Quantcast
Terreiro de Umbanda é incendiado em Araraquara

O Templo Religioso Hermínio Marques teve boa parte da estrutura queimada e imagens religiosas quebradas. A polícia ainda investiga quem teria causado o incêndio.

Imagem: Facebook.

A semana tem sido prolífica em intolerância: além do pessoal contumaz babando ódio nas redes, um suspeito foi preso por propagar discurso de ódio e nazista nas redes sociais, uns carinhas acham supernormal ofenderem uma mulher por trabalhar no Instituto Lula , a acusando de ladra (um deles chegou a mostrar o pau pra ela duas vezes), e um catador de lixo foi morto a flechada em São Paulo -- a hipótese é que sua morte seria resultado de uma discussão de trânsito.

Não diferente, um crime de ódio e intolerância religiosa está sendo investigado no interior de São Paulo, em Araraquara, onde um terreiro de umbanda foi incendiado durante a madrugada de sábado (10). O Templo Religioso Hermínio Marques, localizado no distrito de Bueno de Andrada, existe há 63 anos e as chamas atingiram boa parte da estrutura do terreiro e imagens religiosas foram quebradas.

LEIA: Despejos e Violência: Por Dentro da Guerra Evangélica Contra as Religiões de Matriz Africana no RJ

Fiéis relatam que um homem que começou a frequentar o terreiro se encantou por uma moça que trabalha no local e tentou se aproximar dela. Porém, a moça recusou a cantada e o rapaz que ficou furioso, fez ameaças dizendo que atearia fogo nela e no templo religioso. Testemunhas disseram que na noite de sábado, após o terreiro ser fechado, o suspeito chegou, cortou o alambrado com um alicate, e, com um facão e uma pá, arrombou a porta do templo. As autoridades chegaram a ouvir o suspeito, entretanto, ele negou a autoria do crime.

LEIA: Orgulho e Preconceito: As Religiões Afro-brasileiras

Enquanto a Polícia Civil investiga se o ocorrido se enquadra como crime de ódio. A Delegada Meirelene Rodrigues, da Delegacia da Mulher, declarou que a moça que trabalha no terreiro informou a polícia as ameaças e foi solicitada uma medida protetiva. "Estamos investigando ameaça, injúria e crime de incêndio e, indiretamente, se existe intolerância religiosa", relata a delegada.

Siga a VICE Brasil no Facebook, Twitter e Instagram.