agência Brasil

Brasil

Testemunha liga vereador e ex-PM ao assassinato de Marielle, diz jornal

Segundo uma reportagem do jornal O Globo publicada na noite desta terça-feira(8), um vereador do Rio e um ex-policial militar foram apontados por uma testemunha como mandantes da morte da vereadora Marielle Franco (PSOL). O homem, que prestou três depoimentos à polícia em troca de proteção, trabalhou para um grupo paramilitar e passou detalhes de datas, horários e locais de reuniões em que Marcello Siciliano (vereador pelo PHS) e Orlando Oliveira de Araújo (ex-PM hoje preso acusado de chefiar uma milícia) teriam planejado o crime. Segundo o jornal, a testemunha disse que presenciou quatro conversas entre o vereador e o miliciano (na época em que este estava foragido) e forneceu nomes de quatro homens que teriam sido escolhidos para matar Marielle. – Folha de S. Paulo

STF torna Geddel, irmão e mãe réus em caso dos R$ 51 milhões encontrados em apartamento

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (8), por unanimidade, pelo recebimento da denúncia por lavagem de dinheiro e associação criminosa contra o ex-ministro Geddel Vieira Lima; seu irmão, o deputado Lúcio Vieira Lima (MDB-BA); e a matriarca da família, Marluce Vieira Lima, de 84 anos. O caso está relacionado aos R$ 51 milhões em espécie encontrados no apartamento de um amigo de Geddel em Salvador. Ele foi preso preventivamente em 8 setembro do ano passado, três dias após o dinheiro ser encontrado. Posteriormente, um fragmento de impressão digital encontrado no material apreendido foi apontado pela Polícia Federal como sendo do ex-ministro. – Agência Brasil

Ossos de homem adulto são encontrados em escombros de prédio em São Paulo

Os bombeiros que trabalham há mais de uma semana no resgate de vítimas encontraram fragmentos de ossos nos escombros do edifício Wilton Paes de Almeida, no Centro de São Paulo, nesta terça-feira (8). Segundo a Secretaria da Segurança Pública os restos mortais são de um adulto do sexo masculino. A conclusão é de análise preliminar do Instituto Médico-Legal. O material genético da vítima será confrontado com DNA de parentes de desaparecidos. No momento os bombeiros procuram sete pessoas desaparecidas no local. – G1

Prazo para regularizar situação eleitoral termina nesta quarta-feira

Termina nesta quarta-feira (9) o prazo para quem precisa regularizar a situação com a Justiça Eleitoral. Os eleitores podem transferir, atualizar ou tirar o título eleitoral até esta quarta-feira para participar das eleições de 2018. Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cerca de 1 milhão de pessoas estão com a sua situação eleitoral irregular no país. O 1º turno das eleições ocorre no dia 7 de outubro. – Agora

Lei Maria da Penha também vale para vítima transexual, determina Justiça do DF

Uma decisão da Justiça do Distrito Federal, divugada nesta terça-feira (8), concedeu a mulheres transexuais vítimas de ameaça e lesões corporais um direito importante: o de terem os casos julgados na Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher. A decisão autoriza, ainda, a aplicação de medidas protetivas decorrentes da Lei Maria da Penha. Até então, alguns processos que tratavam de casos de violência contra mulheres trans podiam ser redistribuídos para a Vara Criminal. Foi o que aconteceu com Raquel Almeida Duarte – vítima do caso que levou à decisão do TJ. No ano passado, ao chegar em casa, ela foi atacada pelo ex-namorado com socos, pontapés e pauladas – um crime supostamente motivado por ciúmes, depois de um passeio com um grupo de amigas. Ela foi internada e teve de passar por cirurgia. – G1

Mundo

Após Donald Trump anunciar saída de acordo nuclear, europeus marcam reunião com Irã

Após o presidente dos EUA Donald Trump anunciar nesta terça-feira (8) que seu país vai deixar o acordo nuclear e retomar as sanções contra o Irã, os ministros das Relações Exteriores da França, Alemanha e Reino Unido anunciaram que se reunirão com representantes iranianos na próxima segunda-feira (14). Os três países assinaram o acordo em 2015, ao lado do Irã, Estados Unidos, China e Rússia. A saída dos EUA do acordo, que impedia a obtenção de material nuclear e a criação de um arsenal nuclear por parte do país persa, foi criticada pelos aliados europeus, mas foi elogiada por Israel e pela Arábia Saudita. – G1

Após pedir ajuda ao FMI, Argentina congela preço de combustíveis

O governo da Argentina chegou a um acordo com as grandes empresas do setor de energia que operam no país para congelar os preços dos combustíveis por dois meses, atenuando assim as fortes variações do valor do dólar no país. Há bastante incerteza sobre a eficácia da medida. A Argentina vive um período de instabilidade desde a semana passada, quando o dólar registrou uma forte valorização em relação ao peso. A situação fez com que o Banco Central elevasse a taxa de juros em mais de 20 pontos percentuais, obrigou o governo a fazer cortes no orçamento, a promover redução nas previsões de déficit fiscal e a buscar o Fundo Monetário Internacional (FMI) para obter uma linha de crédito para superar a crise. – G1

República Democrática do Congo aponta novo surto de ebola com 17 vítimas

A República Democrática do Congo afirmou nesta terça-feira (8) que "enfrenta uma nova epidemia de ebola", que já matou 17 pessoas na província de Equateur, no noroeste do país africano. "Vinte e um casos de febre com sinais hemorrágicos e 17 mortes", uma taxa de letalidade de 80%, foram notificados ao Ministério da Saúde em 3 de maio. O governo local considera os casos "uma emergência de saúde pública internacional. "Desde a notificação dos casos em 3 de maio, nenhuma morte foi relatada", aponta o comunicado do ministério, sem especificar a data de início da epidemia. A epidemia na RDC é o nono surto de Ebola desde a descoberta deste vírus em seu solo, em 1976. – UOL

Tagged:
Donald Trump
lei maria da penha
Geddel Vieira
Boletim Matutino
Marielle Franco
Acordo nuclear